Professor japonês é detido na China

As autoridades chinesas detiveram um japonês em Pequim, confirmou na segunda-feira um porta-voz do governo em Tóquio, após reportagens da mídia de que um professor universitário estava sendo mantido sob suspeita de espionagem.

“A embaixada japonesa na China confirmou que um japonês de 40 anos foi detido pelas autoridades chinesas em Pequim em setembro por (supostamente) violar as leis chinesas”, disse a repórteres o principal porta-voz do governo japonês, Yoshihide Suga.

Ele não especificou as acusações contra o homem, mas a mídia local o identificou como um professor da Universidade de Hokkaido, suspeito de espionagem.

O homem, que não foi nomeado, trabalhou anteriormente para o Instituto Nacional de Estudos de Defesa no Ministério da Defesa e no Ministério das Relações Exteriores do Japão, de acordo com relatos da mídia local.

“No âmbito da proteção de expatriados japoneses, estamos realizando reuniões entre (o homem e) cônsules e nos comunicando com os membros de sua família, mas recusamos comentar mais detalhes, dada a natureza deste caso”, afirmou Suga.

Até agora, não houve comentários públicos sobre o caso por parte das autoridades chinesas.

Pequim vem intensificando a vigilância sobre organizações e indivíduos estrangeiros em nome da proteção da segurança nacional desde que o presidente Xi Jinping chegou ao poder, particularmente depois que uma lei de contra-espionagem entrou em vigor em 2014 e uma lei de segurança nacional em 2015.

A China enfrentou acusações de usar detenções de estrangeiros como ferramenta política, inclusive recentemente do primeiro-ministro canadense Justin Trudeau, que a chamou de “diplomacia de reféns”.

Os laços Canadá-China azedaram desde a prisão do executivo chinês Huawei da Huawei, Meng Wanzhou, em um mandado americano em dezembro passado – nove dias depois, Pequim deteve dois canadenses e os acusou de espionagem.

Os dois canadenses estão entre uma série de estrangeiros presos na China e acusados ​​de espionagem ou tentativa de roubar segredos de Estado.

O acadêmico australiano Yang Jun, que também usa seu pseudônimo Yang Hengjun, foi detido em janeiro, pouco depois de fazer um raro retorno à China dos EUA. Pequim disse em setembro que havia sido formalmente preso por suspeita de espionagem.

A China também deteve seis cidadãos japoneses em 2017 por supostas “atividades ilegais”.

Desde 2015, pelo menos 13 cidadãos japoneses – todos civis – foram detidos na China por várias acusações, incluindo espionagem, informou o Kyodo News e o Asahi Shimbun.

Os laços de Tóquio com Pequim às vezes foram tensos por brigas ao longo da história e disputas territoriais, mas vêm melhorando recentemente, com a expectativa de Xi visitar o Japão no início do próximo ano.

Fonte: AFP

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments