Retorno do Legend FC promete aquecer o mercado de MMA na China

Fundado em 2009, por Mike Haskamp e Chris Pollak, o Legend Fighting Championship ( Legend FC ) se consagrou como a promoção que definiu os campeões nacionais de MMA em países da região da Ásia-Pacífico.
O evento inaugural do Legend Fighting Championship teve lugar em Hong Kong em Janeiro de 2010, em frente a uma platéia de pouco mais de 1.000 fãs. No ano seguinte, o Legend FC assinou um contrato com a City of Dreams, que viu quatro ‘cards’ serem disputados em um casino chinês de Macau.
Houve mais eventos em Hong Kong, bem como um show solitário em Kuala Lumpur em abril de 2012, que acabaria por revelar-se “o canto do cisne” da promoção para a infelicidade dos fãs de luta em Macau e Hong Kong.
Apesar de contar com transmissão internacional pela ESPN, o Legend FC optou por construir um plantel com alguns dos principais lutadores da região e com isso atrair uma legião de fãs locais, mas os patrocinadores acabaram por retirar o seu apoio.

Agora, após a série inicial da promoção que durou apenas 11 eventos, o Legend FC está de volta e realizou seu evento de relançamento no dia 15 de setembro em Guangzhou, China.
O novo presidente do Legend FC é Matthew Kwok, da Kwokman Productions, e que esteve envolvido em alguns dos maiores eventos esportivos internacionais e já produziu mídia de classe mundial para a ESPN, NBA, Fox Network, HBO Boxing e CBA na China.
O próprio Kwok é um esportista olímpico e já representou Hong Kong na natação nos Jogos Olímpicos de Sydney, em 2000.

Além de Kwok, os parceiros de negócios por trás do relançamento dos eventos e conteúdo do Legend FC têm uma extensa experiência em liderança em esportes internacionais, finanças, mídia, produção e negócios com um forte entendimento da China e envolvimento anterior com o próprio evento.
O comentarista original do Legend FC Vaughn Anderson, vai cuidar das relações públicas.
Ele é um ex-lutador de MMA profissional, treinador e agente de lutadores que contribuiu para o desenvolvimento do MMA da China por vinte anos.

É com muita alegria que noticiamos o retorno dessa que é uma das organizações pioneiras de MMA na região da Ásia-Pacífico.
Com certeza o show contribuirá para a evolução do MMA na China e dará a exposição necessária aos novos talentos daquele país, além de apresentar uma competição de MMA preocupada com a integridade dos competidores em eventos com produção impecável para um público internacional.

Isso tudo muito bom para a China, que é classificada por alguns estudiosos como a casa original das artes marciais. Para estes, os primeiros sistemas de luta e artes marciais foram introduzidos pela mítica dinastia Xia há mais de 4.000 anos.
Então não existe um lugar mais natural no mundo para o desenvolvimento do MMA, e solidificação de franquias como o Legend FC.
Além disso, os promotores do Legend FC acreditam que o MMA é uma combinação de todas as formas de artes marciais, antigas, novas, estrangeiras e chinesas.

Nesse relançamento da franquia algumas das jovens promessas do MMA competiram no ‘cage’  montado em Guangzhou, e receberam a sua premiação das mãos de Cung Le ( ex-técnico do TUF China ) e Zhao Zilong ( o “Rei do Sanda” ).
Cung Le também foi um analista especial na grande noite, contribuindo com os comentários de Patrick Kinghorn durante as lutas.
Além de lutas casadas em categorias de peso distintas, o ‘card’  foi composto por 2 torneios eliminatórios de 4 homens nas categorias 61 kg e 80 kg , vencidos por Li Siyi e Chen Zhikang, respectivamente.

Após as lutas desse Legend FC 12, os promotores prometeram outro evento ainda em 2018. Para 2019 o Legend FC planeja realizar um total de oito eventos.
Os promotores garantiram ainda que o seu foco continuará sendo a China, inclusive Hong Kong, Macau e Taiwan, com a distribuição dos seus eventos para o público de todo o mundo.

