Japão critica saída dos EUA do acordo de Paris

O início de um processo de retirada dos EUA do acordo climático de Paris é “muito decepcionante”, disse o ministro do Meio Ambiente do Japão na terça-feira.

“Criar uma sociedade descarbonizada é uma questão premente e a decisão dos EUA é muito decepcionante”, disse o ministro do Meio Ambiente Shinjiro Koizumi a repórteres.

“Seria impossível exortar o presidente (Donald) Trump a reverter a decisão”, disse Koizumi.

O secretário-chefe do gabinete, Yoshihide Suga, também expressou decepção com a saída dos EUA, dizendo que a comunidade internacional como um todo precisa enfrentar o aquecimento global.

“Em vista da declaração da cúpula do G20 em Osaka, exploraremos maneiras de cooperar com os Estados Unidos para tratar da questão das mudanças climáticas”, disse o principal porta-voz do governo em entrevista coletiva.

Os Estados Unidos, o segundo maior emissor de dióxido de carbono, disseram na segunda-feira que notificaram formalmente as Nações Unidas de sua retirada, iniciando um processo de um ano para retirar-se do pacto histórico destinado a combater o aquecimento global.

Trump anunciou sua decisão em dezembro de 2017 de sair do pacto adotado em uma conferência da ONU sobre mudança climática em Paris, dizendo que é injusto com seu país.

Em junho, líderes do grupo das 20 economias reunidas em Osaka deixaram uma brecha sobre a mudança climática, com os Estados Unidos reiterando sua intenção de deixar o acordo de Paris, enquanto os outros membros se comprometeram a trabalhar em prol de sua plena implementação.

O Acordo de Paris, sucessor do Protocolo de Kyoto de 1997, visa manter o aumento da temperatura global “bem abaixo” de 2°C, de modo a limitar a ocorrência de secas, inundações, derretimento de geleiras, aumento do nível do mar e outros resultados do aquecimento global.

Fonte: Kyodo

In this article

Join the Conversation

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.