Abe não declara estado de emergência

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, fez pronunciamento no sábado e disse que não declara estado de emergência no momento.

Às 18h de sábado o primeiro-ministro Shinzo Abe realizou uma coletiva de imprensa, do seu gabinete, para informar que a emenda da Lei de Medidas de Emergência foi aprovada na sexta-feira e promulgada neste dia. 

É uma lei que permite declarar estado de emergência, mas essa somente será tomada ouvindo os especialistas e quando for necessário para conter a propagação do novo coronavírus. “As condições atuais não requerem essa declaração”, explicou. 

O Japão, comparado aos demais países, como China, Itália e Irã tem 0,6 casos de infecção para cada 10 mil pessoas, portanto, neste momento avalia que não há necessidade dessa declaração. 

Agradeceu a população pela cooperação, com eventos cancelados, escolas fechadas temporariamente, trabalho em casa e outras atitudes. “Não podemos relaxar o alerta”, enfatizou, pedindo que todos continuem colaborando na prevenção. 

Situação dos infectados

“80% dos pacientes com infecção têm sintomas leves e apenas uma parte apresenta um quadro mais grave”, explicou. O agravante é com os idosos, por isso, serão distribuídas máscaras nos asilos. 

“No Japão, 80% dos casos de contágio não foram de pessoa para pessoa, a não ser no caso de clusters. O perigo está quando há “3 condições simultâneas como falta de circulação de ar no ambiente, contato muito próximo e muitas pessoas em um único ambiente fechado”, explicou.

Coronavírus afeta economia 

Na economia a influência do novo coronavírus é grave, disse o primeiro-ministro, especialmente em relação a PMEs-pequenas e médias empresas. Por isso, já pediu aos órgãos relacionados para empréstimos sem juros para aliviar a situação. 

Em relação à possibilidade de redução do imposto sobre o consumo para 5% proposto por um político, ainda está em análise. 

Serão destinados 430 bilhões de ienes para as medidas econômicas, mas esse aspecto ainda será discutido com os parlamentares. 

Em relação à realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos o primeiro-ministro disse “pretendemos superar a propagação do coronavírus e realizar conforme está programado”.

O Japão está investindo e apoiando nas pesquisas para desenvolvimento de medicamento e vacina contra o novo coronavírus. 

Um das medidas mais importantes é evitar a propagação, por isso, o governo e a população lutam contra esse vírus inimigo.

Atitude do governo Abe é elogiada pela OMS

O diretor geral da OMS-Organização Mundial da Saúde Tedros Adhanom Ghebreyesus, em coletiva de imprensa na sexta-feira (13), elogiou a resposta do Japão em relação ao coronavírus, afirmando que o primeiro-ministro Shinzo Abe tomou a iniciativa e conseguiu reunir todos do governo. 

É incomum que Tedros cite os líderes individuais em coletivas de imprensa e elogie suas medidas contra esse novo vírus. Até agora, tinha elogiado somente os esforços da China.

Ele também mencionou que o Japão contribuiu com 155 milhões de dólares (aproximadamente 17 bilhões de ienes) para a OMS para assistência emergencial aos países infectados. 

“A identificação de clusters (aglomerados na tradução livre) é importante para reduzir a propagação da infecção”, avaliou Tedros em relação à atitude do Japão. 

Fonte: Sanspo e governo. 

Créditos foto: Charly Triballeau / AFP / CP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.