Bombeiros acusados de causar incêndios na Amazônia são soltos

Um juiz brasileiro decidiu quinta-feira libertar quatro bombeiros voluntários presos nesta semana sob acusações de terem incendiado a floresta amazônica para angariar doações, segundo documentos do tribunal.

Michell Durans, advogado que representa os quatro homens, confirmou que eles já haviam saído na quinta-feira após a ordem do juiz.

“A justiça foi restaurada”, disse Durans.

Os bombeiros operam na região de Alter do Chão, no estado do Pará, no norte da Amazônia, que sofreu um aumento nos incêndios florestais no início deste ano.

A polícia civil do estado do Pará prendeu os homens na terça-feira como uma medida “preventiva” enquanto eles continuavam investigando a causa dos incêndios, invadindo o escritório de uma organização não-governamental separada chamada Projeto Saúde e Felicidade na mesma operação.

A polícia disse que a Brigada de Incêndio de Alter do Chão tirou fotos e vídeos dos incêndios que eles provocaram e os usou para fraudar doadores, incluindo um que deu 300.000 reais ao grupo.

Políticos e outras ONGs criticaram ferozmente a prisão e o ataque, dizendo que fazia parte de uma tentativa concertada do governo de assediar grupos ambientais.

Na quarta-feira, a empresa de cosméticos Natura, que fez parceria com a empresa no ano passado para fornecer ingredientes sustentáveis ​​para seus produtos, manifestou preocupação com o ataque.

Depois que o número de incêndios na Amazônia brasileira atingiu seu ponto mais alto desde 2010 em agosto, o presidente de direita Jair Bolsonaro sugeriu que as ONGs poderiam estar por trás doas ataques.

Cientistas e ativistas culpam os especuladores, agricultores e pecuaristas por incendiarem terras para uso agrícola, dizendo que os desmatadores estão sendo encorajados pela retórica de Bolsonaro que promove o desenvolvimento sobre a preservação.

A decisão do juiz de libertar os bombeiros veio logo depois que o governador do estado do Pará disse que substituiria o policial encarregado da investigação pelo chefe da unidade especial para questões ambientais.

Fonte: Reuters

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments