Coronavírus: Últimas notícias (08/04)

A OMS ‘profundamente preocupada’ com a Europa

A Organização Mundial da Saúde disse que está “profundamente preocupada” com o desenvolvimento do Covid-19 na Europa. O diretor regional, Hans Henri P Kluge, disse que o continente é responsável por cerca de metade dos casos confirmados em todo o mundo e alertou os governos contra as medidas relaxantes de bloqueio. Todas as viagens não essenciais à UE devem ficar suspensas até 15 de maio, informou a Comissão Europeia na quarta-feira.

Taxa de mortalidade diária na Espanha diminui

A Espanha registrou 757 mortes nas últimas 24 horas, um ligeiro aumento em relação às 743 mortes registradas um dia antes. O vírus já matou 14.555 vidas no país. Mas esta semana viu o número de mortes diárias crescer 5%, comparado com cerca de 9% uma semana antes. “Atingimos o pico da curva e estamos em fase de desaceleração”, disse o ministro da Saúde do país, Salvador Illa, ao parlamento.

Mumbai amplia bloqueio

Mumbai deve estender seu bloqueio atual até pelo menos 30 de abril. A cidade, que tem uma população de mais de 20 milhões, tornou-se o centro de coronavírus do país. Outras partes da Índia devem levantar restrições na terça-feira.

Boris Johnson permanece no hospital

O Reino Unido “não está nem perto de levantar o bloqueio”, segundo o prefeito de Londres. Sadiq Khan fez os comentários enquanto o primeiro-ministro Boris Johnson continuava em terapia intensiva com sintomas do vírus.

Preocupação com a escassez de alimentos

Cingapura anunciou planos para aumentar a produção de alimentos em meio a preocupações com a escassez. Como parte dos planos, a cidade-estado, que produz apenas 10% de sua necessidade de alimentos, transformará os telhados dos estacionamentos em fazendas urbanas.

Itália fecha portos a navios migrantes

A Itália fechou seus portos para navios migrantes por causa da epidemia. A decisão, tomada pelo governo ontem à noite, significa que os barcos migrantes de caridade não podem mais atracar.

Campos de refugiados ameaçados

Estão aumentando as preocupações com a propagação do vírus nos campos de refugiados gregos. O governo disse que novos pedidos de asilo não serão examinados durante a crise, deixando milhares presos em campos. Um total de 1.832 casos foram confirmados no país.

Nasa Cancela Comemorações

A NASA não marcará publicamente o 50º aniversário da Apollo 13, a famosa missão à Lua que foi abortada depois que um tanque de oxigênio explodiu colocou em risco a vida de seus três tripulantes. Todos os três astronautas sobreviveram e dois deles permanecem vivos até hoje.

Russia auxilia médicos

Os profissionais de saúde na Rússia receberão um bônus monetário, disse o presidente Vladimir Putin na quarta-feira. Os médicos que tratam pacientes com coronavírus recebem 80.000 rublos adicionais (1.059 dólares, 973 euros) por mês. Enfermeiros, médicos de ambulância e motoristas receberiam entre 25.000 e 50.000 rublos.

Tango canadense

O primeiro-ministro Justin Trudeau disse que o Canadá continuará convencendo os EUA a não bloquear a exportação de suprimentos médicos para combater o coronavírus. “Vamos continuar destacando para o governo americano o ponto em que os suprimentos e serviços de saúde vão e voltam através dessa fronteira”, disse Trudeau. O primeiro-ministro disse que o Canadá espera a chegada de 500.000 máscaras cirúrgicas N95 na quarta-feira à empresa 3M, que faz parte de um lote de 4 milhões que foram encomendados pela província de Ontário.

Brasil pede ajuda á China

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que o país está enfrentando um “problema sério”, recebendo respiradores suficientes para lidar com a epidemia de coronavírus.

Mandetta acrescentou que o Brasil procurou a China para garantir que seria capaz de atender a um pedido de máscaras faciais à medida que as mortes por coronavírus se acelerassem. “Precisamos trazer 40 milhões de máscaras da China”, disse ele em entrevista coletiva. “Estamos com dificuldades no mercado chinês para garantir essas compras”.

O anúncio ocorre quando autoridades brasileiras tentam aliviar uma briga diplomática com a China, depois que o ministro da Educação do país e o filho do legislador do presidente Jair Bolsonaro criticaram Pequim por lidar com a crise. O maior país da América Latina registrou um aumento de mais de 100 mortes no COVID-19 em um dia. Últimos números: 13.717 infectados, 686 mortes, 127 recuperados.

Peru solicita empréstimo

O Presidente Martin Vizcarra disse que estava coordenando com outros países da América do Sul a solicitação de uma linha de crédito do Banco Interamericano de Desenvolvimento (JID). Vizcarra disse que o grupo pedirá pelo menos US $ 15 bilhões para combater o coronavírus. Ele realizou uma videoconferência com os presidentes ou ministros das Relações Exteriores da Colômbia, Chile, Equador, Bolívia e Paraguai para coordenar os esforços. Brasil e Argentina também foram convidados, mas não participaram, disse Vizcarra. “Isso exigirá muito dinheiro de todos os países para atender às necessidades”, disse o presidente peruano em uma entrevista coletiva virtual veiculada na televisão. Vizcarra disse que os líderes concordaram em tentar comprar suprimentos médicos escassos juntos, a granel. Embora ele tenha advertido que não seria fácil garantir o essencial, à medida que a competição se intensifica. Últimos números: 2.954 infectados, 107 mortes, 1.301 recuperados.

China registra alta em casos

A Comissão Nacional de Saúde da China registrou 62 novos casos confirmados de coronavírus no continente, contra 32 no dia anterior. Os números representam um aumento nos casos vindos do exterior.

Os casos importados da China continental chegaram a 1.042 na terça-feira, 59 a mais que no dia anterior, segundo dados oficiais

O aumento nos casos de COVID-19 ocorre quando a cidade de Wuhan, no centro da China, reabre depois que foi fechada em 23 de janeiro e permaneceu sob um estrito bloqueio por 76 dias. Wuhan foi o epicentro do surto na China e acredita-se que seja o local de origem do vírus.

Venezuela lida com imigração

Mais de 2.100 migrantes que retornam da Colômbia para a Venezuela foram obrigados a permanecer em escolas e prédios governamentais não utilizados perto da fronteira que carecem de condições sanitárias, disseram parlamentares da oposição. Cerca de 625 venezuelanos também cruzaram o país a partir do Brasil, de acordo com autoridades do estado de fronteira de Bolívar, onde foram mantidos em abrigos improvisados em motéis e prédios do governo.

O influxo agora representa uma ameaça ao sistema médico da Venezuela, que decaiu severamente nos últimos seis anos. Médicos especialistas alertam que o sistema de saúde em ruínas pode ser rapidamente sobrecarregado se o COVID-19 se espalhar. Últimos números: 165 infectados, 7 mortes, 65 recuperados.

Cientista mais importante da UE renuncia

O cientista mais importante da UE renunciou com uma denúncia da reação do bloco à pandemia de coronavírus, alegando que ele foi impedido de financiar tratamentos e vacinas, relata Daniel Boffey, chefe do departamento de Bruxelas.

Mauro Ferrari, presidente do Conselho Europeu de Pesquisa, disse estar “profundamente decepcionado e perturbado” pelos esforços da UE em reação ao que ele descreveu como “uma tragédia de proporções possivelmente sem precedentes”.

Fonte: Reuters/DW/Guardian // Créditos da imagem: Noel Celis/AFP via Getty Images

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments