Pence em quarentena após assessor testar positivo para o Covid-19

O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, mantém distância de Donald Trump depois que o ex-secretário de imprensa deu positivo, confirmou a porta-voz da Casa Branca Kayleigh McEnany.

Pence não estava na entrevista coletiva de Trump em Rose Garden na segunda-feira, nem em uma reunião da Casa Branca com autoridades militares e de segurança nacional dos EUA no sábado, depois que a assessora de imprensa Katie Miller recebeu seu teste positivo na semana passada. McEnany disse:

“O vice-presidente optou por manter distância por alguns dias”.

Segundo pesquisadores da Universidade Johns Hopkins, sabe-se que pelo menos 4.222.968 pessoas em todo o mundo contraíram o vírus, enquanto pelo menos 287.809 morreram desde o início da pandemia. É provável que os números, baseados em relatórios oficiais e da mídia, sejam subestimados devido a suspeitas de subnotificação e diferentes regimes de gravação e teste.

Economia

As companhias aéreas dos EUA transportaram 51% menos passageiros em março, quando as viagens aéreas caíram para o nível mais baixo em quase duas décadas, informou o Departamento de Transportes dos EUA.

As companhias aéreas transportaram passageiros um pouco mais totais, domésticos e internacionais, em março de 2020 do que na época dos ataques terroristas de 11 de setembro.

No total, as companhias aéreas transportaram 38,7 milhões de passageiros em março, queda em março de 2019 em mais da metade. Antes de março de 2020, as viagens aéreas haviam aumentado por 29 meses consecutivos, ano a ano, desde outubro de 2017.

Já em NY, policiais, professores e outros funcionários do estado devem ser o foco de um grande pacote federal de estímulo, em vez de “empresas gananciosas”, afirmou o governador de Nova York, Andrew Cuomo.

Advertindo contra a repetição dos resgates focados nas empresas após a crise financeira de 2008, ele disse: “Não faça de novo. Sem incentivos para empresas gananciosas, sem suínos políticos e sem partidarismo”.

Facebook relata aumento em posts contendo discurso de ódio

O Facebook relatou um aumento acentuado no número de postagens removidas por promover violência e discurso de ódio em seus aplicativos, o que foi atribuído a melhorias feitas em sua tecnologia para identificar automaticamente texto e imagens.

A maior empresa de mídia social do mundo alegou ter removido cerca de 4,7 milhões de postagens conectadas a grupos de ódio organizados em seu aplicativo do Facebook no primeiro trimestre de 2020 – acima dos 1,6 milhões no trimestre anterior.

Ele também disse que removeu 9,6 milhões de postagens no Facebook contendo discurso de ódio no primeiro trimestre, em comparação com 5,7 milhões no quarto trimestre de 2019.

O Facebook divulgou os dados como parte de seu quinto Relatório de Aplicação de Padrões Comunitários, que foi introduzido em resposta às críticas à sua abordagem frouxa de policiar suas plataformas.

Fonte: Guardian // Créditos da imagem: David Arquimbau Sintes/EPA

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments