Saúde

Saúde (15)

Aichi e Gifu continuam com tensão no sistema médico

Embora tenha havido queda nos novos casos diários de pessoas infectadas pelo coronavírus, por 7 dias consecutivos, é preciso reduzir ainda mais.

Na quinta-feira (27) foram 393 testados positivo para o novo coronavírus em Aichi, em queda pelo sétimo dia consecutivo.

Em Gifu foram 70 e em Mie foram 27, em queda pelo nono e oitavo dias consecutivos, respectivamente.

A taxa de ocupação dos leitos pelos enfermos com Covid-19 é 62% em Aichi e 63% em Gifu.

Embora o número diário de pessoas infectadas esteja diminuindo, o de enfermos graves continua elevado. São 99 em Aichi, o maior de todos os tempos, 21 em Gifu e 14 em Mie.

Fonte: Tokai TV

Hamamatsu: estado de vigilância pelo aumento da infecção entre jovens e estrangeiros

A cidade declarou seu próprio estado de vigilância devido ao aumento de pessoas infectadas após o feriado da Golden Week.

O prefeito da cidade de Hamamatsu (Shizuoka), Yasutomo Suzuki, anunciou que após o feriado da Golden Week o número de pessoas infectadas foi elevado, de 553 até quarta-feira (26).

Por isso, declarou o próprio estado de vigilância, pedindo aos cidadãos “mais cautela do que até agora, principalmente para não contagiar a família”.

Essa declaração não solicita a redução do expediente comercial mas tem o pedido aos cidadãos de abstenção para se deslocar desnecessariamente ou sem urgência para as 10 províncias sob estado de emergência ou 8 sob medidas prioritárias.

O que chama a atenção é a proporção de novos casos de infecção entre adolescentes e jovens na faixa de até 20 anos, bem como entre os estrangeiros da cidade, após o feriado.

A proporção dos jovens testados positivo entre 7 e 26 deste mês é de 40%, o dobro em relação a dezembro do ano passado. Em relação aos estrangeiros, até o final de abril ficava na casa dos 10% mas aumentou repentinamente para 25% nesse período pós-feriado.

Como medidas preventivas em relação aos estrangeiros, a prefeitura irá providenciar materiais informativos em diversos idiomas, além de pedir cooperação para as empresas que os empregam.

Fontes: Shizuoka Shimbun e TV Shizuoka

Falências no Japão relacionadas à pandemia chegam a 1,5 mil

As falências poderiam aumentar ainda mais agora que um terceiro estado de emergência para Tóquio e outras áreas deve ser estendido.

Novos números revelam que 1,5 mil empresas no Japão faliram devido à pandemia de coronavírus desde fevereiro do ano passado.

A companhia de pesquisa de crédito Teikoku Databank diz que estas empresas ou já declararam falência ou fecharam em preparação para procedimentos de liquidação.

A indústria de restaurantes vem sendo a mais prejudicada, com 250 negócios falindo, seguida pela área da construção com 140 e hotéis com 89.

Totais mensais vêm aumentando desde janeiro, quando o segundo estado de emergência pelo coronavírus iniciou na Grande Área de Tóquio.

Segundo o Teikoku Databank, os efeitos sobre o setor de restaurantes e de hotéis estão se espalhando para indústrias relacionadas. Quando um hotel encerra operações, contratantes de pequeno e médio porte especializadas em reparos e trabalho elétrico também tem que fechar.

A companhia de pesquisa acrescenta que o número de falências no Japão poderia aumentar ainda mais agora que um terceiro estado de emergência para Tóquio e outras áreas deve ser estendido.

Fonte: NHK

Japão: preocupação com a cepa indiana, cuja taxa de infectividade é 1,5 vez maior

Além de mais contagiosa e letal, a variante indiana pode substituir a britânica em pouco tempo.

Na quarta-feira (26), Takaji Wakita, diretor do NIID-Instituto Nacional de Doenças Infecciosas, disse que é altamente provável que os vírus mutantes no Japão sejam substituídos pela cepa indiana, daqui em diante. 

Atualmente, a maioria dos vírus mutantes no Japão é da variante britânica.

O diretor Wakita afirmou em uma reunião sobre novas medidas contra a Covid-19, realizada no MHLW-Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar,  que a taxa de infectividade da variante indiana é “cerca de 1,5 vez maior” do que a do tipo britânico.

Portanto, é altamente provável que no Japão, a variante britânica seja substituída por essa de mais infectividade, ou seja, mais contagiosa.

No Japão já foram confirmadas 29 pessoas infectadas por essa variante da Índia, em 7 províncias até 24 deste mês. O aumento foi de 3 vezes em relação à semana anterior.

O maior número de pessoas infectadas com cepas indianas foi de 6 em Chiba e em Osaka. Em seguida, foram 5 pessoas em Tóquio e em Shizuoka. Além disso, houve relatos de 4 pessoas em Hyogo, 2 em Kanagawa e 1 em Hiroshima.

Assistência médica para outros pacientes poderá ser afetada

O tipo indiano pode enfraquecer o efeito da vacina contra o novo coronavírus, por isso, Wakita destacou que é importante fortalecer o sistema de monitoramento e identificar as pessoas infectadas o mais rápido possível.

Em áreas como Tóquio e Osaka, um mês após a emissão da declaração do estado de emergência, o número de pessoas infectadas diárias está diminuindo.

Por outro lado, os casos diários em Hokkaido e Okinawa continuam altos. O número de pessoas gravemente doentes em todo o país continua a aumentar e há preocupações de que o sistema de provisão de assistência médica ficará muito restrito.

Fontes: ANN e Nikkei

Covid-19: Japão aumentará incentivos financeiros para clínicas administrarem vacinas

A ação ocorre quando o país corre para melhorar seu lento programa de inoculação.

O governo japonês aumentará incentivos financeiros para clínica administrarem vacinas contra Covid-19 e vai considerar expandir o número de profissionais da saúde para técnicos de laboratórios clínicos e paramédicos permitidos a aplicarem as doses, disse seu principal porta-voz na terça-feira (25).

A ação ocorre quando o país corre para melhorar seu lento programa de inoculação.

O Secretário-Chefe do Gabinete, Katsunobu Kato, disse em uma coletiva de imprensa que o governo aumentará os pagamentos de ¥2.070 que as clínicas recebem atualmente para cada dose de vacina contra Covid-19 que elas administram para ¥4.070 a instalações que aplicam 100 ou mais doses por semana ao longo de 4 semanas, e para ¥5.070 àquelas que administram 150 ou mais doses.

Clínicas e hospitais que administram 50 doses ou mais por dia receberão ¥100.000 por dia e serão mais recompensados por despachar médicos e profissionais da enfermagem a outras instalações onde falta pessoal.

Paramédicos e técnicos de laboratórios clínicos se juntam a dentistas na lista de profissionais da saúde que poderiam ser autorizados a aplicar vacinas.

Farmacêuticos, os quais Kono sugeriu anteriormente que também poderiam ser chamados, e técnicos radiológicos, atuarão em papéis de suporte como monitoramento de pessoas que recebem doses, observando efeitos colaterais, disse Kato.

Fonte: Japan Today

Governo considera aprovar a venda da pílula do dia seguinte nas farmácias

O comprimido chamado também de contraceptivo de emergência ou de prevenção da gravidez, poderá passar a ser vendido nas farmácias.

O Levonorgestrel pode evitar a gravidez, até certo ponto, se ingerido pela mulher, dentro de 72 horas após a relação sexual. No entanto, ainda é preciso uma receita médica para adquiri-lo, por isso, a mulher tem necessidade de consultar um ginecologista.

Quatro anos atrás, o mesmo grupo de estudo discutiu se permitiria a venda nas farmácias, mas como a educação sexual no Japão é atrasada em comparação com a Europa e os Estados Unidos, supôs-se que não há compreensão suficiente sobre os anticoncepcionais pelos alunos.

Depois disso, a situação mudou. Desde o ano retrasado, cerca de 9 mil farmacêuticos treinados começaram a prescrever a pílula do dia seguinte em atendimento online. Assim, o governo decidiu instalar novamente o grupo de estudos para ampliar a discussão.

Fonte: NHK

Covid-19: 85 pessoas morreram após a vacinação

O Ministério da Saúde reportou que, dentre as 6 milhões de pessoas vacinadas, 85 morreram após a vacinação.

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar (MHLW) revelou na quarta-feira (26) que 85 pessoas, entre 25 e 102 anos de idade, morreram após a vacinação. Até o momento, cerca de 6,02 milhões de pessoas receberam a vacina no Japão.

Segundo o relatório do ministério, 78% dos mortos são idosos com mais de 65 anos. Os principais sintomas fatais após a vacinação foram hemorragia cerebral e insuficiência cardíaca.

O ministério não esclareceu a relação da vacinação com as mortes, e disse que não era possível avaliar detalhadamente por falta de informações.

Dentre as pessoas vacinadas até o dia 16 deste mês, foram confirmados 146 casos de choque anafilático, o equivalente a 1 em 49 pessoas vacinadas.

Fonte: NHK

Mais 3 clusters em Gifu, incluindo um em academia de artes marciais

A província vem apresentando diminuição dos novos casos de infecção nos últimos 6 dias, mas os clusters não param.

Na província de Gifu testaram positivo para o novo coronavírus 73 pessoas, incluindo crianças, na quarta-feira (26). Assim, a soma cumulativa aumentou para 8.321 pessoas infectadas.

Foram confirmados mais 3 clusters de infecção, entre esses, instalação de bem-estar para idosos e em uma academia de artes marciais em Mizunami.

Embora o número de novos casos tenha vindo em queda nos últimos 6 dias, inferior a 100, a taxa de ocupação dos leitos está em nível preocupante, de 67%.

Fonte: Tokai TV

Quarta-feira: 4,5 mil testam positivo

Embora no geral o número de novos casos venha em queda, ainda há províncias onde continua o aumento.

Foram confirmadas 4.536 pessoas com resultado positivo para o novo coronavírus, na quarta-feira (26), em 46 províncias, incluindo 10 passageiros nos aeroportos. A única província com 0 casos foi Tottori.

A soma cumulativa aumentou para 730.391 pessoas infectadas.

Nas 10 províncias sob estado de emergência, continuam elevados os números em Hokkaido e Okinawa, com 551 e 302, respectivamente. Foram 743 em Tóquio, 81 em Quioto, 140 em Hyogo, 331 em Osaka, 82 em Okayama, 11 em Ehime, 166 em Hiroshima e 445 em Aichi.

Em relação às 8 sob as medidas prioritárias, foram 164 em Saitama, 123 em Chiba, 225 em Kanagawa, 36 em Ishikawa, 51 em Kumamoto, 64 em Gunma, 32 em Mie e 73 em Gifu.

Foram 8 em Shimane, 7 em Fukui, 35 em Nagano, 47 em Tochigi, 79 em Shizuoka, 42 em Shiga, entre outras.

Foi alto o número de óbitos, sendo 27 em Osaka, 17 em Hyogo, 13 em Hokkaido e em Aichi, 6 em Kanagawa, 5 em Tóquio, 4 em Chiba, 3 em Shiga e em Gunma, entre outras províncias. A soma na epidemia aumentou para 12.627 mortes.

São 1.413 enfermos graves dentre os 62.951 pacientes em tratamento.

Em contrapartida aumentou para 654.813 o número de pessoas recuperadas.

Na segunda-feira (24) foram realizados 45.738 testes PCR.

Até terça-feira (25) foram aplicadas 10.030.865 doses da vacina contra o coronavírus.

Fontes: News Digest e NHK

Variante indiana: primeiro caso em Mie e segundo em Aichi

Na região Tokai duas províncias tiveram confirmação da infecção pela cepa indiana.

Na quarta-feira (26) os governos das províncias de Aichi e Mie informaram sobre a infecção pela cepa indiana.

Em Aichi foi o segundo caso, enquanto em Mie foi o primeiro.

Trata-se de um homem, faixa dos 40 anos, que voltou da Índia na segunda quinzena de fevereiro.

No teste da Quarentena do aeroporto o resultado foi negativo para o coronavírus. Durante sua permanência em um hotel da província testou positivo e só depois soube-se que se tratava da variante indiana.

Fontes: Tokai TV e Nagoya TV

« June 2021 »
Mon Tue Wed Thu Fri Sat Sun
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30        

FreeCurrencyRates.com

Visitantes online

Contador de visitas

Today2267
Yesterday1751
This week2267
This month7944
Total7944

21-06-21
Go to top