ptzh-CNenfritjakoruesvi

Items filtered by date: Quinta, 04 Março 2021

Jairo Kusunoki, brasileiro, natural da cidade de São Roque, no estado de São Paulo, começou a treinar boxe com apenas 12 anos e aos 16 já era um campeão amador no Brasil, tendo feito 19 lutas durante esse período no amadorismo.
Como tantos outros ‘decasséguis’, Jairo mudou-se para o Japão, país onde lutou boxe profissionalmente e venceu a maioria de suas lutas antes do tempo limite. Ele lutou em eventos da ‘nobre arte’ até o ano de 2011, quando passou à competir também no Kickboxing. Atualmente, Jairo Kusunoki mantem um currículo composto por 29 lutas profissionais: 0-2-0 em MMA, 6-5-1 em boxe e 11-4-0 em kickboxing. As suas 17 vitórias no profissionalismo foram todas por nocaute ou nocaute técnico.
As referências atuais ao currículo do lutador parecem deixar de fora as disputas sob o formato das ‘Custom Rules Bout’ ( ou seja, “lutas com regras personalizadas” ) uma vez que Jairo também já competiu em eventos como o Ganryujima, promovido por Sadaharu Tanikawa, um antigo produtor do K-1. Jairo lutou três vezes no ano passado, perdendo duas vezes, contra Yang Rae Yoo e Hyun Man Myung, mas entre essas duas lutas ele derrotou o famoso lutador do K-1 World GP e do Bellator Muhammad “King Mo” Lawal.
Ao longo da carreira ele lutou em promoções do porte do HEAT, RISE, Ganryujima, AFC, Legend, Kunlun Fight e principalmente Road FC. Jairo, que tem 44 anos e mede 1.80m, está no auge de sua carreira como lutador profissional. Prova disso é que ele esteve concorrendo como ‘destaque dos esportes’ no Press Award Japan 2019, disputando com outros atletas consagrados na terra do Sol Nascente.
A premiação é uma iniciativa da TV Globo internacional - cujas transmissões cessaram no Japão - em parceria com a FOCUS BRASIL, cuja missão é promover a imagem positiva do Brasil e celebrar o sucesso dos brasileiros no exterior. A próxima luta de Jairo deverá ser realizada na 45ª edição do HEAT, competição cujo presidente é o Sr. Tamio Shimura e é organizada pela Shimura Dojo.
As negociações estão adiantadas para que ele lute contra o monstro Bob Sapp, verdadeira figura “pop” no Japão, país onde esse ex-jogador de futebol americano que pesa 172kg sempre apareceu em ‘talks shows’ e comerciais de TV, além de filmes, propagandas no metrô, “outdoors” e publicações impressas em geral. Conhecido como “The Beast” ( ou ‘a besta’, em bom português ), Sapp mantêm um cartel de 12 vitórias, 20 derrotas e 1 empate como profissional de MMA.
Já no Kickboxing, seu registro é de 12 vitórias ( 9 KO’s ) e  19 derrotas.
Ele também participou de eventos do gênero “Pro Wrestling”, modalidade conhecida aqui no Brasil como “Telecatch” ou ainda ‘luta livre’.
No entanto, vale lembrar que o contrato para a realização da luta entre Jairo Kusunoki e Bob Sapp ainda não está fechado. Quem já confirmou sua participação para o próximo ‘card’ da promoção japonesa foi o francês campeão do K-1 Jérôme Le Banner, que inclusive foi o adversário de Jairo em sua última luta no HEAT, em março desse ano.
O adversário de Le Banner no próximo HEAT também já foi confirmado. Trata-se do lutador Lim Junsu, da Coreia do Sul. Lançado em fevereiro de 2005, o HEAT é uma promoção de “Mixed Martial Arts” cujo intuito é lançar lutadores e projetá-los para o mundo inteiro em confrontos de MMA, kick boxing, Muay Thai e karatê, entre outras modalidades de artes marciais.
Os ‘cards’ da franquia estão sendo realizados continuamente em Tóquio, Osaka e mais cidades da “região central do Japão”. A 45ª edição do HEAT será realizada no dia 28 de julho de 2019 ( domingo ) e terá lugar no Nagoya Congress Center, em Aichi, no Japão. *Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 19/06/2019
_
Foto : O contrato ainda não está fechado, mas está quase tudo certo para que Jairo Kusunoki e Bob Sapp lutem na próxima edição do HEAT. ( Cortesia  | Créditos : arquivo pessoal Jairo Kusunoki | Marcos Sogabe ).

A maior promoção de mídia esportiva da história da Ásia, o One Championship ™ ( ONE ), realizou o show One : “Legendary Quest”, no sábado à noite ( 15 de junho ). As lutas tiveram lugar na Arena Baoshan, em Xangai, na China.
A competição foi um evento voltado para a China, país onde os eventos de “trocação” são mais populares que o MMA. O evento seguiu o padrão que o One Championship adota normalmente, mesclando lutas de kickboxing e MMA, como acontece no Kulun Fight, show tradicional no mercado chinês. Em luta interessante para os fãs japoneses, tivemos a estréia da ‘prospect’ Itsuki Hirata, uma menina de apenas 19 anos, invicta e considerada bem bonita para os padrões japoneses. Ela é uma ‘grappler’ agressiva, que venceu todas as suas lutas até agora por finalização, e poderá ser uma  futura estrela do esporte. Lembrando que atualmente o MMA feminino é bastante popular no continente asiático e as mulheres japonesas serão  importantes para a consolidação do One na terra do Sol Nascente.
Na luta em si, a novata japonesa foi espetacular e passou por Angelie “D’Explorer” Sabanal, das Filipinas, por finalização no primeiro round. Também tivemos a participação do brasileiro Anderson “Braddock” Silva nas regras do kickboxing, em confronto válido pelo One ‘Super Series’. O lutador vinha de um belo ‘KO’ em sua última luta pelo One. Após três rounds cansativos, seu adversário Khbabez saiu vitorioso por decisão unânime. Em outro confronto de Kickboxing válido pelo One ‘Super Series’ o astro local Zhang Chenglong impôs um nocaute destrutivo ao lutador Tyler Hardcastle ainda no primeiro round. Em luta realizada sob as regras do Muay Thai, o lutador Han Zi Hao, da China, teve uma performance espetacular, obtendo uma vitória por nocaute sobre Andrew “Maddog Fairtex” Miller,  da Escócia, já no segundo round. Já na luta de MMA válida pela categoria peso pluma, Koyomi Matsushima, do Japão e Kwon Won Il, da Coréia do Sul, travaram uma verdadeira batalha para o delírio da multidão que compareceu ao evento. Embora Kwon tenha se mostrado superior na luta em pé, Matushima mostrou habilidades superiores na luta agarrada e controlou o sul-coreano contra o ‘cage’ a maior parte do tempo, o que garantiu a sua vitória por decisão unânime. Um dos pontos altos da competição foi o ‘co-main event’, que marcou o retorno de Yoshihiro “SexyYama” Akiyama, veterano do Pride, Dream, K-1 Hero’s e UFC. Akiyama é conhecido por ser o atleta mais bem vestido e ‘estiloso’ do mundo das lutas. Mas o ex-desafiante ao título Agilan “Alligator” Thani, da Malásia, estragou o retorno da lenda japonesa quando venceu por decisão unânime. O ‘main event’ ( evento principal ) do show foi uma luta feminina de Muay Thai, entre a estrela tailandesa Stamp Fairtex, dona dos cinturões de Muay Thai e kickboxing do One, contra a campeã mundial e número 1 da Australia Alma Juniku, australiana descendente de albaneses, que vinha em  ótima fase com grandes vitórias nas últimas lutas. O primeiro round foi lento em seu início, mas não demorou muito para Juniku encontrar o seu ritmo. Foi quando a atual campeã começou à conectar as suas sólidas combinações de golpes. Contudo, foi Juniku quem acelerou o ritmo com o decorrer dos rounds. Embora tenha sido testada ao longo dos cinco rounds pela jovem estrela, Stamp Fairtex fez apenas o suficiente para vencer por decisão unânime dos juízes. Os resultados do One : “Legendary Quest”  incluem : One : “Legendary Quest”
15 de junho de 2019
Arena Baoshan
Xangai, China. CARD PRINCIPAL Stamp Fairtex venceu Alma Juniku por decisão unânime ( título mundial de Muay Thai, peso átomo feminino )
Agilan Thani venceu Yoshihiro Akiyama por decisão unânime ( MMA, peso médio masculino )
Zhang Chenglong venceu Tyler Hardcastle por nocaute ( One Kickboxing  ‘Super Series’, peso galo masculino )
Han Zi Hao venceu Andrew Miller por nocaute ( One Muay Thai ‘Super Series’, peso galo masculino )
Koyomi Matsushima venceu Kwon Won Il por decisão unânime ( MMA, peso pena masculino )
Tarik Khbabez venceu Anderson Silva por decisão unânime ( One Kickboxing ‘Super Series’, peso meio pesado masculino )
Reinier De Ridder venceu Gilberto Galvão por TKO ( MMA, peso médio masculino )
Rodlek PK.Saenchaimuaythaigym venceu Liam Harrison por decisão unânime ( One Muay Thai ‘Super Series’ ) CARD PRELIMINAR Phoe Thaw venceu Victorio Senduk por nocaute ( MMA , peso pena masculino)
Itsuki Hirata venceu Angelie Sabanal por finalização ( MMA, peso átomo feminino )
Chen Lei venceu Anthony Engelen por decisão unânime ( MMA, categoria de peso 67,5 quilos )
Fan Rong venceu Sherif Mohamed por TKO (MMA, peso médio masculino)
Niu Kang Kang venceu Eric Kelly por decisão unânime ( MMA,   peso pena masculino )
Yoon Chang Min venceu Trestle Tan por TKO ( MMA, peso leve masculino ) *Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 18/06/2019
_
Foto : O show trouxe a disputa do título mundial de Muay Thai, na categoria do peso átomo feminino, entre a tailandesa Stamp Fairtex e a  australiana Alma Juniku. ( Cortesia | Créditos : ONE Championship | The Sun Daily ).

Como prova de que os novos donos do K-1 pretendem recuperar o ‘status’ de “maior evento de lutas em pé do planeta”, outros shows foram anunciados para este ano.
Parte do trabalho de reestruturação da marca no Japão consiste - obviamente - na continuidade dos shows da tradicional franquia e de uma aliança estratégica com outras promoções. Assim sendo, os fãs das lutas de ‘trocação’ naquele terão que acompanhar ao longo de cada temporada as edições do K-1 World GP, Krush, Khaos e K-1 amateur, uma vez que todas essas promoções fazem parte do conglomerado do “renascido” k-1, que é conduzido pela M-1 Sports Media Co. Ltd. Este trabalho consiste ainda no gerenciamento e compartilhamento de lutadores, para aumentar ainda mais a ‘sinergia’ entre cada organização do grupo. Os dirigentes também prometem a solidificação do K-1 como um negócio que possa continuar pelos próximos 100 anos. Tudo isso nos leva à crer que o K-1 está mais ‘vivo’ do que nunca. De fato, o show sequer chegou à cessar as suas atividades, como muitos acreditaram erroneamente aqui no Brasil. Já no domingo, dia 16 de junho, foi realizada em Tóquio, no Japão, uma conferência de imprensa sobre o “K-1 World GP Japan 2019”, evento que será realizado no dia 24 de agosto de 2019, um sábado. Como parte desse próximo ‘card’, foram anunciadas cinco “super lutas” envolvendo alguns nomes de peso nas lutas de ‘trocação’, entre estes, alguns atletas experientes no próprio K-1. As lutas do próximo K-1 World GP Japan 2019 incluem, entre outras : K-1 World GP Japan 2019
24 de agosto de 2019
Edion Arena Osaka
Osaka, Japão Kenta Hayashi ( Campeão dos leves do K-1 World GP )  Vs Dennis Demirukapu ( Turquia. Campeão europeu leve do IFMA )
Masami Nogi ( Campeão dos super leves do K-1 World GP )  vs Thin Slya ・ Sak Chai Cho ( Tailandês. Campeão do Rajadamnan e Lumpini Stadium )
Hideaki Yamazaki ( Campeão do Krush ) vs Hirayama  ( atleta do K-1 Gym )
Kido Yasuhiro ( Campeão do K-1 WORLD MAX 2008 ) vs Carl Donyashfiri ( da Geórgia. Campeã mundial do WMC )
KANA ( Campeã peso mosca do Krush ) vs True Yu ( Tsukishinkai Team 侍 ) Confira agora o calendário com as competições do K-1 já definidas para esse ano e programe-se : K-1 WORLD GP JAPAN 2019. Domingo, 30 de junho de 2019. Ryogoku Kokugikan. Tóquio.
K-1 KOSHIEN 2019. Domingo, 4 de agosto de 2019. Local à definir.
K-1 WORLD GP JAPAN 2019. Sábado, 24 de agosto de 2019. Edion Arena Osaka. Osaka.
K-1 KHAOS NIGHT 9. Sexta-feira, 27 de setembro de 2019. Shinjuku FACE. Tóquio.
K-1 WORLD GP JAPAN 2019. Domingo, 24 de novembro de 2019. Yokohama Arena. Yokohama.
K-1 KHAOS NIGHT 10. Sábado, 30 de novembro de 2019. Shinjuku FACE. Tóquio.
K-1 WORLD GP JAPAN 2019. Sábado, 28 de dezembro de 2019. Aichi Dolphins Arena (  Aichi ). [ P.S.: ] As datas das competições podem ser alteradas,( adiadas ou canceladas ), de acordo com as circunstâncias. *Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 17/06/2019
_
Foto : Yamazaki, KANA, Yaoi, Hayashi, Nakamura ( produtor do K-1 ), Kido, Mayu, Hirayama.  ( Cortesia | Créditos : K-1 Japan Group  |  (C) M-1 Sports Media ).

Primeira promoção de MMA do mundo à fazer doações de caridade - ajudando crianças portadoras de doenças comuns ou incuráveis e suas famílias, cobrindo os custos de cirurgias e tratamentos com o dinheiro coletado nos eventos de lutas - o Angel’s Fighting Championship realizou a sua mais recente edição no dia 10 de Junho. Batizado de AFC 12: ‘Hero of the Belt’, o show teve lugar no Sindorim Techno Mart Grand Ballroom, em Seul, capital da Coréia do Sul. O evento foi ao ar na KBS N Sports e o ‘undercard’ contou com uma série de lutas com competidores locais e internacionais. Destaque para Yulia Tuchkina, lutadora russa da categoria peso-galo que apagou a sul-coreana Myung Bo Kim com uma guilhotina em pé. Kim desabou ao solo quando a árbitra encerrou a luta, e, quando acordou, precisou perguntar o que havia acontecido. Também digna de destaque, a luta de Sasha Palatnikov entrou para a  história por consagrar o atleta como o primeiro campeão mundial de MMA nascido em Hong Kong. O lutador de 30 anos conseguiu uma vitória difícil ( decisão unânime ) e se tornou o campeão inaugural dos médios do Angel’s Fighting Championship ao passar pelo local Son Sung-won. Em outra luta bastante comentada, o peso-pena sul-coreano Han Guk Jung quase arrancou a perna do compatriota Min Gu Lee com uma impressionante chave de joelho. No ‘main-event’ ( evento principal ) do AFC 12, Song Young-Jae venceu Seo Jin-Soo no terceiro round para conquistar o título inaugural do peso-galo da organização. Mas o maior destaque de toda a programação desse AFC 12 foi mesmo o confronto entre o folclórico Hong-Man Choi ( inteligentemente usado como chamariz para o evento ) e o kickboxer húngaro David Mihajlov. Hong-Man Choi é um veterano do K-1 e do Pride, cujo currículo inclui vitórias contra Semmy Schilt, Mighty Mo, Bob Sapp e outros, conquistadas nos “anos áureos” do K-1.
Em sua excursão anterior em novembro passado, o sul-coreano enfrentou Yi Long ( futuro oponente de Buakaw Banchamek ) em uma luta de exibição, que foi sua primeira aparição dentro do ringue em dois anos.
Antes disso, Hong-Man Choi vinha de quatro derrotas seguidas contra Zhou Zhipeng, Ray Sefo, Badr Hari e Jerome Le Banner. Já o currículo de David Mihajlov inclui os duelos contra Bogdan Nastase, Marius Munteanu, Roman Shcherbatiuk, entre outros. Ele veio para essa luta com 15 vitórias em um total de 20 lutas, incluindo 9 KO ( segundo informações da mídia especializada ). Os dados pessoais dos atletas participantes dessa luta também eram curiosos ...
Choi, de 38 anos e 2,19 metros de altura, pesava 150 quilos, enquanto Mihajlov, de 24 anos, com 1,95 m, pesava 110 quilos. Ou seja, 40 kg de diferença de peso entre eles. Os promotores do Angel’s FC classificaram o confronto de Kickboxing - sancionado pelo TFN : The Fighting Network / WKN : World Kickboxing Network - como sendo um duelo “Davi vs. Golias”. E como no conto bíblico, o “Davi” venceu o “Golias”. Logo no início da luta, uma série de cruzados de esquerda desferidos pelo húngaro fez as vezes de “estilingue”, o que garantiu o nocaute sobre o gigante sul-coreano em apenas 49 segundos. Os resultados do AFC 12: ‘Hero Of The Belt’ incluem : AFC 12: ‘Hero Of The Belt’
10 de junho de 2019
Sindorim Techno Mart Grand Ballroom
Seul, Coreia do Sul. Young-Jae Song venceu Jin-Soo Seo via TKO ( Socos ) aos 3:26 do round 3
David Mykaylov venceu  Hong-Man Choi via KO ( Socos ) aos 0:49 do round 1
Sasha Palatnikov venceu Sung-Won Son via decisão unânime aos 5:00 do round 5
Han-Guk Jung venceu Min-Gu Lee via finalização aos 0:44 do round 1
Yulia Tuchkina venceu Myung-Bo Kim via finalização ( guilhotina em pé ) aos 1:34 do round 1
Jovidon Khojaev venceu Jae-Sung Oh via decisão unânime aos 5:00 do round 2
Bum-Kyu Lee venceu Deok-Jun Jang via decisão dividida aos 5:00 do round 3
Hasan venceu Kyung-Rok Kim via Decision decisão unânime aos 5:00 do round 2 *Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 13/06/2019
_
Foto : O gigante sul-coreano Hong-Man Choi antes de uma das suas lutas no K-1, o maior evento de ‘trocação’ do planeta. ( Cortesia | Créditos : K-1 Japan Group ).

No ano passado, o RIZIN FF foi destaque em manchetes por todo o mundo ao contratar Floyd Mayweather para competir no RIZIN 14, seu show de véspera de ano novo. No evento principal, Mayweather enfrentou a jovem estrela de kickboxing e MMA do Japão, Tenshin Nasukawa, em uma luta exibição programada para três rounds de boxe, vencendo-o ainda no primeiro round. Com a aproximação da véspera de Ano-Novo, o presidente do RIZIN, Nobuyuki Sakakibara, sugeriu o que podemos esperar da promoção japonesa, no final deste ano. Falando após o RIZIN 18, evento realizado no último final de semana, Sakakibara disse que está planejando algo “muito diferente” para o RIZIN 21, seu show de ‘réveillon’, algo “que não será MMA, kickboxing ou pro-wrestling, mas um novo tipo de competição”. -“Será uma nova inovação. Eu sinto vontade de criar uma nova competição que seja diferente das artes marciais mistas, kickboxing e profissional wrestling.”-afirmou o mandatário, que está entrando em contato com profissionais de artes marciais de todo o mundo para se preparar para isso. Sakakibara também afirmou ( conforme anunciado pelo jornal Tokyo Sports ), que o RIZIN 21 não envolverá Floyd Mayweather ou Manny Pacquiao. Mas ele tem conversado com Conor McGregor e Oscar De La Hoya. -“Mayweather teve uma aparição surpresa no ano passado, mas é difícil desenvolver algo novo a partir daí. Pacquiao também é um detentor de títulos ainda em atividade. Será mais interessante contribuir para a inovação das artes marciais mistas do que trabalhar com os dois boxeadores. Creio que poderemos fazer algo juntos com Connor McGregor ou Oscar De La Hoya.”-disse Sakakibara, referindo-se ao ex-campeão do UFC em duas categorias e também ao atual presidente da Golden Boy Promotions. Não custa lembrar, entretanto, que Conor McGregor está atualmente em um ‘hiato’ de competições, e também não está claro se a estrela irlandesa vai lutar novamente. Ele não entrou no ‘cage’ desde outubro do ano passado, quando foi derrotado em uma luta válida pelo título dos leves com Khabib Nurmagomedov. E embora McGregor ainda esteja obviamente sob contrato com o UFC, ele poderá ser capaz de competir em uma luta sem ‘golpes traumáticos’, à semelhança dos torneios de Submission ou Brazilian Jiu-Jítsu, embora isso ainda seja algo improvável de acontecer sem o consentimento do UFC. Nesse caso, ele poderá apenas participar do evento como um ‘convidado ilustre’. Já Oscar De La Hoya ganhou vários títulos mundiais, em seis categorias de peso como boxeador. Em 2002, ele fundou a Golden Boy Promotions.
Em 2018, o lutador de 46 anos tentou a sorte como promotor de MMA, mas quanto menos dito sobre isso, provavelmente melhor. Se for o caso de envolver McGregor ou De La Hoya - ou não - é claro que Nobuyuki Sakakibara está pensando muito “fora da caixa” para o show do  RIZIN no final do ano. Mas e você, caro leitor ? O que você acha que Sakakibara “tem na manga” para o RIZIN 21 ? *Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 22/08/2019
_
Foto : O Presidente e CEO do RIZIN, Nobuyuki Sakakibara, está em negociações com Conor McGregor e Oscar De La Hoya com vistas à uma possível aparição no RIZIN 21. ( Cortesia | Créditos : @RIZIN FF | Jornal Tokyo Sports ).

As parcerias entre promoções de MMA estão se tornando um tema quente este ano, graças a algumas iniciativas por parte de alguns eventos, tais como o ONE Championship. Agora, o JUST MMA, com sede em Hong Kong, acaba de tornar-se a mais recente promoção a fazer uma parceria no Japão, assinando um contrato com a promoção japonesa de longa data Grachan. Andrew Chan, presidente do JUST MMA, disse que o acordo abrange o compartilhamento de lutadores e pode resultar até mesmo em uma ‘promoção-cruzada’ nas cidades sedes dos seus respectivos eventos. -“Temos explorado essa parceria há alguns meses. Os lutadores de cada organização terão a oportunidade de lutar em Hong Kong e no Japão.”-disse Chan em entrevistas concedidas à mídia especializada em MMA. A notícia vem na sequência do anunciou da contratação do jovem prospecto de Hong Kong, Andy Tang, pelo JUST MMA. Lançado em novembro de 2017 por Andrew Chan, o JUST MMA tornou-se uma empresa de marketing listada no mercado de ações de Cingapura, e passou a sediar vários eventos em Macau, Hong Kong e Guangzhou. Já o Grachan existe desde 4 de dezembro de 2008, data de sua edição inaugural, e o último dia 2 de Junho marcou a comemoração do seu 40º evento no Ota Ward Industrial Plaza, em Tóquio, mostrando que a promoção já está sedimentada no Japão. Hiroyuki Iwasaki, presidente do Grachan, foi enfático : -“Eu não pretendo ser o presidente do melhor grupo no Japão. A partir de agora, gostaria de sonhar com o mundo, juntamente com JUST MMA, usaremos todo o ‘know-how’ que o Grachan construiu no Japão há 10 anos para nos expandirmos na Ásia e no mundo. Isso será possível com este contrato de parceria a partir de agora. Eu gostaria de expandir a maravilhosa cultura do Japão e das artes marciais para o mundo, mesmo que isso aconteça no futuro. Primeiro de tudo, vamos trabalhar de mãos dadas com nossos parceiros asiáticos, que têm a mesma cor de pele.”-comentou Hiroyuki, quando ele e Chan trocaram suas camisetas no ‘cage’, após o término do mais recente show da franquia. Este definitivamente é um ano decisivo para o Grachan e isso virá através de uma interação real com parceiros no exterior. O próximo show do Grachan será realizado no dia 16 de Junho. *Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 12/06/2019
_
Foto : O chefe do Grachan Hiroyuki Iwasaki ( à esquerda ) com o presidente do JUST MMA, Andrew Chan. ( Cortesia | Créditos :  Hiroyuki Iwasaki | Gachan | Andrew Chan |  JUST MMA ).

Principal promoção de artes marciais mistas do mundo na atualidade, o UFC não existiria hoje se não fosse pelos irmãos Lorenzo e Frank Fertitta.
Os magnatas do cassino de Las Vegas compraram os direitos da marca - como um favor ao amigo de infância Dana White, em primeiro lugar - no ano de 2001, por 2 milhões de dólares ( aproximadamente R$ 7,75 milhões com os valores corrigidos ), e transformaram o show em uma das franquias esportivas mais valiosas do mundo. Já em julho de 2016, Lorenzo e Frank Fertitta venderam sua participação no UFC à Endeavour ( anteriormente WME-IMG ), por um valor superior a US $ 4 bilhões ( aproximadamente R$ 15 bilhões, em valores atualizados ), um valor que representou um bom lucro em comparação à quando eles compraram a marca em 2001. Após a venda, a dupla abriu a Fertitta Capital, empresa de investimento focada em mídia, entretenimento e tecnologia. E embora Lorenzo e Frank estejam fora do negócio de MMA desde então, os irmãos demonstram interesse em voltar para o negócio de propriedade esportiva, desta feita realizando o sonho comprar uma equipe da NFL - principal liga de futebol americano. No entanto, isso pode levar algum tempo. -“Eu Sempre quis fazer isso, mas neste momento, não há oportunidades ( para comprar uma equipe da NFL ). Eu amo muito futebol, então não importa. Eu faria isso em qualquer lugar”.-disse Lorenzo Fertitta, em entrevista ao site TMZ.com, sobre o seu desejo de possuir uma equipe da NFL e que estaria aberto a qualquer time. Nenhuma das 32 franquias da NFL está atualmente disponível para compra, mas, como já aconteceu antes, a presença de uma parte interessada e bem financiada poderia gerar um possível interesse dos proprietários existentes. Além disso, qualquer novo proprietário da NFL deve passar por um processo de aprovação antes que qualquer acordo seja ratificado pela liga. Quem gostou da ideia, foi o ( ainda ) presidente do UFC, Dana White. O cartola já projeta uma nova sociedade com os amigos de infância,  quando ( e se ) isso acontecer, deixando claro que também gostaria de expandir os seus negócios para a NFL. -“Eles serão absolutamente, positivamente, donos de uma equipe da NFL. Eu ‘prevejo’ que os irmãos Fertitta terão uma equipe da NFL e serão ótimos proprietários. Então eu e os irmãos Fertitta estaremos juntos novamente algum dia.”- disse White, em entrevista ao ‘TMZ Sports’ e admitindo que gostaria de fazer parte de qualquer consórcio liderado por Lorenzo e Frank. Segundo alguns críticos norte-americanos especializados em MMA, a ‘contribuição’ de Dana White ( ao esporte MMA ) está superada. Ainda segundo esses mesmos críticos, “ele é um gênio por si mesmo, mas um ninguém sem os Fertitta também”. Lorenzo, por sua vez, já declarou em entrevistas anteriores que sente falta de ter um pouco do próprio UFC. Considerando algumas das mudanças que o esporte passou nos últimos anos, é justo dizer que muitos fãs também sentem falta dos Fertitta como donos. Esperamos que não demore muito para que Lorenzo e Frank voltem aos negócios de propriedade esportiva. *Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 11/06/2019
_
Foto : Lorenzo e Frank Fertitta, bilionários e donos de cassinos em Las Vegas, foram os responsáveis pelo sucesso do UFC. ( Cortesia | Créditos : © AFP / Jason Merritt / Forbes  ).

 

Veterana do MMA japonês Rin Nakai ( Shuto Dojo Shikoku ) volta à cena após um ano e quatro meses. Sua luta contra Kaewjai Prachumwong ( Tailândia ) no evento principal do ‘Deep-Jewels 24’ também marcava a sua estreia pela franquia.
Rin Nakai fez sua estréia profissional no MMA em outubro de 2006, depois de fazer ginástica e judô, e ao longo da carreira foi coroada campeã do torneio feminino de “peso aberto” promovido pela organização japonesa Valkyrie, além de ter se tornando uma “rainha” do Pancrase.
Contudo, depois de lutar no UFC e no RIZIN, ela acatou uma recomendação médica e interrompeu a carreira até recuperar a sua condição física. Sua adversária, Kaewjai Prachumwong, tem 26 anos e, segundo a mesma, mantêm tem um recorde no MMA composto por 2 vitórias e 2 derrotas, ao contrário de um cartel de 0-2 em MMA, como foi divulgado por alguns veículos da mídia especializada, anteriormente.
Prachumwong também tem 65 vitórias e 10 derrotas no Muay Thai, 32 vitórias e 12 derrotas no boxe, 45 vitórias e 28 derrotas no Wrestling, além de ter conquistado medalhas em uma competição de Jiu-Jítsu. Toda essa experiência levou a lutadora tailandesa à resistir até a metade do segundo round quando foi vencida por um ‘ground and pound’ imposto por sua adversária japonesa. Com a vitória, Nakai melhorou seu recorde para 21-2-1, mas diz que ainda tem espaço para melhorar. Após a luta, Nakai declarou sua gratidão às pessoas que forma assistir à luta, comentando: -“Acho que devo continuar a aparecer no Deep-Jewels  e dizer que esse show é forte”.-disse ela. Os resultados do Deep-Jewels 24 incluem : Deep-Jewels 24
9 de junho de 2019
Shinjuku FACE
Tokyo, Japan Emi Tomimatsu venceu Emi Sato por finalização ( Kimura ) aos 4:28 do primeiro round
Miki Motono venceu Mika Nagano por decisão unânime
Mao venceu Nanaka Kawamura por decisão majoritária
Hikaru Aono venceu Mikiko Hiyama por finalização ( chave-de-braço ) aos 2:36 do segundo round
Izumi Noguchi venceu Ayako Miyata por decisão unânime
Momoko Yamazaki venceu Ai Takei por decisão unânime
Otoha Nagao venceu Sae Kokuho por decisão majoritária
Rin Nakai venceu Kaewjai Prachumwong por TKO ( socos ) aos 1:56 do segundo round
Ai Shimizu venceu Sayuri Yamaguchi finalização ( estrangulamento ) aos 2:45 do segundo round *Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 10/06/2019
-
Foto : Rin Nakai estava em plena forma no Deep Jewels. A luta marcou o seu retorno ao MMA. ( Cortesia | Créditos : Akihito Tatematsu | Gong Kakutogi ).

Atleta consagrado internacionalmente, Sandro Vieira da Silva ( 36 anos ) já conquistou excelentes títulos em grandes eventos que lhe rendaram belas premiações como lutador e treinador.
O lutador de São José dos Campos-SP ostenta um registro no Sherdog composto por 15 vitórias e 12 derrotas em lutas de MMA disputadas em eventos do porte do Hombres de Honor, JVT Championship, ImpactForce MMA League e Nação Cyborg, só para citar alguns. Sandro já foi considerado um dos “strikers” mais perigosos do Brasil pela mídia especializada da Europa e da Ásia, uma vez que teve uma excelente passagem como competidor por estes continentes em 2016.
Não era para menos. Sandro está à 13 anos sem perder em lutas em pé e mantêm um cartel invejado nas modalidades de “trocação”.
Somando lutas de Kickboxing e Muay Thai, Sandro tem 98 lutas com apenas 9 derrotas em eventos tais como Desafio Brasil x França, Mundial da UIAMA, Campeonato Pan-americano de Thai Kick, Campeonato Sul-americano, Copa São Paulo, Combat Fight Muay Thai e Gigantes do Thai, entre outros. Vieira também tem contrato assinado com sheiks árabes para lutas de MMA e K-1 em eventos que serão realizados em lugares como Abu Dhabi, Dubai, Egito, Marrocos, Líbano, e China. Enquanto aguarda a confirmação das datas das lutas, ele está liberado para dar continuidade à sua carreira como lutador de boxe, que por sinal vem sendo bem trabalhada.
Como ‘boxer’, Sandro conta com um cartel de 11 lutas e segue invicto no boxe profissional ( todas as lutas estão registradas no Fightstat - site especializado em catalogar lutas da “nobre arte” ), e atualmente está mantendo seu foco nas atividades como pugilista. Assim sendo, Vieira já está se preparando para disputar o cinturão brasileiro de boxe profissional pela I.B.Fed. ( Intercontinental Boxing Federation ), na categoria peso pesado, no próximo mês de agosto. Como lutador profissional, Sandro Vieira luta sob pagamento de bolsa em dinheiro e viaja com cobertura de despesas de transporte e estadia. *Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 08/06/2019
_
Foto : Sandro Viera durante a pesagem do Nação Cyborg, evento de MMA promovida pela consagrada atleta do UFC, Cris Cyborg. ( Cortesia | créditos : 1° Round ).

A japonesa Kanako Murata esteve em ação no Invicta FC 35 na noite de sexta-feira, enfrentando Liana “Li” Pirosin em Kansas City, Kansas, USA. O evento, transmitido “ao vivo” no UFC Fight Pass, foi a estréia de Murata no Invicta FC, depois de uma luta agendada com Sharon Jacobson, que teve que ser adiada quando Murata se machucou.
A lutadora da categoria peso-palha treinou na CSA, na Califórnia, com vistas à esse confronto com a brasileira. A japonesa já tinha lutado em shows do porte do King of the Cage, Pancrase e DEEP, e estava com um recorde de 9-1.
Liana Pirosin, por sua vez, também faria a sua estreia no Invicta FC. A brasileira chegou com um recorde de 7-2, construído em eventos tais como Copa Striker’s House, XFC e Arzalet Fighting, entre outros.
Sua última vitória havia sido contra a compatriota Kinberly Novaes ( ex-desafiante ao título do Pancrase ), no Imortal FC 10, em 2018. O duelo prometia. Kanako Murata certamente causou uma boa impressão nessa sua primeira aparição no Invicta FC. Ela também mostrou habilidades na luta agarrada surpreendentemente boas para quem não pratica Jiu-Jítsu. Depois de uma breve “trocação” em pé, Murata imediatamente fez uso de suas habilidades de Wrestling, conseguindo uma queda e pressionando Pirosin na luta de solo, assegurando o domínio do confronto. Enquanto ela trabalhava para posicionar-se de lado, a brasileira usou um pouco de Jiu-Jítsu para sair da posição desfavorável e agarrar as costas da sua adversária. Apesar de ter o braço preso, Murata foi capaz de escapar e pressionar Pirosin contra a grade do ‘cage’. Liana ainda se afastou e ficou de pé, apenas para a veterana do RIZIN jogá-la de volta no chão. Aos 2:10 do primeiro round, Murata conseguiu encaixar o mata-leão e sufocar sua oponente. Na entrevista pós-luta, Murata brincou dizendo que ela nunca havia treinado um mata-leão. Outra brasileira que também competiu na categoria peso-palha foi a estreante Monique Adriane que encarou Loma Lookboonmee, uma tailandesa com mais de 300 lutas de Muay Thai. Em sua segunda luta no Invicta FC Loma Lookboonmee conquistou uma decisão sólida e unânime sobre sua oponente, com todos os três juízes marcando 30-27 à seu favor. Loma foi implacável, atacando com chutes e mostrando grandes melhorias em seu wrestling. Agora, a jovem de 23 anos melhora seu recorde de MMA para 3-1 e espera voltar em breve, fazendo uma segunda luta no Pancrase. No ‘co-main event ’ ( evento co-principal ), vimos a única brasileira à vencer nesse ‘card’, quando a ex-lutadora do UFC, Viviane Pereira ( 14-3 ), venceu Alesha Zappitella ( 5-1 ) após 15 minutos da sua luta de estreia no peso átomo.
A brasileira vinha de uma série de três derrotas e pôs fim à invencibilidade de Zappitella. Invicta FC 35
7 de Junho de 2019
Memorial Hall
Kansas City, Kansas, USA Karina Rodríguez venceu DeAnna Bennett por decisão unânime
Viviane Pereira venceu Alesha Zapitella por decisão unânime
Kanako Murata finalizou Liana Pirosin com um mata leão (Round 1, 2:10)
Lisa Spangler venceu Katharina Lehner por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28)
Kaitlin Young venceu Faith McMah por nocaute técnico (Round 3, 3:52)
Chelsea Chandler venceu Brittney Victoria nocaute técnico (Round 2, 3:58)
Kelly D’Angelo venceu Jillian DeCoursey por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28)
Loma Lookboonmee venceu Monique Adriane por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27)
Genia Goodin venceu Valerie Wong por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28) *Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 09/06/2019
_
Foto : Ex-atleta do RIZIN, Kanako Murata causou uma boa impressão na sua estreia no Invicta FC. ( Cortesia | Créditos : Dave Mandel  |  Invicta FC ).

Nota de esclarecimento pública

Website gratuito, não cobrança os nossos leitores ou visitantes, o único objetivo e a divulgação da informação e notícias reais, todos os créditos são de suas respectivas fontes e autores.

Em conformidade com as Leis:

Em conformidade com Artigo 46, I da Lei 9610/98 Brasil - Artigo 46, I da Lei 9610/98 e Lei nº 5.250 de 9 de fevereiro de 1967 - Lei 2083/53 | Lei nº 2.083 de 12 de novembro de 1953.

Para maiores informações e suporte jurídico consulte nosso advogado colaborador: Raphael Guilherme da Silva - OAB/SP Sob o Nº 316.914.

Caso discorde de algum artigo removeremos o mesmo de imediatamente e nós desculpamos de forma publica mediante uma retratação conforme a Lei se assim for solicitado.

Desde já muito obrigado.

Este portal de notícias e uma iniciativa de um Grupo de colaboradores voluntários sobre registro no Japão -目標新聞 (コネクション・ジャパン). - connectionjapan.com .

E é mantido pelos seus voluntários e colaboradores a fim de permitir que a colônia de Brasileiros possa ter acesso a essas informações de forma gratuita e a todos os demais visitantes que assim desejarem acessa nosso website.

Algumas observações na Lei n.º 9.610/98.

Uso de obra autoral para fins de estudo ou crítica;

Uso de obra autoral para exposição de um produto (por exemplo: uma loja de porta-retratos que expõe um porta-retrato contendo uma foto);

Uso de obra autoral para fim privado (se você compartihar com alguém, já não é mais uso privado!);

E outras previstas na Lei n.º 9.610/98.

« March 2021 »
Mon Tue Wed Thu Fri Sat Sun
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31        

FreeCurrencyRates.com

Visitantes online

Advertising area




Contador de visitas

0.png3.png7.png8.png4.png8.png9.png
Hoje:354
Ontem:516
Últimos 7 dias:354
Mês:53927
Total:378489

Conectados simultaneamente

1
Online

20-09-21

Parceiros

Go to top