‘Quando tem muita mulher, a reunião demora’, diz diretor do comitê olímpico

Comentário do diretor do Comitê Olímpico faz comentário de cunho sexista e recebe diversas críticas de jornais e da população.

Na noite de quarta-feira (3), o Comitê Olímpico Japonês (JOC) realizou uma reunião online de conselho extraordinária onde 51 membros participaram. A reunião teve como tema principal a revisão das normas para a reeleição de executivos, mas também abordou a meta de aumentar para 40% a participação de mulheres na diretoria.

Durante a reunião, que foi aberta para a imprensa, Yoshiro Mori, diretor do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio, disse: “Quando tem muita mulher, as reuniões do conselho ficam longas”.

“É difícil de falar abertamente quando tem a TV aqui”, foram as primeiras palavras de Mori antes de fazer comentários classificados como sexistas. “As mulheres são muito competitivas. Se uma levantar a mão, a outra pensa que tem que falar alguma coisa. E todo mundo acaba falando”, comentou. “Se aumentarmos as mulheres na diretoria, temos que colocar limites no tempo para comentários senão a reunião ficará extensa, foi o que escutei de uma pessoa. Mas não vou dizer quem foi”, completou.

Os comentário de Mori geraram uma grande repercussão na Internet e foi noticiada também em mídias internacionais. A atitude dos outros participantes, que estavam rindo durante os comentários de Mori, também foi criticada.

A política Ren Ho, do Partido Democrático Constitucional do Japão, desaprovou a atitude de Mori e a do comitê. “É com essa mentalidade que as Olímpiadas serão realizadas”, comenta Ren Ho. “Isso é uma vergonha ao lema das Olimpíadas”, completa.

Os jornais americanos Washington Post e New York Times noticiaram o caso. “O Comitê Olímpico de Tóquio já tinha a desaprovação da maioria da população e problemas com superfaturamento das obras. Com o comentário de uma das pessoas no topo, isso gerará uma nova onda de indignação”, escreveu o Washington Post.

O New York Times noticiou que “esta é mais um dos inúmeros escândalos do ex-primeiro-ministro”, e também criticou a atitude dos outros membros que “apenas riam”.

Nas redes sociais, muitas pessoas pedem a renúncia de Mori. Em entrevista para o Mainichi Shimbum nesta quinta-feira (4), o diretor comenta sobre a possibilidade da renúncia. “Tenho que arcar com as consequências. Se muitas pessoas pedirem minha renúncia, terei que deixar o cargo”, disse.

Fonte: Mainichi.

Seiko Hashimoto é escolhida como chefe dos Jogos de Tóquio

Seiko Hashimoto ocupa o lugar de Yoshiro Mori que renunciou em meio a uma polêmica por comentários machistas.

A ex-Ministra das Olimpíadas Seiko Hashimoto disse nesta quinta-feira (18) que aceitou o cargo de chefe do comitê organizador dos Jogos de Tóquio, no lugar de Yoshiro Mori que renunciou na semana passada em meio a uma polêmica por comentários machistas.

Hashimoto se encontrou com o Primeiro-Ministro Yoshihide Suga e renunciou como Ministra das Olimpíadas, com executivos do comitê avançando para aprová-la formalmente como nova presidente.

Falando com repórteres após entregar sua renúncia como Ministra das Olimpíadas, Hashimoto, de 56 anos, disse que Suga apoia sua decisão para trabalhar em sediar jogos que serão “recebidos pelas pessoas”.

Mori, um ex-primeiro-ministro do Japão de 83 anos, renunciou na sexta-feira (12) após ser criticado no Japão e no exterior por dizer em um encontro do Comitê Olímpico Japonês em 3 de fevereiro que reuniões com mulheres tendem a “demorar” porque elas falam demais. Ele também sugeriu que o tempo que as mulheres falam precisava ser limitado.

Mori também foi criticado por tentar conduzir Saburo Kawabuchi, ex-presidente da Associação de Futebol do Japão, como seu sucessor a portas fechadas.

Fonte: News and Culture

« March 2021 »
Mon Tue Wed Thu Fri Sat Sun
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31        

Go to top