Leandro Neto

Leandro Neto
Foto acima : O Full Metal Dojo : “Fight Circus” e o site CamSoda anunciaram que iriam “trazer um show de horrores para você” e que as lutas estaria “oscilando na ilegalidade”. ( Créditos | Cortesia : ( C ) Full Metal Dojo | ( C ) CamSoda | Divulgação ).  
O Full Metal Dojo, tradicional promoção de MMA da Tailândia criada por Jon Nutt - um homem que nunca acorda pela manhã - voltou à cena com uma edição realizada em parceria com o CamSoda - site pornô especializado em “camgirls” ( mulheres que se exibem nuas em vídeo ) - que fazia a sua segunda incursão no MMA após o CamSoda Legends ( show realizado em 2018 e que teve como destaque Ricco Rodriguez e Charles Bennett, entre outros ).
O evento do Full Metal Dojo aconteceu no sábado, 22 de agosto, às 22hs e teve lugar no Insanity Nightclub, em Bangkok, capital da Tailândia.
 
À frente do Full Metal Dojo desde a sua edição inaugural em 7 de junho de 2014, Jon Nutt - uma figura curiosa do mundo do MMA - resolveu apelidar o torneio de “Fight Circus” ( Circo da Luta ), devido à nova parceria com o site de “streaming” e ao conjunto de regras ( ou ausência destas ), uma vez que cada luta em destaque contou com uma regra específica e o show teve de tudo : luta de dois contra um, duelo entre homem e mulher, disputas na categoria absoluto ( envolvendo atletas de diferentes categorias de peso ) e até mesmo lutas sem luvas, o que aproximou esta edição do antigo formato de ‘Vale Tudo’.
 
Bangkok é um lugar adequado para lutas nesse formato, pois é “a cidade onde os sonhos dos melhores boxeadores são realizados” e, não custa lembrar, que há alguns limites para as “regras originais de MMA de Bangkok”, que são uma mistura daquelas adotadas pelo UFC e pelo extinto PRIDE.
 
Além disso, os organizadores do Full Metal Dojo trabalharam com o governo tailandês para permitir que os convidados ‘VIP’ participassem em mesas socialmente distantes umas das outras.
 
É digno de nota citar que 100 por cento da receita obtida através da interação com os fãs foi destinada ao enfrentamento do novo coronavírus. Os espectadores também foram convidados a doar diretamente para o CDC, ou Centers for Disease Control and Prevention ( Centros de Controle e Prevenção de Doenças ), uma agência que trabalha na proteção da saúde pública e da segurança da população.
 
O site do CamSoda também permitia que os espectadores dessem ‘gorjetas’ para seus lutadores favoritos no ‘card’.
 
Em um dos confrontos menos controversos da programação tivemos uma disputa de ‘grappling’ ( ou “luta agarrada” ) entre um homem e uma mulher - a mulher venceu por finalização ( mata-leão ).
 
Na luta feminina de Lethwei ( Muay Thai sem luvas, valendo cabeçadas ) Po Chissakan venceu Nattarat Prempida por decisão, após três rounds de uma autêntica ‘briga legalizada’.
 
Como dito anteriormente, vários combates apostavam na falta de um limite de peso, com um lutador significantemente mais pesado que seu adversário. Em um destes, um lutador de Muay Thai peso galo enfrentou um boxeador peso pesado em uma luta nas chamadas “Regras de Trinity”. Estas são compostas por diferentes conjuntos de regras por round. O primeiro round são as regras do boxe, o segundo são as regras do Muay Thai e o terceiro são as regras do MMA.
Foi quando o peso galo do Muay Thai Chitnuphong Sommuttiram venceu o boxeador peso pesado Tang Mo com um chute no rosto já no segundo round ( regras de Muay Thai ).
 
O brasileiro Fabiano Hawthorne também participou de uma luta com regras diferenciadas para cada round, à semelhança do confronto anterior. No primeiro, só Boxe, no segundo Muay Thai e no terceiro MMA com regras do PRIDE - incluindo o famoso tiro de meta ( chute na cabeça do adversário caído )  e regras do UFC - com cotoveladas na cabeça. A diferença é que a luta do brasileiro foi realizada sem luvas e ainda valendo cabeçadas.
Ele derrotou Kyoken Tampiyanan com um nocaute, graças a uma cotovelada certeira na cabeça.
 
Em outra luta com esse conjunto de regras, Steven “Panda” Banks venceu Sam Cassidy por pontos, após os três rounds.
 
Para nos trazer à memória os famosos confrontos envolvendo Kyokushin vs. Muay Thai realizados no Japão no século passado, um carateca e um lutador de Muay Thai se enfrentaram em um duelo onde os atletas não podiam usar as mãos, apenas as pernas e a cabeça. Essas regras são chamadas por alguns de ‘regras de briga de galos humana’. Resultado : o carateca praticamente desmontou o adversário com seus chutes e saiu vencedor.
 
Mas o ponto alto da programação foi sem dúvida a luta que envolveu dois pequenos irmãos - que lutam no peso palha ( pesam cerca de 50kg ) - contra um ucraniano competidor de MMA que costuma lutar na divisão dos pesos médios ( 84kg ).
O lutador maior sucumbiu aos atletas menores, sendo finalizado com um mata-leão.
Lembrando que esta edição do evento havia sido batizada de “Fight Circus”, o promotor Jon Nutt resolver atender ao público e concedeu uma revanche imediata dessa luta de 2 contra 1 e os atletas decidiram - literalmente – lutar outra vez, sendo que o lutador da categoria peso médio foi novamente derrotado, desta feita por “TKO” ( 20 socos sem resposta ).
 
Como premiação, o Full Metal Dojo concedeu espadas ou machados de ouro ao vencedor, enquanto os perdedores receberam um “bong” ( artefato usado para fumo de tabaco e outras substâncias, e descrito pelo anfitrião do evento como um “vaso” ) - ou ornamentos de vidro decorativos, o que não parece nada bom para se dar em um país com leis seriamente rígidas sobre a maconha.
 
Seguem agora os resultados ( créditos à Cory Braiterman ), que serão atualizados à medida que forem enviados pelos promotores do Full Metal Dojo : “Fight Circus”, evento já consagrado como o melhor show de MMA no estilo “freak show” do ano ( até o Fight Circus 2, pelo menos ).
 
Full Metal Dojo : “Fight Circus”
22 de agosto de 2020
Insanity Nightclub
Bangkok, Tailândia
 
MMA ( Regras de Trinity ) : Steven Banks venceu Sam Cassidy por decisão
MMA absoluto : Hidetaka Arato  venceu Daniel Dorrer por decisão
2 contra 1 : Bank & No Money venceram Mikhail Vetrila com um mata-leão. Também venceram a revanche imediata por TKO ( 20 socos sem resposta )
Regras de Trinity : Fabiano Hawthorne venceu Kyoken Tampiyanan por KO ( cotovelo )
Regras de Trinity : Chitnuphong Sommuttiram ( Muay Thai ) venceu Tang Mo ( Boxe ) por TKO ( chute na cabeça )
Grappling : mulher venceu homem por finalização ( mata-leão )
Lethwei ( luta feminina ) : Po Chissakan venceu Nattarat Prempida por decisão
kickfight ( Karatê vs. Muay Thai ) :  lutador de Karatê venceu lutador de Muay Thai por TKO ( chute )
MMA absoluto : Ali Mohammed venceu Ryan Donnelly por decisão
 
*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 27/08/2020
-
Foto acima : O Full Metal Dojo : “Fight Circus” e o site CamSoda anunciaram que iriam “trazer um show de horrores para você” e que as lutas estaria “oscilando na ilegalidade”. ( Créditos | Cortesia : ( C ) Full Metal Dojo | ( C ) CamSoda | Divulgação ).
 
Abaixo : Ali Mohammed venceu Ryan Donnelly em luta de MMA na categoria absoluta ( sem limite de peso ). ( Créditos | Cortesia : ( C ) Full Metal Dojo | ( C ) CamSoda | Divulgação ).
117595261 3438324666225219 8797735889915490096 o 3a01d
Foto acima : Daisuke Watanabe recebeu o prêmio de 1 milhão de ienes e o direito de aparecer na série de mangá ‘Hajime no Ippo’. ( Créditos | Cortesia : AP Daisuke Watanabe | ( C ) Dangan Boxing | ( C ) Morikawa Jouji | ( C ) Hajime no Ippo | Divulgação ).   

No sábado, dia 22 de agosto de 2020, o Korakuen Hall, “lugar sagrado” para as artes marciais no Japão, recebeu um torneio profissional de Boxe para pugilistas classe A organizado pela Dangan Boxing como parte do 30º aniversário da série de mangá e anime ‘Hajime no Ippo’ ( “Primeiros Passos” ) na Weekly Shonen Magazine ( Kodansha ).

A competição batizada de “Hajime no Ippo 30th Anniversary Featherweight Tournament” ( Torneio peso pena de 30º aniversário do ‘Hajime no Ippo’ ) foi patrocinada pela Morikawa Jouji e tinha como objetivo promover o esporte do boxe para um público mais jovem e para comemorar o 30º aniversário da famosa série de mangá. O vencedor do torneio recebeu um prêmio de 1 milhão de ienes, e como premiação suplementar, obteve o direito de aparecer na série ‘Hajime no Ippo’, obra do mestre George Morikawa.

O evento foi realizado em um ambiente único. Embora o show fosse no Korakuen Hall, o local misturava fãs em número reduzido e recortes de papelão de personagens do ‘Hajime No Ippo’, em uma tentativa de preencher o local e forçar o distanciamento social. Isso deu ao evento uma aparência estranha, mas que gostamos, e que queremos ver replicada no futuro, dado como isso realmente fez o distanciamento social funcionar, algo que falhou em alguns shows recentes de artes marciais mistas ( MMA ) e Kickboxing no Korakuen Hall.

Embora ao longo das competições anteriores houvessem 3 boxeadores estrangeiros ( da China, Coréia do Sul e Filipinas ) e 4 boxeadores do Japão participando, este ‘card’ contou com apenas 4 lutas, com 7 ‘knockdowns’ em todas e foi brilhante, com bastante ação do início ao fim.

Na luta final do “Hajime no Ippo 30º anniversáry Tournament” e portanto ‘main event’ ( ou “evento principal” ) da competição, vimos o ótimo duelo entre os pugilistas Daisuke Watanabe ( 11-4-2,6 ) e Shingo Kusano ( 13-9-1, 5 ). Morikawa e Yamada Takeshi, do JB gym, comentaram a luta que contou com transmissão ‘ao vivo’ pelo serviço de assinatura do “Boxing Raise”.

No primeiro round, Kusano começou forte, acertando golpes retos de esquerda e direita. O lutador Watanbe queria encurtar a distância, tendo sucesso no terceiro assalto. No quinto round, Watanbe levou Kusano “à lona” com um direto de direita. Os dois resistiram até o final do oitavo round, cansados. Watanbe venceu por decisão ( Julgamento 3-0 * 76-75, 77-74, 78-73 ) e após a luta comentou que tem a  esperança de ter uma chance pelo título no próximo ano.

O boxeador Watanbe levou para casa o prêmio de um milhão de ienes e conquistou o direito de aparecer no mangá ‘Hajime no Ippo’ como personagem.

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 24/08/2020

_

Foto acima : Daisuke Watanabe recebeu o prêmio de 1 milhão de ienes e o direito de aparecer na série de mangá ‘Hajime no Ippo’. ( Créditos | Cortesia : AP Daisuke Watanabe | ( C ) Dangan Boxing | ( C ) Morikawa Jouji | ( C ) Hajime no Ippo | Divulgação ).

Abaixo : O ‘pôster’ de divulgação do “Hajime no Ippo 30th Anniversary Featherweight Tournament”. ( Créditos | Cortesia : ( C ) Dangan Boxing | ( C ) Morikawa Jouji | ( C ) Hajime no Ippo | Divulgação ).

117720518 3253342238086821 3819731150414621681 n 5ca25

Foto : Shinya Aoki é ex-campeão do ONE, Dream, Shooto e WAMMA.  ( Créditos | Cortesia : ( C ) Abema TV | ( C ) ONE Championship | Divulgação ).

Após o sucesso do “Road to ONE: 2nd”, realizada dia 17 de abril, em cooperação com o ONE Championship, Abema TV, TRIBE TOKYO MMA e Sustain, agora o “Road to ONE 3rd : Tokyo Fight Night” está marcado para 10 de setembro.

O evento terá lugar no Shibuya O-East, em Tóquio, capital do Japão, e o ‘card’ contará com alguns grandes nomes da ‘terra do Sol Nascente’. Além disso, ‘kickboxers’ japoneses que desejam participar do ONE Super Series também estarão presentes.

No ‘main event’ ( ou “evento principal” ), Shinya Aoki,  coroado por duas vezes como o “rei do peso leve” do ONE Championship, lutará com Kimihiro Eto. Aoki assinou pela promoção em 2012 e é indiscutivelmente ‘a cara do MMA asiático’.

Aoki perdeu seu título no ano passado quando foi vencido ainda no round inicial de sua luta com Christian Lee em uma reviravolta impressionante. Mas, na sequência, ele se recuperou e venceu o ex-campeão dos penas, Honório Banário, no show btizado de ONE : “Century” - Parte II.

Enquanto Aoki ( 44-9-0-1 ) é uma das ‘estrelas’ mais reconhecidas na região, Eto ( 17-5-2 ) fez seu nome no ONE Warrior Series. O lutador de 31 anos vem de uma vitória por finalização sobre Amir Khan no ONE: ‘King of the Jungle’.

Apesar de ser seis anos mais velho que Eto, é Aoki - como ex-campeão do ONE, Dream, Shooto e WAMMA - o grande favorito contra um adversário que nunca conquistou um título em sua carreira de MMA.

Já o ‘co-main event’ ( ou “evento co-principal” ) apresentará dois ex-campeões do peso palha do ONE. Yoshitaka Naito ( 15-3 ), que estará voltando sedento por novas vitórias, após seu último triunfo por decisão e terá que encarar Yosuke Saruta ( 20-9-3 ), que também venceu sua última luta.

Naito está atualmente em segundo lugar na categoria, enquanto Saruta está em primeiro. Ambos os homens estão 1-1 em lutas contra o atual campeão do peso palha, Joshua Pacio, sendo que o vencedor ficará na “pole position” para uma luta válida por essa “trilogia”. Logicamente, o vencedor também lutará pelo título.

Apesar de apenas duas lutas terem sido confirmadas até agora, o ‘card’ contará com um total de 6 a 7 lutas, de acordo com o que foi divulgado na coletiva de imprensa realizada na sede da Abema TV, na segunda-feira, dia 17 de agosto. No início da coletiva, Hideyuki Hata, presidente do ONE JAPAN, agradeceu ao Sr. Yuji Kitano, Produtor Geral da Abema TV, por apoiar o evento.

Além de ser transmitido pela Abema TV no Japão, o “Road to ONE 3rd : Tokyo Fight Night” também estará disponível para visualização ‘online’ em diversas regiões por todo o mundo.

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 19/08/2020

_

Foto : Shinya Aoki é ex-campeão do ONE, Dream, Shooto e WAMMA.  ( Créditos | Cortesia : ( C ) Abema TV | ( C ) ONE Championship | Divulgação ).

Foto : O veterano atleta de MMA, Akihiro “Superjap” Fujisawa, voltou à vencer na modalidade e representou o Japão, desta feita, na Tailândia. ( Créditos | Cortesia : ( C ) ONE Championship | Divulgação ).

O ONE Championship voltou à ação na sexta-feira, 14 de agosto, com o ONE: ‘No Surrender II’, um ‘card’ híbrido com lutas de MMA, Muay Thai e kickboxing que ocorreu na Impact Arena em Bangkok, a movimentada capital da Tailândia.

Apesar disso, o evento foi realizado à “portas fechadas”, ou seja, “sem público”. Mas mesmo assim, a programação foi “ao ar” ( televisionado ) na maior parte do continente asiático, e também nos EUA, Canadá e em outras partes do mundo, que puderam assistir as lutas ‘ao vivo’ e gratuitamente no Youtube e através do aplicativo ONE Super.

O ‘main event’ ou “evento principal” contou com a primeira das duas semifinais do ONE Bantamweight Muay Thai Tournament.

O ex-desafiante ao título mundial do ONE, Saemapetch Fairtex derrotou o compatriota veterano Rodlek PK.Saenchai Muaythaigym por decisão majoritária, após três rounds de uma luta onde se viu poderosos golpes de cotovelos de Saemapetch respondidos à altura por Rodlek, que - por sua vez - mostrava o seu melhor para igualar a intensidade de seu adversário mais jovem. Os dois atletas tailandeses estão agora empatados em 2-2 em suas carreiras.

Em uma luta de kickboxing do ONE Super Series, o ‘contender’ da categoria peso galo, Mehdi Zatout, da Argélia, teve um desempenho abrangente, superando Leo Pinto, da França, durante os nove minutos de ação em que os lutadores alternaram bons momentos. No final, os três juízes marcaram a luta a favor de Zatout, que venceu por decisão unânime.

Decidido à colocar sua carreira “de volta nos trilhos”, o lutador japonês de 40 anos, Akihiro “Superjap” Fujisawa, nocauteou o especialista em Muay Thai, Pongsiri “The Smiling Assassin” Mitsatit em um das duas lutas de MMA da noite.

O atleta da terra do Sol Nascente - e vencedor do contrato do ONE Warrior Series - nocauteou o tailandês com um gancho de esquerda no final do primeiro round.

Já a estrela em ascensão do peso pena, Sorgraw Petchyindee Academy, provou ser demais para o seu oponente, Pongsiri PK.Saenchaimuaythaigym, e lutou o suficiente para vencê-lo em luta de Muay Thai, embora que por decisão dividida dos juízes.

Em outra das lutas de artes marciais mistas da programação, o tailandês peso mosca, Yodkaikaew “Y2K” Fairtex, teve uma estreia impressionante no ONE, obtendo um nocaute sobre John Shink, do Reino Unido. Yodkaikaew Fairtex foi derrubado várias vezes, mas Shink nunca conseguiu garantir o controle quando no chão. Ao voltar em pé, Yodkaikaew aumentou a pressão e conseguiu acertar um gancho de esquerda devastador que fez seu adversário cambalear em direção às cordas. Na sequência, outra esquerda do tailandês abalou Shink de vez, forçando o árbitro à interromper a luta.

Na luta de abertura, Fahdi Khaled, da Tunísia, teve uma atuação dominante contra Huang Ding, da China, em luta na categoria peso mosca, válida pelo ONE Super Series Muay Thai. Fahdi pressionou o seu adversário por todo o tempo e impediu o atleta chinês de entrar no ritmo da luta, chegando assim à vitória por decisão unânime.

ONE: “No Surrender II”

14 de agosto de 2020

Impact Arena

Bangcoc, Tailândia

Muay Thai : Saemapetch Fairtex venceu Rodlek PKSaenchaigym por decisão ( unânime )

Kickboxing : Mehdi Zatout venceu. Leo Pinto por decisão ( unânime )

MMA : Akihiro Fujisawa venceu Pongsiri Mitsatit por KO ( socos ) aos 4:55 do primeiro round

Muay Thai: Sorgraw PetchyindeeAcademy venceu Pongsiri PKSaenchaigym por decisão ( dividida )

MMA  : Yodkaikaew Fairtex venceu John Shink por KO ( socos ) aos 1:11 do segundo round

Muay Thai: Huang Ding venceu Fahdi Khaled por decisão ( unânime )

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 17/08/2020

_

Foto : O veterano atleta de MMA, Akihiro “Superjap” Fujisawa, voltou à vencer na modalidade e representou o Japão, desta feita, na Tailândia. ( Créditos | Cortesia : ( C ) ONE Championship | Divulgação ).

Foto : A americana assinou um contrato milionário com o Bare Knuckle Fighting Championship, evento presidido por David Feldman. ( Créditos | Cortesia : Acervo pessoal Paige VanZant | ( C ) Bare Knuckle Fighting Championship | Divulgação ).

Depois de terminar seu contrato com o UFC, Paige VanZant - estrela do MMA de 26 anos - optou por assinar com a maior promoção de boxe ‘sem luvas’ ou “Bare Knuckle Boxing” do mundo na atualidade.

A notícia foi divulgada em primeira mão pelo consagrado jornalista Ariel Helwani, da “ESPN americana” e confirmada por sites especializados como o “MMA Fighting” e o “Fight Bananas”, entre outros.

Após sofrer uma derrota para a brasileira Amanda Ribas na ‘Ilha da Luta’ ( UFC 251, na Ilha Yas ), no mês passado, a americana concluiu o seu contrato com o Ultimate Fighting Championship e chegou à recursar uma oferta do Bellator MMA - promoção de propriedade da ViacomCBS - preferindo assinar com o Bare Knuckle Fighting Championship ( BKFC ), show de boxe ‘sem luvas’, cujo presidente é David Feldman.

O que pesou na decisão de Paige, segundo o que vem sendo reportado pela mídia norte-americana, é que a negociação ultrapassou a marca de US$ 1 milhão de dólares, além de outros ganhos atrelados. O valor é bem superior ao que VanZant ganhava no UFC.

O contrato milionário com a promoção baseada na Filadélfia prevê que a americana faça a sua estreia no boxe ‘sem luvas’ ainda esse ano, provavelmente em novembro.

O ‘cartel’ de Paige no MMA é composto por oito vitórias e cinco derrotas, enquanto dentro do UFC foram cinco vitórias e quatro derrotas. Ela competiu no octógono como peso palha e peso mosca.

Não custa lembrar que a atual campeã da categoria feminina do BKFC, Bec Rawlings, já perdeu para VanZant por nocaute no UFC, ainda em 2016.

Curiosamente, já faz algum tempo que VanZant virou celebridade nos EUA e agora ela poderá elevar o esporte do “Bare Knuckle Boxing” à um novo patamar.
Quem pode assistir ao reality show de dança “Dancing With the Stars” - equivalente aqui no Brasil ao ‘dança dos famosos’ - sabe do seu poder junto ao público na terra do Tio Sam.

Outra prova de sua popularidade é o número de seus seguidores no Instagram ( 2.7 milhões ), mais do que Gina Carano ( 1.1 milhão ), atriz de cinema e ex-lutadora de MMA, com muito prestígio naquele país.
Por falar nisso, Paige sempre comentava que ganhava mais dinheiro com suas postagens no Instagram do que lutando no UFC ( e com certeza devia ser verdade ) ...

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 13/08/2020
_
Foto : A americana assinou um contrato milionário com o Bare Knuckle Fighting Championship, evento presidido por David Feldman. ( Créditos | Cortesia : Acervo pessoal Paige VanZant | ( C ) Bare Knuckle Fighting Championship | Divulgação ).

Foto : Tencent e VSPN assinaram um acordo estratégico com o UFC para a segunda temporada do famoso torneio do PUBG Mobile chinês, Peacekeeper Elite League ( PEL ). ( Créditos | Cortesia : ( C ) VSPN | ( C ) Tencent | ( C ) UFC Divulgação ).

A maior liga de artes marciais mistas dos Estados Unidos, Ultimate Fighting Championship ( UFC ) assinou um acordo de parceria estratégica com a editora de jogos chinesa Tencent e com o VSPN, organizadores do torneio de “eSports” ( esportes eletrônicos ) chamado Peacekeeper Elite League ( PEL ), cuja temporada ‘PEL 2020 S2’ teve início em 24 de julho.

O acordo é para pelo menos uma temporada ( três meses ), e além disso, o time que vencer o torneio receberá o mesmo cinturão que é dado aos lutadores campeões do UFC.

De acordo com o ‘post’ oficial da PEL no Weibo ( uma das redes sociais mais populares na China ) esta é a primeira vez que o UFC faz parceria com uma competição de e-sports no país asiático. Para o futuro, as duas partes planejam realizar uma nova cooperação em eventos de e-sports para PC e dispositivos móveis.

Peacekeeper Elite League é o torneio mais longo e competitivo do Game for Peace, equivalente do PUBG Mobile, na China. O nível de competição é muito alto e o valor comercial que ela traz em termos de patrocínios é enorme.

A indústria de jogos para celulares também tem crescido constantemente em todo o mundo, mas de forma mais rápida na China. A China é o país que tem gerado a maior receita de e-sports no mundo e já arrecadou US $ 7,2 bilhões nesse segmento, de acordo com relatórios do Google.

Esses fatores tornam a China um país com oportunidades crescentes para patrocinadores em todo o mundo que estão investindo nos esportes eletrônicos.

Anteriormente, a fabricante de veículos elétricos Tesla, chefiada por Elon Musk, também anunciou uma parceria com a PUBG Mobile. Como parte do acordo, o carro elétrico Tesla Model 3 será adicionado ao jogo.

VSPN disse ao ‘The Esports Observer’ que este veículo será potencialmente apresentado em partidas durante o PEL. Além disso, o comercial do “Tesla X Peacekeeper Elite” também irá ‘ao ar’ durante a liga.

Assim sendo, a parceria entre UFC e PEL parece ser uma evidência proeminente de que o futuro reserva um bom lugar para o PUBG Mobile e “eSports” ( esportes eletrônicos ) em geral.

Líder da indústria do MMA desde o seu início, o UFC mantêm um padrão de alto nível na produção dos seus programas e, ao patrocinar a liga chinesa PEL, inova e proporciona à maioria dos fãs de lutas ao redor do mundo os melhores festivais visuais um após o outro.

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 11/08/2020

_

Foto : Tencent e VSPN assinaram um acordo estratégico com o UFC para a segunda temporada do famoso torneio do PUBG Mobile chinês, Peacekeeper Elite League ( PEL ). ( Créditos | Cortesia : ( C ) VSPN | ( C ) Tencent | ( C ) UFC Divulgação ).

Foto : Amir Aliakbari fez a sua estreia no MMA no evento Full Metal Dojo 7, realizado em 2015 na Tailândia. ( Créditos | Cortesia : ( C ) Full Metal Dojo | David Ash  |  @RIZINFF  |  ONE Championship ). 

Amir Aliakbari, de 32 anos, é o primeiro atleta iraniano de classe mundial a seguir uma carreira nas artes marciais mistas. Antes de estrear no MMA, o ‘Sheik de Ferro’ - apelido pelo qual é conhecido - brilhou na luta greco-romana.

Em 2007-2008, ele competiu na Premier Wrestling League iranian  - uma liga profissional de Wrestling no Irã - e apesar de ser suspenso durante os Jogos Olímpicos de 2012 ( após ser pego em um teste ‘anti-doping’ ), ainda tornou-se um bicampeão mundial de Wrestling em 2013. No entanto, em dezembro daquele mesmo ano, foi banido para sempre da modalidade pela FILA, após uma segunda suspensão por ‘doping’ e tendo sido destituído da sua medalha de ouro.

Aliakbari fez sua estreia profissional no MMA em outubro de 2015, derrotando Hyung Chul-Lee por “TKO” no primeiro round de sua luta no evento Full Metal Dojo, realizado na Tailândia. Na época, sua carreira era gerenciada pelo empresário Mishal Abul, um investidor da Paradigm Sports Management, com quem havia assinado um ano antes.

Na sequência, ele lutou nas promoções Real Fighting Globe, Rizin Fighting Federation e ACB ( que posteriormente se tornaria ACA ), acumulando um ‘recorde’ no MMA de 10-01-0. Entre os seus adversários, destacamos as “estrelas” Heath Herring e Gerônimo “Mondragon” dos Santos. Seu único algoz até hoje foi o lendário Mirko “Cro Cop” Filipović.

Aliakbari havia assinado para lutar pelo UFC no ano passado, mas o seu contrato foi cancelado devido às atuais sanções dos EUA contra o Irã.

Agora, o lutador Persa que passou grande parte de sua carreira treinando e competindo na Ásia ( ele já lutou sete vezes no Japão ), parece destinado a passar mais tempo lutando naquele continente. Pois de acordo com o anuncio feito em 3 de agosto de 2020, ele assinou com o ONE Championship.

O iraniano é classificado como um dos melhores candidatos à peso pesado do mundo e, inclusive, já prometeu aposentar Brandon Vera, um veterano do UFC e atual detentor do título de campeão dos pesos pesados do ONE Championship.

-“Tudo o que sei na vida é ganhar ouro. É por isso que estou indo para o ONE, que me lembra os Jogos Olímpicos, é um espetáculo. Tive algumas ofertas de diferentes promoções, mas tenho alguns amigos que lutaram lá e eles me deram ótimas recomendações, principalmente sobre a forma como foram tratados. A Ásia tem os melhores fãs do mundo, e eles são muito respeitosos com os atletas e com o esporte.”-declarou o atleta, revelando as razões que o levaram à assinar com o ONE.

Em seguida, o iraniano mandou um recado para o atual campeão dos pesados da franquia :

-“Brandon Vera é um grande campeão que já existe há muito tempo, mas estou em um nível diferente. Depois que ele lutar comigo, vou deixar ele com dúvidas se ele quer lutar novamente. Nada desrespeitoso, mas só acredito que sou o melhor. Eu sou de uma raça diferente. Acredito que sou o melhor peso pesado do mundo na atualidade e vou provar isso.”-disse Amir, em recente entrevista concedida à ESPN.

O ONE Championship assinou com quatro lutadores iranianos apenas na primeira semana de agosto. Os promotores já falam em “uma invasão iraniana” e a mídia especializada questiona até onde esses atletas irão no ONE ?

Mas é fato - e todos concordam - que Amir é um lutador condecorado e apto à realizar as suas ambições.

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 10/08/2020  

_

Foto : Amir Aliakbari fez a sua estreia no MMA no evento Full Metal Dojo 7, realizado em 2015 na Tailândia. ( Créditos | Cortesia : ( C ) Full Metal Dojo | David Ash  |  @RIZINFF  |  ONE Championship ). 

Foto acima : Além de ter conquistado o título inaugural no Shooto 0801, a veterana também recebeu um cheque de 1 milhão de ienes ( US $ 9.400 ). ( Créditos | Cortesia : ( C ) Professional Shooto | ( C ) Japan Shooto Association | ( C ) ONE Championship | AbemaTV ).  
No sábado, dia 1° de agosto de 2020, o Korakuen Hall, “lugar sagrado” para as artes marciais no Japão, voltou à receber um torneio de MMA pela primeira vez em 188 dias. E como prova de que está de volta aos negócios, o Professional Shooto promoveu o Shooto 0801, que contou com a presença do público que prestigiou o evento ‘ao vivo’, além dos fãs que acompanharam a transmissão pela ABEMA TV.
 
No ‘main event’ ( ou “evento principal” ) tivemos a final do torneio do peso super átomo feminino entre as atletas Mina Kurobe ( 16-5 ), de 43 anos, e Megumi Sugimoto ( 5-2 ), de 30 anos, cuja vencedora entraria para a história de Shooto, como a campeã inaugural da categoria na promoção mais tradicional de MMA da era moderna.
 
Muitos acreditavam que o título seria conquistado por Megumi Sugimoto (AACC), pois a sua a juventude deveria prevalecer sobre a experiência de Mina Kurobe (Master Japan), mas não foi exatamente isso que aconteceu.
 
Após os primeiros minutos do round inicial, Kurobe aplicou pressão e fechou a distância com boas combinações. Sugimoto conseguiu manter a luta em pé graças a sua sólida defesa contra as tentativas de quedas da veterana, para em seguida conseguir se impor com uma “trocação” franca de socos e chutes.
 
No round seguinte, Kurobe puniu sua adversária com “boxe sujo”. Sugimoto freqüentemente se via presa na grade do ‘cage’ e, incapaz de escapar, foi atingida por joelhadas do ‘clinch’. Ainda houve nova ‘trocação’ e tentativa de movimentação com as atletas novamente presas à grade.
 
No terceiro round, Sugimoto consegue se encontrar na luta novamente e tenta até mesmo um soco “Super-Man”, enquanto Kurobe tenta um ‘single leg’ ( ataque em uma única perna ), na tentativa de levar a luta para o solo. No mais, o round foi uma repetição dos anteriores.
 
No final, a decisão foi 3-0 ( 30-27 × 3 ) para Kurobe, que venceu na decisão dos juízes e se tornou a primeira “Rainha do Shooto”, além de ter recebido um cheque de 1 milhão de ienes ( US $ 9.400 ).
 
No ‘co-main event’ ( ou “evento co-principal” ) o título de “campeão do pacifico” na categoria peso galo do Shooto foi disputado por Tatsuya Ando e Takumi Tamaru. Os atletas definiram a luta bem antes do início do segundo round, mostrando um verdadeiro show de MMA para os fãs.
Ando ( 11-2-1 ) levou o cinturão para casa após vencer Takumi Tamaru ( 11-2-1 ) por nocaute técnico (socos), ainda no round inicial.
 
Em outra luta digna de destaque, Ryohei Kurosawa ( 13-2 ) melhorou sua reputação como ‘striker’, ao desferir dois chutes sólidos nas pernas de Takamasa Kiuchi ( 15-12-2 ), além de acertar um forte golpe em sua cabeça, derrubando-o. Kiuchi ainda voltaria à luta, e sofreu novo castigo, até o árbitro intervir para salvá-lo.
 
Confira abaixo os resultados completos do “Shooto 0801” que incluem :
 
Shooto 0801
01 de agosto de 2020
Korakuen Hall
Tóquio, Japão
 
-Mina Kurobe venceu Megumi Sugimoto por decisão ( unânime ), após três rounds ( conquistou o título super átomo feminino )
-Tatsuya Ando venceu Takumi Tamaru por nocaute técnico ( socos ), primeiro round (conquistou o título peso galo do pacífico )
-Ryohei Kurosawa venceu Takamasa Kiuchi, por nocaute técnico, no primeiro round
-Hayato Ishii x Kota Onojima terminou em um empate
-Ryohei Kurosawa venceu Takamasa Kiuchi via KO, no primeiro round
 
*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 07/08/2020
_
Foto acima : Além de ter conquistado o título inaugural no Shooto 0801, a veterana também recebeu um cheque de 1 milhão de ienes ( US $ 9.400 ). ( Créditos | Cortesia : ( C ) Professional Shooto | ( C ) Japan Shooto Association | ( C ) ONE Championship | AbemaTV ).
 
Abaixo :  Flagrante da luta entre Mina Kurobe e Megumi Sugimoto. ( Créditos | Cortesia : ( C ) Professional Shooto | ( C ) Japan Shooto Association | ( C ) ONE Championship | AbemaTV ).
image 1596281314 d052c
Foto : Único brasileiro no ‘card’, Fabrício Andrade finaliza em sua estréia no ONE Championship. ( Créditos | Cortesia : ( C ) ONE Championship |  Divulgação ).

Após um hiato devido à pandemia, o ONE Championship está retomando os seus negócios aos poucos, e assim, juntando-se novamente à várias das maiores franquias de MMA do mundo, incluindo o UFC, Bellator MMA e Invicta FC. Melhor ainda, a promoção tem montado ‘cards’ de Muay Thai, Kickboxing e MMA que vem deixando os fãs mais do que satisfeitos.

Um bom exemplo foi o seu mais recente evento, o ONE: “No Surrender”, que foi realizado na última sexta-feira, 31 de julho, em Bangkok, na Tailândia, em um local vazio, sem público, mas cujo conteúdo foi transmitido ‘ao vivo’ no YouTube e em outras plataforma de “streaming”.
Além do ONE PH, ONE Sports e ONE One Sports +, o show também marcou o início da parceria do ONE Championship com a Cignal TV - a principal provedora de televisão paga nas Filipinas - e com a TV5 - uma das maiores redes de televisão aberta do país e líder nacional em inovação digital - que permitirão levar a competição à todos os telespectadores filipinos em plataformas de TV paga e de transmissão gratuita.

O acordo permitirá mostrar não apenas os eventos ‘ao vivo’, mas também uma rica biblioteca dos shows anteriores do ONE Championship em mais um passo da missão contínua da companhia em oferecer o melhor conteúdo esportivo a todos os sues telespectadores e assinantes, o que inclui a exibição de atletas filipinos do mais alto nível contra alguns dos melhores lutadores do mundo.

A novidade foi recebida com empolgação pelos atletas escalados para o ‘card’ e, com certeza, foi um incentivo à mais para a alta performance de todos ao longo da programação.

O ‘main event’ ( ou “evento principal” ) marcou a vitória de Rodtang Jitmuangnon, que manteve o seu título de campeão de Muay Thai na categoria peso mosca diante do desafiante Petchdam Petchyindeeacademy, por decisão majoritária.

Rodtang já defendeu com sucesso o seu cinturão por três vezes desde que ganhou de Jonathan Haggerty em agosto passado. Ele também venceu Walter Gonçalves em sua primeira defesa, antes de derrotar Haggerty em uma revanche.

O “Homem de Ferro” possui um recorde de 263-42-10 em sua carreira. Ele vem de 12 vitórias em suas últimas 13 lutas.

Já o ‘co-main event’ ( ou “evento co-principal” ), mostrou Petchmorakot Petchyindeeacademy defendendo com sucesso o seu título de campeão mundial de Muay Thai do ONE na categoria peso pena com uma vitória por decisão sobre o lendário Yodsanklai Fairtex.

A luta marcou a quarta vitória consecutiva de Petchmorakot, que derrotou Pongsiri PK Saenchaimuaythaigym na disputa pelo título inaugural da categoria dos pesos penas em fevereiro.

Ele melhorou seu recorde na carreira profissional para 162-34-2 com o resultado de sexta-feira.

Já Superbon Banchamek lutou sob as regras do Kickboxing na categoria peso pena e venceu Sitthichai Sitsongpeenong por decisão unânime dos juízes, naquela que foi a sua décima vitória consecutiva desde junho de 2018.
A luta da última sexta-feira também foi a terceira entre Superbon e Sitthichai ( ambos lutaram anteriormente em duas ocasiões em 2016 ).

Também em ação na grande noite, a estrela multi-esportiva Stamp Fairtex - que deixou vago o título de campeã mundial de Kickboxing na categoria peso átomo do ONE conquistado diante de Janet Todd em fevereiro - voltou ao MMA colocando seu recorde perfeito em disputa contra Sunisa Srisen.

Após acumular três “KO’s” nos rounds iniciais em suas últimas lutas, Stamp Fairtex repetiu o feito e venceu sua adversária por nocaute também antes do término do primeiro round.

Único brasileiro no‘card’, Fabrício Andrade foi impressionante em sua estréia no ONE Championship ao finalizar Mark Abelardo com um mata-leão no segundo round. Foi a primeira luta do atleta do Tiger Muay Thai desde maio de 2019.

Por fim, Superlek Kiatmoo9 e Panpayak Jitmuangnon deram continuidade à sua rivalidade com um sétimo confronto de Muay Thai.
Superlek mantinha o placar de 1-4-1 das lutas anteriores e desta feita obteve a vitória por decisão unânime. O resultado marcou a primeira derrota de Panpayak desde fevereiro de 2017. 

ONE: “No Surrender”
31 de julho de 2020
Bangcoc, Tailândia

Muay Thai : Rodtang Jitmuangnon (c) venceu Petchdam Petchyindeeacademy por decisão ( peso mosca )
Muay Thai: Petchmorrakot Petchyindeeacademy venceu Yodsanklai Fairtex por decisão ( Defesa do título dos penas )
Kickboxing : Superbon Banchamek venceu Sittichai Sitsongpeenong por decisão
MMA : Stamp Fairtex venceu Sunisa Srisan por nocaute técnico ( socos ) aos 3:59 do primeiro round
MMA : Fabrício Andrade venceu Mark Abelardo por finalização ( mata-leão ) aos 1:11 do segundo round
Muay Thai: Superlek Kiatmoo9 venceu  Panpayak Jitmuangnon por decisão

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 01/08/2020
_
Foto : Único brasileiro no ‘card’, Fabrício Andrade finaliza em sua estréia no ONE Championship. ( Créditos | Cortesia : ( C ) ONE Championship |  Divulgação ).

Foto acima : A luta entre o ex-campeão mundial de boxe nas categorias dos pesos médios ( IBF ) e super médios ( WBA ), Michael Nunn ( 57 anos ), e o ‘Hall of Famer’ e ex-campeão do UFC, Pat Miletich ( 52 anos ), foi realizada no evento “Clash of Legends”. ( Créditos | Cortesia : ( C ) Quad-City Times | Monte Cox | Divulgação ).

Quando a luta de kickboxing entre o ex-campeão mundial de boxe nas categorias dos pesos médios ( IBF ) e super médios ( WBA ), Michael Nunn ( 57 anos ), e o ‘Hall of Famer’ e ex-campeão do UFC, Pat Miletich ( 52 anos ), foi anunciada no início desse ano, muita gente achou que a notícia se tratava de uma ‘fake news’ e nada mais.

Mas estes só esqueceram que a promoção havia sido anunciada pelo sempre competente Monte Cox, ex-‘manager’ de Miletich e promotor veterano que já organizou mais de 100 eventos de boxe e mais de 700 shows de MMA por todo o meio-oeste americano, quando esteve à frente de franquias do porte do Quad City Ultimate, Adrenaline MMA e Extreme Challenge, desde os primeiros dias das artes marciais mistas nos EUA.

Após alguns adiamentos, a luta foi remarcada e finalmente realizada no sábado, 18 de julho de 2020, quando o evento Miletich vs. Nunn: “Clash of Legends” teve lugar no Mississippi Valley Fairgrounds, em Davenport, Iowa.

O evento foi assistido por uma multidão estimada em torno de 3.500 espectadores, e mais de 90% destes fãs que compareceram ao local expressaram sua liberdade, recusando-se a usar máscaras ou qualquer forma de proteção facial, apesar da atual pandemia. Entre os espectadores, destacamos celebridades do porte dos ex-campeões do UFC Tim Sylvia e Matt Hughes.

Houve um total de 11 lutas e muitos lutadores locais no ‘card’, incluindo dois ex-lutadores do UFC, que fizeram suas primeiras aparições no boxe profissional.

Entre estes, gostaríamos de destacar Jeremy Horn ( 44 anos ), ex-lutador do UFC, Bellator e PRIDE, que agora está lutando em Salt Lake City. Horn conquistou uma vitória no terceiro round por nocaute técnico sobre o peso médio de 50 anos de idade, Marty Lindquist, de Blaine, Minnesota.

Também não poderíamos deixar de citar o duelo entre Jason Medina (52 anos ), que possui um cartel no MMA de 21-15-1, e Sean Huffman ( 42 anos ), cujo ‘record’ no MMA é de 22-36. Os veteranos competiram sob as regras do Kickboxing e Medina venceu por decisão dos juízes, após quatro rounds.

Mas a atração mais aguardada do “Clash of Legends” e, portanto, ‘main event’ ( ou “evento principal” ) da programção, foi a já citada luta de quatro rounds sob as regras do kickboxing entre Michael Nunn e Pat Miletich.

Iniciada a luta, os dois homens ocuparam o centro do palco, tentando devolver algo aos fãs e às “Quad Cities” ( termo que designa as cidades que estão na fronteira entre os estados norte-americanos de Illinois e Iowa ), onde os veteranos são verdadeiros heróis locais.

Os competidores provaram porque já foram considerados os melhores em seus respectivos esportes, e foi bom ver que, depois de todo o tempo fora do ringue, os fãs locais ainda os apreciam bastante.

Nunn ( 58-4, 38 KOs como lutador de boxe ) usou sua vantagem de alcance e altura de maneira eficaz para impedir Miletich ( 29-7-2 no MMA ) de chutar e mostrou alguns dos ‘dribles’ que o tornavam intocável quando ele estava no auge. Miletich acertou Nunn algumas vezes com chutes nas pernas e até o derrubou no terceiro round com um chute bem posicionado, mas não conseguiu igualar-se à eficiência dos socos de Nunn. Ao final, Nunn acabou superando o sempre corajoso Miletich, vencedo-o por decisão dividida ( 39-37, 37-39 e 40-36 ).

Miletich - o ‘kickboxer’ filho de imigrantes croatas - admitiu após a luta que, ao mesmo tempo em que está um pouco decepcionado com o resultado do duelo, também sente-se satisfeito por ter voltado à ação em seu local de nascimento, Davenport, Iowa. Vida que segue.

Quanto à Michael Nunn, apesar de não ter lutado desde 2002 por ter cumprido uma sentença de 16,5 anos de prisão por tráfico de drogas entre 2002 e o ano passado, este marcou uma ‘virada’ em sua vida e pretende “dar um gás” em sua carreira de lutador, pois logo após a luta manifestou o seu desejo de lutar com o também boxeador Roy Jones Jr, em confronto que poderá acontecer em 2021.

Michael - que também nasceu em Davenport, Iowa - mais do que pagou suas dívidas e agora é livre para fazer o que quiser com a sua vida e se ele deseja continuar lutando e ganhar “o seu pão de cada dia”, quem somos nós para lhe dizer que não?

Ambos os competidores demonstraram estar em condições físicas decentes e saíram do ringue com grandes sorrisos no rosto, felizes com os resultados dos seus esforços, em uma cena que não vemos frequentemente em esportes como o boxe.

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 29/07/2020
_
Foto acima : A luta entre o ex-campeão mundial de boxe nas categorias dos pesos médios ( IBF ) e super médios ( WBA ), Michael Nunn ( 57 anos ), e o ‘Hall of Famer’ e ex-campeão do UFC, Pat Miletich ( 52 anos ), foi realizada no evento “Clash of Legends”. ( Créditos | Cortesia : ( C ) Quad-City Times | Monte Cox | Divulgação ).

Abaixo : O público, estimado em torno de 3.500 espectadores, foi presenteado com uma luta franca do início ao fim entre os dois ídolos locais. ( Créditos | Cortesia : ( C ) Quad-City Times | Monte Cox | Divulgação ).

5f13dc443015b.image a68f9

«May 2021»
MonTueWedThuFriSatSun
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      

DMCA.com Protection Status

Go to top