Amazon contesta contrato de U$ 10 bilhões entre o Pentágono e a Microsoft

A Amazon.com anunciou nesta quinta-feira que está contestando o contrato de computação em nuvem do Pentágono de até US $ 10 bilhões concedido a Microsoft, expressando preocupação de que a política atrapalhe um processo justo de contratação.

A empresa entrou com um aviso na sexta-feira passada que protestará formalmente contra a decisão na Joint Enterprise Defense Infrastructure Cloud, conhecida como JEDI.

Em uma reunião em toda a empresa na quinta-feira, o CEO da Amazon Web Services, Andy Jassy, disse que seria um desafio para uma agência americana conceder um contrato objetivamente quando o presidente estiver menosprezando um dos concorrentes, de acordo com um porta-voz da Amazon.

O presidente Donald Trump há muito tempo critica a Amazon e seu fundador, Jeff Bezos.

A empresa confirmou os comentários de Jassy e disse: “Vários aspectos do processo de avaliação do JEDI continham deficiências claras, erros e preconceitos inconfundíveis – e é importante que esses assuntos sejam examinados e retificados”.

O Federal Times divulgou a notícia anteriormente.

Um desafio ao prêmio do Departamento de Defesa anunciado no mês passado era amplamente visado por especialistas jurídicos, analistas e consultores, especialmente depois que Trump ridicularizou publicamente a oferta da Amazon pelo contrato de alto risco.

Trump havia dito em agosto que a oferta da Amazon para o contrato JEDI estava sendo analisada por seu governo após reclamações de outras empresas.

A Amazon foi considerada a favorita do contrato, parte de um processo mais amplo de modernização digital do Pentágono, antes de a Microsoft emergir como a surpresa surpresa.

Fonte: Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.