Rumor : Joshua Fabia acusa Dana White de fazer sexo com lutadoras do UFC

 

Joshua Fabia, técnico do lutador Diego Sanchez e líder da organização School of Self-Awareness, acusou o presidente do UFC, Dana White, e o ‘matchmaker’ ( ou seja o “casamenteiro” ) da organização, Sean Shelby, de terem relações sexuais com lutadoras que tem contrato assinado com a franquia.
 
A acusação veio à público em sites como o ‘LowKickMMA’, ‘First Sports’ e até mesmo o ‘Sputnik international’, entre outros.
 
-“Com quantas lutadoras ele ( White ) tem relações sexuais? Com quantas lutadoras Sean Shelby fez sexo? Esta é a verdade, cara.”-disse Fabia, durante uma entrevista concedida ao jornalista John Gibson, do ‘LowKickMMA’.
 
Fabia também disse que tinha algumas evidências em vídeo para respaldar suas palavras e acrescentou que terá de publicá-las se o assunto não for abordado. 
 
-“Eu tenho que mostrar as coisas porque ninguém mais gravou nada. Ninguém mais se protegeu. Ninguém mais protegeu seu lutador.”- complementou Fabia.
 
White e Shelby ainda não comentaram as acusações. 
Lembrando que White dirige o UFC desde 2001. 
 
Fabia é conhecido por suas críticas ao UFC. Recentemente, tudo piorou, principalmente após a dispensa do atleta Diego Sanchez, que - como dito anteriormente - é treinando e gerenciando por ele.
 
Isso resultou em um telefonema com o diretor de negócios do UFC e advogado Hunter Campbell, cuja conversa foi publicada na conta oficial de Sanchez no Instagram.
 
Em 5 de maio, Sanchez disse que havia pedido várias vezes a White para encontrá-lo, mas sem sucesso. 
 
O lutador também afirmou ao ‘Sirius XM’s MMA Today’ e ao ‘MMA Fighting’ que está com medo de ser morto, pois falar dessas coisas contra a empresa está colocando-o em perigo.
 
-“Vou dizer francamente a vocês agora, eu estou com medo pela p*** da minha vida. Estou com medo que essa companhia, essa empresa de monopólio bilionária, mundial, vai vir atrás de mim. Algo pode acontecer comigo em dois anos. Talvez em um par de anos. Talvez eu bata meu caminhão. Talvez eu: ‘Oh, Diego teve uma overdose’. Alguma m*** de suicídio. Eu não sei. Mas eu não duvidaria do nível de maldade que existe nessa corporação.”- declarou Sanchez, insinuando que a organização que o empregou nos últimos 16 anos poderia atentar contra sua vida e, até mesmo, utilizar do seu poder para fazer parecer que sua hipotética morte seja causada por um acidente ou suicídio.
 
A parceria entre Sanchez e Fabia, inclusive, tem sido alvo de diversas críticas por parte da comunidade do MMA e muitos lutadores do UFC aconselharam Diego a cortar os laços com o seu ‘guru’ e fazer um favor a si mesmo, mas Diego está longe de fazer algo assim.
 
Enquanto isso, Dana White já se manifestou sobre a demissão de Diego Sanchez do UFC :
 
-“Tenho um relacionamento incrível com Diego, gosto muito dele e espero que ele esteja bem. Uma das coisas tristes que acontecem, não apenas na luta, mas nos esportes, e eu quero que você me cite sobre isso, são esses caras esquisitos e assustadores que ‘vêm de Deus sabe de onde’ e sugam lutadores ou atletas. Eles nunca fazem nenhum bem para eles. De alguma forma, esse canalha ( Joshua Fabia ) entrou na vida de Diego e o tem controlado. O cara é totalmente louco. Ele trabalhou seu caminho na vida de Diego e assumiu o controle sobre ele. Eu só quero o melhor para Diego.”-disse White ao ‘Yahoo Sports’.
 
*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 10/05/2021
_
Legenda : O treinador Joshua Fabia acusa o presidente Dana White de fazer sexo com lutadoras do UFC.
Foto acima : ( Créditos | Cortesia : ( C )  AFP 2021 | ( C )  Douglas P. DeFelice | ( C )  Getty Images | ( C )  TODAY Sports | ( C ) WME IMG | ( C ) UFC | Divulgação ).
 
Legenda : Dana White, Diego Sanchez e Joshua Fabia.
Foto abaixo : ( Créditos | Cortesia : ( C ) LowKickMMA |  ( C ) Reprodução Instagram | Divulgação ).
 
pjimage 2021 04 30T120404.379 1a5bf
 
 

Eventos do UFC podem ser suspensos novamente no estado de Nevada devido ao coronavírus

Em 10 de novembro de 2020, o governador Steve Sisolak ( D ), pediu aos cidadãos do estado de Nevada ( EUA ), que ficassem em casa por duas semanas ou o máximo possível, para retardar a disseminação do novo coronavírus ( Sars-Cov-2 ), responsável pela doença Covid-19, em meio à outro surto.
 
Mas, passados mais de 15 dias, o estado tem registrado novos ‘recordes’ em sua média móvel de novos casos relatados em um único dia, além do aumento das hospitalizações.
 
Desde então tem surgido novos ‘rumores’ nos EUA dando conta de que o governador Steve Sisolak poderia pedir o cancelamento dos eventos de MMA e de boxe em seu estado, mesmo com estes sendo realizados em ambientes fechados ( ou seja, ‘sem a presença do público’ ), como parte das ‘novas medidas’ para conter a disseminação da Covid-19.
 
Entretanto, o governador não detalhou quando faria o tal anúncio nem tão pouco quais seriam os setores mais afetados pelas novas restrições, limitando-se à dizer que o seu governo “está explorando todas as opções de mitigação disponíveis para controlar o novo surto”.
 
Sisolak disse ainda que a sua equipe está reunindo informações e trabalhando com funcionários estaduais de saúde e gestão de emergências e líderes econômicos no desenvolvimento dessas medidas e que o público “deve esperar ouvir sobre as novas decisões nos próximos dias”.
 
Mas, ao responder à outras perguntas sobre a possibilidade de manter os cassinos abertos ( onde tradicionalmente são promovidas as milionárias lutas de MMA e boxe nos EUA ) , o governador assim se manifestou :
 
-“Espero não termos que enfrentar outra paralisação econômica como na primavera, e manter algum tipo de economia aberta enquanto os cidadãos fazem a sua parte para reduzir a possibilidade de disseminação da Covid-19 em nosso estado.”-disse Sisolak, diretamente de sua residência em Carson City.
 
A possibilidade da implantação de novas restrições no estado de Nevada foram reportadas pelo jornalista Colton Lochhead, do Las Vegas Review-Journal.
 
Um novo encerramento dos shows em Nevada afetaria até mesmo o UFC e a Top Rank, líderes nos segmentos de MMA e boxe, respectivamente.
 
Na coletiva de imprensa ‘pós-luta’ do UFC 255, Dana White foi questionado pelo jornalista esportivo Kevin Iole, sobre a possibilidade do governador cancelar os próximos programas do UFC, agora que a situação da pandemia de coronavírus está piorando novamente no estado.
 
-“Nunca ouvi nada nem remotamente perto disso. Veja o que fizemos. Isso seria uma loucura.”- respondeu White.
 
Embora a solução óbvia para uma possível suspensão dos eventos esportivos em Nevada seja a transferência dos shows para Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, ( no Oriente Médio ), onde vários ‘cards’ do UFC já foram realizados nesse ano, também há rumores de que as mesmas restrições estariam sendo consideradas pelas autoridades locais, novamente devido à pandemia.
Portanto, agora, como aconteceu durante a maior parte deste ano, a incerteza reina.
 
*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 26/11/2020
_
Foto : O Governador Steve Sisolak poderá cancelar os próximos eventos do UFC no estado de Nevada ( EUA ) devido à piora da pandemia de coronavírus. ( Créditos | Cortesia : ( C ) Las Vegas Review-Journal | @KMCannonPhoto | Divulgação ). 
Foto : A americana assinou um contrato milionário com o Bare Knuckle Fighting Championship, evento presidido por David Feldman. ( Créditos | Cortesia : Acervo pessoal Paige VanZant | ( C ) Bare Knuckle Fighting Championship | Divulgação ).

Paige VanZant não renova com o UFC e assina para lutar em evento de boxe ‘sem luvas’

Depois de terminar seu contrato com o UFC, Paige VanZant - estrela do MMA de 26 anos - optou por assinar com a maior promoção de boxe ‘sem luvas’ ou “Bare Knuckle Boxing” do mundo na atualidade.

A notícia foi divulgada em primeira mão pelo consagrado jornalista Ariel Helwani, da “ESPN americana” e confirmada por sites especializados como o “MMA Fighting” e o “Fight Bananas”, entre outros.

Após sofrer uma derrota para a brasileira Amanda Ribas na ‘Ilha da Luta’ ( UFC 251, na Ilha Yas ), no mês passado, a americana concluiu o seu contrato com o Ultimate Fighting Championship e chegou à recursar uma oferta do Bellator MMA - promoção de propriedade da ViacomCBS - preferindo assinar com o Bare Knuckle Fighting Championship ( BKFC ), show de boxe ‘sem luvas’, cujo presidente é David Feldman.

O que pesou na decisão de Paige, segundo o que vem sendo reportado pela mídia norte-americana, é que a negociação ultrapassou a marca de US$ 1 milhão de dólares, além de outros ganhos atrelados. O valor é bem superior ao que VanZant ganhava no UFC.

O contrato milionário com a promoção baseada na Filadélfia prevê que a americana faça a sua estreia no boxe ‘sem luvas’ ainda esse ano, provavelmente em novembro.

O ‘cartel’ de Paige no MMA é composto por oito vitórias e cinco derrotas, enquanto dentro do UFC foram cinco vitórias e quatro derrotas. Ela competiu no octógono como peso palha e peso mosca.

Não custa lembrar que a atual campeã da categoria feminina do BKFC, Bec Rawlings, já perdeu para VanZant por nocaute no UFC, ainda em 2016.

Curiosamente, já faz algum tempo que VanZant virou celebridade nos EUA e agora ela poderá elevar o esporte do “Bare Knuckle Boxing” à um novo patamar.
Quem pode assistir ao reality show de dança “Dancing With the Stars” - equivalente aqui no Brasil ao ‘dança dos famosos’ - sabe do seu poder junto ao público na terra do Tio Sam.

Outra prova de sua popularidade é o número de seus seguidores no Instagram ( 2.7 milhões ), mais do que Gina Carano ( 1.1 milhão ), atriz de cinema e ex-lutadora de MMA, com muito prestígio naquele país.
Por falar nisso, Paige sempre comentava que ganhava mais dinheiro com suas postagens no Instagram do que lutando no UFC ( e com certeza devia ser verdade ) ...

 

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 13/08/2020
_
Foto : A americana assinou um contrato milionário com o Bare Knuckle Fighting Championship, evento presidido por David Feldman. ( Créditos | Cortesia : Acervo pessoal Paige VanZant | ( C ) Bare Knuckle Fighting Championship | Divulgação ).

Paige VanZant não renova com o UFC e assina para lutar em evento de boxe ‘sem luvas’

Depois de terminar seu contrato com o UFC, Paige VanZant - estrela do MMA de 26 anos - optou por assinar com a maior promoção de boxe ‘sem luvas’ ou “Bare Knuckle Boxing” do mundo na atualidade.

A notícia foi divulgada em primeira mão pelo consagrado jornalista Ariel Helwani, da “ESPN americana” e confirmada por sites especializados como o “MMA Fighting” e o “Fight Bananas”, entre outros.

Após sofrer uma derrota para a brasileira Amanda Ribas na ‘Ilha da Luta’ ( UFC 251, na Ilha Yas ), no mês passado, a americana concluiu o seu contrato com o Ultimate Fighting Championship e chegou à recursar uma oferta do Bellator MMA - promoção de propriedade da ViacomCBS - preferindo assinar com o Bare Knuckle Fighting Championship ( BKFC ), show de boxe ‘sem luvas’, cujo presidente é David Feldman.

O que pesou na decisão de Paige, segundo o que vem sendo reportado pela mídia norte-americana, é que a negociação ultrapassou a marca de US$ 1 milhão de dólares, além de outros ganhos atrelados. O valor é bem superior ao que VanZant ganhava no UFC.

O contrato milionário com a promoção baseada na Filadélfia prevê que a americana faça a sua estreia no boxe ‘sem luvas’ ainda esse ano, provavelmente em novembro.

O ‘cartel’ de Paige no MMA é composto por oito vitórias e cinco derrotas, enquanto dentro do UFC foram cinco vitórias e quatro derrotas. Ela competiu no octógono como peso palha e peso mosca.

Não custa lembrar que a atual campeã da categoria feminina do BKFC, Bec Rawlings, já perdeu para VanZant por nocaute no UFC, ainda em 2016.

Curiosamente, já faz algum tempo que VanZant virou celebridade nos EUA e agora ela poderá elevar o esporte do “Bare Knuckle Boxing” à um novo patamar.
Quem pode assistir ao reality show de dança “Dancing With the Stars” - equivalente aqui no Brasil ao ‘dança dos famosos’ - sabe do seu poder junto ao público na terra do Tio Sam.

Outra prova de sua popularidade é o número de seus seguidores no Instagram ( 2.7 milhões ), mais do que Gina Carano ( 1.1 milhão ), atriz de cinema e ex-lutadora de MMA, com muito prestígio naquele país.
Por falar nisso, Paige sempre comentava que ganhava mais dinheiro com suas postagens no Instagram do que lutando no UFC ( e com certeza devia ser verdade ) ...

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 13/08/2020
_
Foto : A americana assinou um contrato milionário com o Bare Knuckle Fighting Championship, evento presidido por David Feldman. ( Créditos | Cortesia : Acervo pessoal Paige VanZant | ( C ) Bare Knuckle Fighting Championship | Divulgação ).

UFC patrocina Peacekeeper Elite League, torneio chinês de eSports

A maior liga de artes marciais mistas dos Estados Unidos, Ultimate Fighting Championship ( UFC ) assinou um acordo de parceria estratégica com a editora de jogos chinesa Tencent e com o VSPN, organizadores do torneio de “eSports” ( esportes eletrônicos ) chamado Peacekeeper Elite League ( PEL ), cuja temporada ‘PEL 2020 S2’ teve início em 24 de julho.

O acordo é para pelo menos uma temporada ( três meses ), e além disso, o time que vencer o torneio receberá o mesmo cinturão que é dado aos lutadores campeões do UFC.

De acordo com o ‘post’ oficial da PEL no Weibo ( uma das redes sociais mais populares na China ) esta é a primeira vez que o UFC faz parceria com uma competição de e-sports no país asiático. Para o futuro, as duas partes planejam realizar uma nova cooperação em eventos de e-sports para PC e dispositivos móveis.

Peacekeeper Elite League é o torneio mais longo e competitivo do Game for Peace, equivalente do PUBG Mobile, na China. O nível de competição é muito alto e o valor comercial que ela traz em termos de patrocínios é enorme.

A indústria de jogos para celulares também tem crescido constantemente em todo o mundo, mas de forma mais rápida na China. A China é o país que tem gerado a maior receita de e-sports no mundo e já arrecadou US $ 7,2 bilhões nesse segmento, de acordo com relatórios do Google.

Esses fatores tornam a China um país com oportunidades crescentes para patrocinadores em todo o mundo que estão investindo nos esportes eletrônicos.

Anteriormente, a fabricante de veículos elétricos Tesla, chefiada por Elon Musk, também anunciou uma parceria com a PUBG Mobile. Como parte do acordo, o carro elétrico Tesla Model 3 será adicionado ao jogo.

VSPN disse ao ‘The Esports Observer’ que este veículo será potencialmente apresentado em partidas durante o PEL. Além disso, o comercial do “Tesla X Peacekeeper Elite” também irá ‘ao ar’ durante a liga.

Assim sendo, a parceria entre UFC e PEL parece ser uma evidência proeminente de que o futuro reserva um bom lugar para o PUBG Mobile e “eSports” ( esportes eletrônicos ) em geral.

Líder da indústria do MMA desde o seu início, o UFC mantêm um padrão de alto nível na produção dos seus programas e, ao patrocinar a liga chinesa PEL, inova e proporciona à maioria dos fãs de lutas ao redor do mundo os melhores festivais visuais um após o outro.

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 11/08/2020

_

Foto : Tencent e VSPN assinaram um acordo estratégico com o UFC para a segunda temporada do famoso torneio do PUBG Mobile chinês, Peacekeeper Elite League ( PEL ). ( Créditos | Cortesia : ( C ) VSPN | ( C ) Tencent | ( C ) UFC Divulgação ).

Participe da promoção de lançamento do serviço de “streaming” do UFC Fight Pass no Japão

Após introduzir o seu ‘Fight Pass’ em outros grandes territórios da Ásia, incluindo China e Índia, o UFC - principal organização de artes marciais mistas da atualidade à nível mundial - lançou seu serviço de “streaming” do UFC Fight Pass ‘over-the-top’ ( OTT ) no Japão, com a plataforma adaptada ao mercado local.

O anuncio foi feito hoje, quarta-feira, 22 ( horário local ), pelo Escritório de Relações Públicas do UFC no Japão.

O UFC Fight Pass no Japão apresentará uma nova interface totalmente escrita em japonês, incluindo títulos de eventos, ‘cards’ de luta e descrições de programas. Os fãs de luta também poderão pesquisar usando palavras-chave no idioma nativo para acessar o conteúdo da plataforma.

Os assinantes também terão acesso à conteúdos regionais, que incluirão programas, coberturas e eventos de MMA do Japão, sempre com comentários no idioma local, que juntos ao conteúdo já disponibilizado pelo UFC, somam mais de 4.000 horas de conteúdo.

A plataforma ainda disponibilizará comentários de companheiros dos lutadores ‘ao vivo’ como os ex-atletas do UFC Takeya Mizugaki, Caol Uno, Katsunori Kikuno e Michihiro Omigawa.

Não custa lembrar que além do conteúdo sob demanda do UFC, o serviço incluirá acesso a outros eventos de MMA ‘ao vivo’ e outros esportes de combate, já que o UFC Fight Pass não é apenas para os torneios do UFC ou para o seu reality show, o “DW’s Contender Series” ou “Dana White’s Tuesday Night Contender Series-DWTNCS”, mas também para eventos que produziram muitos lutadores para o UFC, como Titan FC, Invicta FC, LFA, Cage Warriors, etc.

Além de promoções de MMA como o Pancrase e Shooto e lutas de Boxe que poderão ser vistas ‘ao vivo’ ao lado de competições de ‘Grappling’ como Quintet, SUG ( Submission Underground ), Polaris e EBI  ( Eddie Bravo Invitational ), o assinante ainda desfrutará de um vasto arquivo de eventos anteriores do UFC, incluindo todas as temporadas de The Ultimate Fighter, e eventos familiares ao Japão, como PRIDE, WEC, Strikeforce, Elite XC, WFA e outros como Super Brawl e HOOKn SHOOT, uma vez que a plataforma disponibiliza o maior arquivo de artes marciais do mundo.

O serviço ainda oferecerá vídeos em resolução 1080p e uma experiência de visualização múltipla para os usuários de desktop assistirem a várias transmissões ‘ao vivo’ simultaneamente. Os assinantes também poderão acessar o canal linear 24 horas por dia, 7 dias por semana, e terão acesso ao recurso de “downloads”, permitindo que os usuários assistam ao conteúdo ‘offline’.

Qualquer fã que se inscrever no UFC Fight Pass no Japão durante o período de quarta-feira, 22 de julho, até sexta-feira, 7 de agosto, receberá um teste gratuito de 7 dias a partir do dia de sua inscrição.

Além do plano padrão até agora, também foi definido um bom serviço chamado plano premium cujos valores são 2.799 ienes ( ou US $ 26,09 ) / mês,  e 26.889 ienes ( ou US $ 250,69 ) / ano.

Como parte do lançamento, os pacotes incluirão eventos distribuídos no formato de ‘Pay-Per-View’ e que os inscritos poderão assistir ‘ao vivo’, como o UFC Fight Island, que será realizado em Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos, no dia 26 de julho.

Você poderá se inscrever no UFC Fight Pass visitando www.ufcfightpass.com ou ao fazer o download do aplicativo UFC.

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 22/07/2020
_
Foto : O Ultimate Fighting Championship ( UFC ) lançou seu serviço de “streaming” do UFC Fight Pass ‘over-the-top’ ( OTT ) no Japão, com a plataforma adaptada ao mercado local. ( Cortesia | Créditos : ( C ) UFC | ( C ) UFC Fight Pass | ( C ) UFC Fight Island | Divulgação ).

UFC, Bellator MMA e Bare Knuckle FC anunciam eventos para os próximos meses

Apesar dos casos do novo coronavírus ainda não terem diminuído significativamente em algumas nações, alguns eventos já começaram a se mover gradualmente e, espera-se, que sejam realizados com segurança já no mês de maio.

É bem verdade que os promotores se inspiram no sucesso do Beisebol, esporte que está em pleno andamento em Taiwan - mesmo com estádios vazios - mas o maior incentivo veio mesmo do presidente americano Donald Trump.
Trump quer que as ligas esportivas profissionais dos EUA retomem as suas atividades o quanto antes.
Pois para ele, retomar a disputa desses campeonatos é de grande importância para a economia do país.

-“Nós queremos ter nossos esportes de volta, é muito importante. Estou cansado de ver jogos de beisebol de 14 anos atrás. Eu não tenho tido muito tempo para assistir. Diria que eu talvez veja um rebatedor, e aí volto ao trabalho.”-disse o presidente dos EUA.

E dessa forma, algumas promoções de lutas já estão anunciando o seu retorno para os próximos meses.

O Ultimate Fighting Championship, por exemplo, já confirmou o UFC 249 para 9 de maio, bem como outros dois eventos na sequência, todos em Jacksonville, Flórida, EUA.

A Flórida se mostrou uma opção viável para o UFC depois que a WWE ( uma companhia de lutas ‘coreografadas’ de wrestling profissional ) obteve permissão no início deste mês para continuar filmando shows no seu Performance Center, em Orlando.
O governador Ron DeSantis determinou que o Telecatch é uma “atividade essencial” e, para tanto, emitiu um pedido referente aos tais ‘negócios essenciais’, que incluía “funcionários em uma produção profissional de esportes e mídia com uma audiência nacional - incluindo atletas, artistas, equipe de produção, equipe executiva, equipe de mídia e quaisquer outros necessários para facilitar a inclusão de serviços de apoio a essa produção - somente se o local estiver fechado ao público em geral.”

Essa foi a ‘deixa’ para o UFC e embora o plano da franquia ainda seja controverso em meio à pandemia global de coronavírus, recebeu o apoio total da ESPN e do prefeito de Jacksonville, Lenny Curry.

-“O esporte desempenha um papel importante na vida das pessoas e pode trazer momentos de fuga em tempos difíceis. Estamos ansiosos para trazer o UFC aos fãs novamente.”- afirmou a ESPN em comunicado.

-“A organização do UFC é uma renomada marca de entretenimento que apresentou um plano seguro e sensato para usar esse local em Jacksonville, e estamos muito felizes por ter nossa cidade destacada nacionalmente na ESPN e ESPN +.”-acrescentou o prefeito Lenny Curry.

Além disso, o presidente do UFC, Dana White, afirmou que o seu projeto “Fight Island” ( ilha da luta, em português ) também é algo real, e que seu intuito é montar o octógono mais famoso do mundo à beira-mar já no mês de junho.

Já o presidente do Bellator MMA, Scott Coker, também revelou que planeja voltar ( à principio ) em julho, em um dos lotes de estúdios de cinema de Hollywood pertencentes a sua controladora, a ViacomCBS, em Los Angeles, Califórnia, ( EUA ), e começar com eventos fechados, sem público, pelo menos nos primeiros três ou quatro meses.

-“Queremos voltar lá o mais rápido possível, mas queremos fazê-lo da maneira certa, e no momento certo. Pois a saúde e a segurança vêm em primeiro lugar.”- adiantou o mandatário da organização.

E como não poderia deixar de ser, a maior promoção de boxe ‘sem luvas’ ou “Bare Knuckle Boxing” ( como dizem os americanos ) da atualidade também estará retornando em breve.
Quem fez o anúncio foi o próprio David Feldman, presidente do Bare Knuckle Fighting Championship ( BKFC ), em suas redes sociais :

-“Meus piores dias tentando construir meu próprio negócio são muito melhores do que meus melhores dias tentando construir o de outra pessoa.
Grandes novidades sobre o BKFC na próxima semana. O retorno.”-escreveu Feldman.

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 25/04/2020
_
Foto : O BKFC é a maior promoção de boxe ‘sem luvas’ ou “Bare Knuckle Boxing” do mundo na atualidade. ( Créditos | Cortesia : ( C ) Bare Knuckle Fighting Championship | Divulgação ).

Dana White promete organizar lutas internacionais do UFC em uma ilha particular

O UFC 249, que deve ser realizado no dia 18 de abril de 2020, anda dando muito o que falar.
O ‘card’ principal contará com uma luta pelo cinturão interino do peso leve envolvendo Tony Ferguson e Justin Gaethje, mas a localização “ultra-secreta” do show deu margem à muitas especulações.

No entanto, o presidente do UFC, Dana White, concedeu uma entrevista ontem para revelar que no curto prazo, os eventos acontecerão no mesmo local ( ainda não revelado ).

-“Eu ocultei esse local ( que sediará o UFC 249 ) por dois meses. Estamos montando uma loja lá. Vamos promover lutas todas as semanas”.-disse ele, durante a sua conversa recente com o TMZ.

Rumores nos EUA dão conta que os próximos quatro eventos do UFC poderão ser realizados no Tachi Palace Casino Resort em Lemoore, Califórnia. O resort pertence e é operado pela tribo Tachi-Yokut, e não está necessariamente sujeito a regulamentação da Comissão Atlética do Estado da Califórnia.

A arena já foi o lar do WEC e também sediou uma série de eventos regionais de MMA anteriormente. Mas é bom lembrar que essa informação não está confirmada ainda.

Por outro lado, o mandatário também afirmou que ele já tem uma ilha particular garantida para promover eventos futuros, até porque ele não deverá  conseguir levar todos os lutadores internacionais para competir nos EUA.

-“Eu tenho uma ilha particular que eu garanti. Estamos instalando a infraestrutura agora e vamos começar as lutas com atletas internacionais. Temos os nossos próprios aviões para levar tudo o que será necessário para a ilha”.-disse White à TMZ, ainda na segunda-feira.

Além de ocorrer a portas fechadas ( sem público ), White disse que serão tomadas precauções para as próximas edições do show.

-“Todo mundo vai ser testado e testado e testado. Vamos garantir que os atletas estarão saudáveis, comissão atlética saudável, juízes saudáveis, árbitros, meu pessoal de produção e todo mundo lá sejam saudáveis. Vamos garantir que todos estejam seguros antes, durante e depois das lutas.”-explicou.

O cartola está otimista, pois quando você tem o apoio financeiro da ESPN e da Endeavor, tudo é possível.

Mas ao ser questionado sobre detalhes adicionais e o local exato do UFC 249, Dana apenas disse :

-“A localização do UFC 249 é a ESPN.”-desconversou White.

Mas e para você, caro leitor ? Em qual ilha você acha que as próximas edições do UFC acontecerão ? Deixe-nos saber suas previsões nos comentários abaixo.

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 07/04/2020
_
Foto : Dana White faz revelação sensacional sobre as próximas lutas do UFC. ( Créditos | Cortesia : ( C ) Ultimate Fighting  Championship | Endeavor | ESPNMMA | TMZ Sports ).

Rebel FC quer misturar lutas nos estilos do UFC ( MMA ) e WWE ( Telecatch )

Quando se trata de artes marciais mistas ( MMA ) na Ásia, a luta pela supremacia parece estar entre o ONE Championship e o Rizin FF.

Fundado em Cingapura, em maio de 2013, o Rebel Fighting Championship ( “Rebel FC” ) é umas das principais companhias do gênero e tem como um dos seus principais objetivos trazer as artes marciais de volta ao seu local de nascimento - a China.

O último evento do Rebel FC, realizado na Rússia, no dia 11 de janeiro, foi o primeiro da franquia na Europa, com um público de 5.300 pessoas no Soviet Sports Hall, além do recorde de mais de 25 milhões de visualizações em plataformas de TV e ‘online’ na China.

Tudo isso é um bom presságio para a oferta pública inicial pendente do Rebel FC na Nasdaq. Justin Leong, 34 anos, CEO da promoção, está buscando levantar entre US $ 15 e 20 milhões.

Mas a dominação do mundo ou ser reconhecido globalmente ainda não está na cabeça de Leong. Ao menos por enquanto.

A ambição agora é reinar supremo na região, começando na China, país que ele acredita ser o lar do próximo ícone do MMA.

-“O talento, o público e a infraestrutura de mídia - a China tem tudo isso. Acredito que o futuro campeão mundial venha da China. O público na China está faminto por esses shows e queremos nos consolidar lá. A idéia é vencer na China e depois tornaremos a nossa marca global.”-disse Justin Leong.

Para tanto, a aposta do mandatário está em diversificar o seu produto.
-“Estamos procurando descobrir nossa própria identidade e ‘nicho’ neste mercado, sendo uma mistura de WWE ( World Wrestling Entertainment ) e UFC ( Ultimate Fighting Championship ).”-explicou ele, em entrevista concedida ao The New Paper, na sede do Rebel FC, no The Plaza, em Beach Road.

O objetivo é o lançamento de um ‘reality show’ na China chamado ‘People’s Champion’ ( ou “Campeão do Povo”, em português ) onde os lutadores treinam e competem para se destacar no ‘cage’ e conquistar os corações do público.

Através da competição, que será aberta aos lutadores da região, incluindo Cingapura, o Rebel FC estará procurando descobrir a próxima “superestrela” asiática das artes marciais, com o vencedor do ‘People’s Champion’ ganhando um longo contrato de luta e um pé na indústria de entretenimento da China.

-“As lutas ainda serão verdadeiras ... mas queremos que os lutadores tenham talento e elementos para contar histórias. Nosso modelo é de muita luta. Acreditamos que os lutadores precisam lutar e se divertir. Se as pessoas querem assistir aos melhores lutadores, eles  sintonizam no UFC. Então, você precisa fornecer algo diferente. Durante o programa, espero que, quando pensarmos em MMA na China ou na região, pensaremos em Rebel FC. Principalmente, queremos oferecer uma plataforma para os ginásios e lutadores.”-continuou o mandatário.

Esse empreendimento inovador só será possível graças à parceria com o famoso produtor e diretor de programas de esportes de combate da China, Sr. Zhang Nan, que faz parte da Qinghai Satellite Television, uma forte rede de televisionamento por satélite que tem 20 milhões de telespectadores e foi classificada como a principal plataforma de transmissão de esportes de combate na China em 2018.

O Rebel FC se tornará assim a primeira empresa de Cingapura e país do Sudeste Asiático a produzir e transmitir um reality show de MMA na China.

Mas as novidades não param por aí.

Leong apontou o sucesso das lutas de boxe amador entre celebridades como a dos ‘YouTubers’ KSI e Logan Paul como um exemplo da mudança de cenário do público da luta.
A primeira luta entre KSI e Logan Paul em agosto de 2018 atraiu um público de 1,2 milhões de assinantes no pay-per-view.

A revanche teve uma melhor aceitação do pay-per-view na Grã-Bretanha do que a luta dos pesos pesados entre Anthony Joshua e Andy Ruiz Jr., em junho passado.

-“Isso mostra o apetite por entretenimento e lutas. Poderíamos até ter uma luta de um ‘CEO de um evento’ contra o ‘CEO de outro evento’. Queremos ter novas idéias. As outras promoções são mais focadas no esporte e acreditamos que queremos seguir mais uma rota de entretenimento.”-Leong destacou.

Embora ainda existam alguns detalhes para serem resolvidos, Leong revelou que já estava em negociações com os principais parceiros da China e espera lançar o ‘reality show’ até o final do ano.

Ele também compartilhou que o show seria modelado após a competição de canto popular, “The Voice”, bastante popular naquele país.
O dirigente também mantêm a esperança que astros do cinema de ação como Jackie Chan e Donnie Yen possam atuar como juízes do ‘People’s Champion’.

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 23/01/2020
_
Foto : Justin Leong, CEO do Rebel FC, pretende lançar um ‘reality show’ chamado ‘People’s Champion’ até o final do ano. No flagrante, ladeado por Antonio “Bigfoot” Silva e Liu Wenbo. ( Créditos | Cortesia : REBEL FC | China Daily ).

ONE e UFC disputam a liderança mundial dos esportes de combate

Com a derrocada do Pride FC no longínquo ano de 2007, a cena das artes marciais mistas mudou-se para o mundo ocidental e com isso, o Ultimate Fighting Championship tornou-se, inquestionavelmente, o rei das promoções de MMA.

Agora, esse posto está novamente em risco, uma vez que o surgimento do ONE Championship ( no leste , onde a promoção oriental é ainda mais dominante ), tem incomodado cada vez mais o gigante ‘yankee’.

Com a sua ascensão meteórica à proeminência nos últimos sete anos, o ONE Championship aparentemente tem pressionado “os botões certos” para estabelecer-se como um rival viável para o seu homólogo ocidental.

Na Ásia, o ONE já é a maior organização de artes marciais mistas da atualidade. Uma das missões da promoção tem sido unir os 4 bilhões de habitantes do continente nos ombros das muitas conexões do país com as várias disciplinas de artes marciais, por isso que o fã verá cada vez mais lutas de Muay Thai versus Tae Kwon Do, ou Tae Kwon Do versus Kung Fu, entre muitas outras combinações.

A estratégia é válida, uma vez que em seus planos de expansão pelos demais países daquele continente, a franquia tem procurado enfatizar o caminho do guerreiro, a integridade, a humildade, a honra, o respeito, a coragem, a disciplina e a compaixão, tão presentes nas artes marciais originárias das mais variadas culturas asiáticas.

Ainda perseguindo esse objetivo e como forma de diversificar o seu produto, a promoção também lançou o ONE Super Series ( kickboxing ) e o Rich Franklin’s ONE Warrior Series.
Mas as ambições de Chatri Sityodtong, o CEO do ONE, não param por aí e o cartola já almeja até mesmo a inclusão do MMA nas Olimpíadas.

Foi com essa finalidade que ele se associou à GAMMA ( Global Association of Mixed Martial Arts ), um órgão independente para o esporte de artes marciais mistas e que, assim como o ONE Championship, também compartilha os mesmos valores listados acima.
Com o alinhamento de valores e visão, que são muito semelhantes ao espírito dos Jogos Olímpicos, o ONE e a GAMMA esperam conseguir o reconhecimento do COI ( Comitê Olímpico Internacional ), no futuro.

-“O UFC é uma espécie de ‘versão americanizada’ do que realmente são as artes marciais, e a forma como o show é promovido na América parece ser uma ‘preferência pessoal’ de Dana White”-insiste Sityodtong.

Enquanto isso, na América do Norte, Dana White já prometeu anúncios ‘sensacionais’ nos próximos meses quando mostrará ao mundo o futuro dos combates. Comenta-se nos bastidores que Dana ainda insiste no plano de entrar no mundo da promoção das lutas de boxe.

Os rumores acerca da Zuffa Boxing ( uma companhia de esportes especializada na promoção do boxe ) foram iniciados logo após o UFC ter sido comprado por mais de 4 bilhões de dólares pelo grupo WME-IMG ( agora Endeavor ).

Com o UFC ramificando-se no mundo do boxe, Dana poderá fazer pela Zuffa Boxing o mesmo que fez pelo UFC, ou seja, transformar a companhia em uma das maiores propriedades esportivas do mundo. O feito poderia reacender o interesse pela “nobre arte” em todo o planeta.

Para que os pugilista voltem à ganhar muito dinheiro e trazer toda a energia e vida de volta ao boxe, Dana aposta em confrontos entre alguns dos melhores boxeadores da atualidade e já estaria trabalhando nos bastidores para a promoção de uma luta entre ícones como Anthony Joshua e Deontay Wilder, ou entre um destes e Tyson Fury, conforme relatou o mandatário em uma entrevista concedida para a CNN Sport, no final do mês passado.

Ainda segundo comentários de jornalistas especializados e declarações do próprio Dana, ele poderia estar se movimentando em direção ao mundo do boxe após o verão.

-“Estarei fazendo todos os meus movimentos de boxe depois deste verão. Quando este verão acabar, você ouvirá muito sobre o que eu estou fazendo no esporte do boxe”.-declarou Dana, nos fazendo crer que não teremos que esperar muito pouco para vermos como ele planeja fazer isso.

Uma outra possibilidade é que o interesse por outras modalidades combativas poderá se intensificar, posteriormente, se a concorrência com o ONE Championship continuar.
Lembrando que shows de Muay Thai e Lethwei já são transmitidos pelo UFC Fight Pass, um serviço de assinatura digital líder mundial para esportes de combate.
O UFC também chegou à um novo acordo com o Fight Sports Asia ( do Grupo Henimo ), uma marca dedicada a elevar os esportes da Ásia em nível global, sedimentando a sua presença no principal mercado do ONE.

Por outro lado, se o UFC ainda mantém uma forte pressão sobre a atenção dos fãs ocidentais de MMA, é lógico que a organização está prosperando, mas o ONE não fica atrás e também está lutando para manter a sua região, além de estar avançado igualmente pelo globo.

Os fãs podem até torcer para que um dia possamos ver um evento de promoção cruzada entre os principais campeões de cada organização.
Mas a história das organizações de MMA ( desde o seu surgimento até os dias de hoje ) tem nos mostrado que isso é uma fantasia e a beligerância deverá continuar.

Assim sendo, essa disputa entre os gigantes do MMA ainda nos reservará muitas surpresas para o futuro, até que haja um vencedor.

Mas e você, caro leitor ? Acredita que será o ONE ou o UFC à se consolidar como a maior promoção de lutas no futuro ?

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 21/05/2019
_
Foto : Chatri Sityodtong e Dana White. ( Cortesia | créditos : fotos de Brandon Magnus / Zuffa LLC / Zuffa LLC via Getty Images e ONE Championship ).

«May 2021»
MonTueWedThuFriSatSun
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      

DMCA.com Protection Status

Go to top