Confira abaixo os resultados completos do Legend FC 12 :

Legend FC 12
15 de setembro de 2018
Tinhe Arena
Guangzhou, China

Evento Principal
Tian Xi 袭 袭 (Chongqing GFT Fight Club)
derrotou
He Nannan 贺楠楠 (ET Fight Club)
por decisão unânime

Final do torneio de 61 kg
Li Siyi Derrotou Chen Jie por TKO, R1 0:34

Final do torneio de 80 kg
Chen Zhikang Derrotou Yu Jianhong por TKO, R1

Luta casada 68 kg 
Yuan Chunbo 袁春波 (Harbin Long Yun Fight Club)
Derrotou
Yi Zha 扎 扎 ( Enbo Fight Club)
por Submissão, bloqueio de calcanhar, R1 2:43

Luta casada  66 kg
Du Lile都力勒(CTT)
Derrotou
Liu Lianjie刘连杰(Beijing Ju Niu Fight Club)
por decisão dividida

Luta casada 70 kg 
Zhong Qingna 亚 庆 亚 (Up Team Fight Club)
Derrotou
Zhao Wenwen 稳稳 稳稳 (Chongqing FBK Fight Club)
por TKO, R1 1:40

Torneio de 4 homens-categoria 61 kg
Li Siyi 李思义 (Pequim Ning Guangyou Fight Club)
Derrotou
Luo Qing 青 青 (Dragon Warrior Xangai)
por decisão da maioria

Torneio de 4 homens-categoria 61 kg
Chen Jie 陈杰 (Chongqing GFT Fight Club)
Derrotou
Wang Bingyin 印 印 (irmãos de luta)
por TKO, R2 2:57

luta reserva do torneio de 4 homens-categoria 61 kg
Wei Chenjin 金 成 金 (Jin San Jia Fight Club)
Derrotou
Zhang Youliang 张友良 (Wuyi Fight Club)
por decisão unânime.

Torneio de 4 homens-categoria 80 kg
Yu Jianhong (Foshan Hongfei Fight Club)
Derrotou
Zhang Guangqi Zh (Zheng Hao Fight Club)
por decisão unânime

Torneio de 4 homens-categoria 80 kg
Chen Zhikang 陈志康 (Zhongda Fight Club)
Derrotou
Chen Zijun 郡 子 郡 (Sheng Li Ren Fight Club)
por TKO, R1 2:51

luta reserva do torneio de 4 homens-categoria 80 kg
Chang Juncheng 诚 俊 诚 (Chongqing FBK Fight Club)
Derrotou
Yang Zhanwang 展望 展望 (Zhongda Fight Club)
por TKO, R1 0:32

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 1/10/2018
_

Foto acima : Liu Wenbo, da China, na ocasião da conquista do campeonato do peso médio no Legend FC 10, em 2012 ( Cortesia : Legend FC media ).

Abaixo : Tian Xi derrotou He Nannan no ‘Main Event’  do Legend FC 12, em 15 de setembro de 2018  ( Cortesia : Divulgação ).

2 Tian Xi defeats He Nannan

Campeonato de Jiu-Jitsu é cancelado na China após escândalo da faixa preta

A terra da seda, da porcelana, do chá, do ping-pong e logicamente do Kung Fu, também poderá se tornar a terra do Jiu-Jitsu, em breve. O Jiu-Jitsu é um esporte que tem experimentado um crescimento substancial na China, embora que à reboque da popularização do MMA naquele país asiático.

Muitos faixas pretas  estrangeiros estão ajudando a semear as sementes do BJJ no país mais populoso do mundo.

Há escolas de Jiu-Jitsu nas principais cidades de Pequim e Xangai que existem há anos. Mas a maioria dos praticantes de Jiu-Jitsu na China  ainda está nos estágios iniciais de seu crescimento na modalidade.

“Existem aproximadamente 25 a 30 faixas pretas originários do Brasil e do Japão que estão ensinando nas maiores cidades da China. Mas o primeiro faixa preta verdadeiramente chinês e graduado em seu próprio país deverá ser formado nos próximos anos”. Declarou Vinz Wong, titular de uma academia de Jiu-Jitsu na cidade de Guangzhou.

O crescimento do BJJ no país pode ser visto nos torneios. Um dos primeiros realizados por lá contava com cerca de 50 competidores.
Recentemente, um grande torneio em Hong Kong teve mais de trezentos competidores, com muitos faixas marrons e pretas de diferentes países da Ásia competindo na divisão avançada.

Alguns professores estão procurando introduzir o jiu-jitsu nas escolas elementares como uma forma de disseminar ainda mais a modalidade pelo país. A cooperação em levar as aulas de Jiu-Jitsu para as escolas poderá atrair também a atenção dos pais dos alunos, visto o fator educacional das artes marciais na formação dos jovens.

“Os estudantes chineses gostam de se encontrar na academia, conversar com amigos, trocar algumas técnicas de artes marciais e aprender a arte do Jiu-Jitsu brasileiro. A cultura das escolas é de menor rivalidade entre os alunos e estamos compartilhando o amor ao nosso semelhante ainda em  formação pela prática do Jiu-Jitsu ”. Complementou Vinz Wong.

Contudo, um recente escândalo pode vir à “abalar” a reputação da ‘arte suave’ na terra dos ‘monges guerreiros de Shaolin’. O desenvolvimento da questão em particular envolve a parte burocrática.

Para entender melhor o problema, vamos rodar o globo até completar o caminho de volta ao Brasil, país onde tudo começou.

No dia 2 de maio um faixa azul da China foi premiado com uma faixa preta honorária quando de sua viagem ao Rio de Janeiro.
O recém graduado à faixa preta também estava ajudando em tempo integral na realização do China Open, um campeonato de Jiu-Jitsu esportivo na China sob a chancela da IBJJF ( International Brazilian Jiu-Jitsu Federation ).

O atleta em questão era Cui GuoQing (崔国卿), CEO da Shanxi New Culture & Cultural Exchange Ltd. Co. (山西 新 文 源 文化交流有限公司), que recebeu a faixa preta honorária das mãos do próprio Robson Gracie, mestre faixa-vermelha 9° grau, pioneiro do Jiu-Jitsu no Brasil e segundo filho de Carlos Gracie , o fundador do  ‘Gracie Jiu-Jitsu’.

A honraria teria sido atribuída ao atleta em reconhecimento pela sua contribuição para a promoção e desenvolvimento do BJJ na China.
Ao que consta, além de concedida pessoalmente ao faixa preta honorário pelo próprio Robson Gracie, a promoção com a emissão do certificado também contou com o Grande Mestre faixa-vermelha Dr. João Carlos Austregésilo de Athayde, uma lenda viva do Jiu-Jitsu. Athayde é um 9° grau formado pelos irmãos Gracie, Carlos e Hélio.

Ainda segundo algumas fontes, Carlson Gracie Jr. ( faixa preta 5° grau  ) também esteve presente juntamente com alguns dos praticantes de brazilian Jiu-Jitsu dos velhos tempos.
Esses seriam o mestre Márcio dos Santos ( um faixa coral ), o professor Alesandro Nascimento ( faixa preta 5º grau ) e o professor Ricardo Cavalcante ( também faixa preta 5º grau ), de acordo com a biografia da academia.

Quanto ao Sr. Cui, ele está muito ciente à cerca desse assunto.
A sua paixão em gastar milhões para permitir que uma competição da IBJJF chegue à China, tem o seu fundamento ao permitir que os entusiastas do brazilian Jiu-Jitsu do seu país avancem na prática e no desenvolvimento do seu esporte e melhor ainda, entrando em contato direto com a principal entidade de promoção da modalidade até alcançarem o nível técnico para participar de uma competição de porte mundial.

Mas não houve jeito e após um protesto planejado e bem coordenado por parte da comunidade do brazilian Jiu-Jitsu da China, o campeonato acabou sendo cancelado.

A comunidade chinesa do BJJ se mantêm conectada em forma ‘online’ principalmente através do Wechat, um aplicativo para celular que permite aos usuários acessar notícias sobre eventos de BJJ realizados em diferentes cidades pelo país.

Por sua vez, as informações disponibilizadas acima são de um artigo publicado na revista chinesa Weixin.
De acordo com um outro post  ( embora isso ainda não tenha sido confirmado ), a IBJJF também não estaria satisfeita com a promoção do Sr. Cui Guoqing à faixa preta e, por isso, teria cancelado o Open da IBJJF na China.

A saber:

A IBJJF pegou corda e, a partir de agora, o China Open foi cancelado e retirado definitivamente do seu calendário pelos protestos da própria comunidade chinesa de Brazilian Jiu-Jitsu ou a competição ainda poderá retornar em uma data posterior ?

Em tempo:

Não custa lembrar que Robson Gracie é o patriarca da família Gracie e também é o presidente honorário da Federação de Jiu- Jitsu do Rio de Janeiro ( FJJERJ ), que é a mais antiga federação de Jiu-Jitsu do mundo.
Então ele possui, de fato,  poderes para outorgar a faixa preta honorária e, para muitos, o cancelamento do China Open é uma questão meramente política.

A IBJJF, por sua vez, tem como presidente Carlos Gracie Júnior, irmão de Robson. Atualmente sua sede fica em Irvine, no estado da Califórnia, EUA.
Ele é faixa vermelha e branca ( 8º grau ) em  Brazilian Jiu-Jitsu.
Carlos Gracie Júnior também é o fundador da Gracie Barra, uma rede de escolas de Jiu-Jitsu com mais de 700 afiliados nos seis continentes.

*Fonte / Créditos : Colaborador Oriosvaldo Costa

_

Foto acima : O Jiu-Jitsu tem experimentado um crescimento animador na China, embora que à reboque da popularização do MMA naquele país ( Foto por: Pixabay ).

Abaixo : O momento da graduação de Cui Guoqing (  Foto : Acervo pessoal de Cui Guoqing ).

Cui Guoqing

Cidade oferecerá cartões-presente aos residentes que forem vacinados

O cartão-presente poderá ser usado em pequenos estabelecimentos na cidade.

Uma cidade na província de Saitama anunciou que fornecerá a cada residente que receber a vacina contra Covid-19 um cartão-presente no valor de ¥1.000.

O Governo Municipal de Miyashiro separou ¥60 milhões (cerca de $570 mil) para o esquema em seu orçamento do ano fiscal de 2021.

De acordo com a divisão de saúde da cidade, cerca de 30 mil residentes com idade igual ou superior a 16 são elegíveis para receber as vacinações.

Cada pessoa imunizada receberá um “cartão-presente de agradecimento” no valor de ¥1.000, emitido pela câmara do comércio da cidade. O cartão-presente poderá ser usado em pequenos estabelecimentos na cidade.

Como as pessoas que receberem a vacina produzida pela companhia farmacêutica dos EUA, Pfizer, serão inoculadas com duas doses, elas receberão dois cartões-presente, totalizando ¥2.000.

O governo municipal está considerando oferecer os cartões-presente aos residentes nos locais de vacinação.

“Implementaremos esse esquema como projeto único a esta cidade a fim de aumentar a taxa de vacinação e vitalizar a economia”, disse um funcionário do governo.

Fonte: Mainichi

Exportações do Japão crescem a ritmo mais rápido com demanda da China

Alta pelo 2º mês consecutivo, com envios de itens a países como China e Coreia do Sul continuando a níveis altos.

As exportações de produtos do Japão tiveram crescimento em janeiro, visto que elas continuaram a se recuperar de uma crise econômica causada pelo coronavírus, levadas por demanda vigorosa da China e de outros países asiáticos, mostraram dados do governo na quarta-feira (17).

As exportações no mês reportado aumentaram 6,4% em relação ao ano anterior para ¥5,78 trilhões ($54,5 bilhões), alta pelo 2º mês consecutivo, com envios de itens incluindo equipamento para fabricação de chips a países como China e Coreia do Sul continuando a níveis altos, de acordo com dados preliminares divulgados pelo Ministério das Finanças.

O ritmo de crescimento acelerou a partir dos 2% em dezembro, quando as exportações tiveram seu primeiro aumento ano a ano em 25 meses após firmas japonesas terem enfrentado dificuldades com demanda do exterior reduzida devido à pandemia, assim como repercussões das tensões comerciais entre EUA e China.

Exportações para a China cresceram 37,5% para ¥1,23 trilhão no mês reportado, a maior expansão desde um aumento de 41,3% em abril de 2010 quando eles se recuperaram da crise financeira global. Envios para a Ásia como um todo cresceram 19,4% para ¥3,37 trilhões.

Ajudado pelas fortes exportações, o PIB expandiu em porcentagem de dois dígitos pelo 2º trimestre consecutivo após um salto anualizado de 22,7% no trimestre anterior.

Fonte: News and Culture

« March 2021 »
Mon Tue Wed Thu Fri Sat Sun
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31        

Go to top