Coronavírus: Pesquisadores contestam relaxamento da quarentena em SP

A flexibilização gradual da economia, anunciada pelo governo de São Paulo, preocupa professores universitários e pesquisadores, que contestam as medidas de relaxamento da quarentena no estado brasileiro mais atingido pela pandemia do novo coronavírus.

Em nota lançada neste sábado (30), 66 especialistas reunidos nos grupos Portal Covid e Ação Covid-19 alertam que a curva de infecções não está controlada e afirmam que a reabertura do comércio contradiz os dados do próprio governo sobre a situação da pandemia no estado.

“Com o número de casos ainda em ascensão, sem uma clara política de testagem, com a expansão do contágio, das grandes metrópoles para o interior, e com um número ainda alarmante de ocupação de leitos, a redução prematura do isolamento social pode semear o caos no sistema de saúde”, afirmou o professor Domingos Alves, do Laboratório de Inteligência em Saúde da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto.

“O esforço de três meses de isolamento seria completamente desperdiçado, levando a uma perda desnecessária de vidas”, prosseguiu, em declaração publicada pelo portal UOL.

“A escolha preliminar dos municípios para se recomendar a abertura de comércio, incluindo a abertura de shopping centers, foi feita sem levar em consideração a emergência e a gravidade da epidemia nesses municípios”, disse José Paulo Guedes, pesquisador da Universidade Federal do ABC.

Até a última sexta-feira, o estado de São Paulo registrou 101.556 casos confirmados de coronavírus, sendo 55.741 apenas na capital, com 7.275 mortes.

Foto: (Photo by Fabio Vieira/FotoRua/NurPhoto via Getty Images).

Fonte: Yahoo Notícias .

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments