Arcebispo polonês diz que Vaticano ‘acobertou’ caso de abuso infantil

O arcebispo mais graduado da Igreja Católica Polonesa notificou o Vaticano no sábado de um bispo polonês acusado de proteger padres conhecidos por terem abusado sexualmente de crianças.

A indicação, sem precedentes no país profundamente religioso, testará os procedimentos introduzidos pelo Vaticano no ano passado para responsabilizar os bispos acusados ​​de fechar os olhos ao abuso sexual infantil. Agora, espera-se que o Vaticano designe um investigador para o caso.

“Peço aos padres, freiras, pais e educadores que não se deixem levar pela falsa lógica de proteger a Igreja, escondendo efetivamente os abusadores sexuais”, disse o primaz Wojciech Polak, da Polônia, em comunicado divulgado no sábado.

“Não há lugar entre o clero para abusar sexualmente de menores. Não permitimos ocultar esses crimes. ”

O caso ganhou destaque depois que um filme dos irmãos Tomasz e Marek Sekielski, lançado no sábado, mostrou como o bispo Edward Janiak, com sede na cidade de Kalisz, deixou de agir contra padres que sabidamente abusavam de crianças.

Janiak, que ainda pratica, não comentou diretamente as alegações. Ele não respondeu a um pedido de comentário da Reuters.

Em defesa de Janiak, a cúria de Kalisz disse que os pais de uma das supostas vítimas retratadas no filme não seguiram o procedimento correto.

“A gravação do filme não mostra toda a conversa. Não mostra a parte em que dizemos que os pais devem expressar suas preocupações ao promotor imediatamente “, afirmou em comunicado.

Os irmãos Sekielski lançaram outro filme no ano passado, sugerindo que pedófilos conhecidos foram deliberadamente trocados entre paróquias. O filme tem mais de 23 milhões de visualizações no YouTube.

As vítimas de abuso sexual há muito tempo pedem medidas para facilitar a denúncia de supostos acobertamentos por parte da Igreja.

A Igreja Católica da Polônia, uma instituição com laços estreitos com o partido nacionalista Lei e Justiça, enfrentou acusações no passado de proteger padres que abusam de crianças.

Uma autoridade da Igreja disse à Reuters que a indicação de Janiak foi parcialmente o resultado do novo procedimento do Vaticano.

“Acredito que isso seja apenas uma fachada”, disse Agata Diduszko-Zyglewska, coautora de um mapa que marca abuso sexual infantil por padres em toda a Polônia.

“No último ano, o Episcopado Católico soube que existem bispos que encobriram casos de pedofilia e, no entanto, nenhum deles foi demitido”.

A Polônia enfrenta tensões entre liberais que sentem que a Igreja exerce muito poder e conservadores que veem a fé católica como um elemento-chave da identidade nacional que deve ser protegida.

Fonte: Reuters // Créditos da imagem: Agencja Gazeta/Slawomir Kaminski/via REUTERS

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments