Várias vitimas morreram durante a evacuação, diz pesquisa

Um quarto das 81 pessoas mortas no tufão 19 morreram em carros enquanto tentavam evacuar ou voltar para casa durante as chuvas que atingiram o leste do Japão no fim de semana de 12 a 13 de outubro.

Dez pessoas ainda estavam desaparecidas em 19 de outubro, uma semana depois que o tufão atingiu o solo.

As 81 mortes foram confirmadas em Tóquio e 11 prefeituras, de acordo com cálculos do The Asahi Shimbun, com base em entrevistas com governos e policiais locais.

Trinta pessoas morreram na província de Fukushima, 17 na província de Miyagi e 14 na província de Kanagawa.

A maioria das mortes foi causada por inundações ou deslizamentos de terra nas chuvas torrenciais trazidas pela tempestade.

Vinte e uma das vítimas estavam viajando em carros durante o dilúvio, incluindo uma família de quatro na ala Midori de Sagamihara, na província de Kanagawa.

A família estava em um carro que caiu em um rio inchado na noite de 12 de outubro, quando parte de uma estrada desabou.

Em Koriyama, na província de Fukushima, os corpos de uma família de três foram descobertos em um carro em um rio. Acredita-se que eles voltassem para casa depois do anoitecer.

Em Minami-Soma, na mesma prefeitura, Ryohei Ouchi, um funcionário de 25 anos do governo da cidade, morreu nas primeiras horas de 13 de outubro. Ele estava dirigindo para casa naquele momento, mas seu carro ficou preso na estrada. Ele conseguiu sair do carro, mas foi arrastado pelas águas da enchente.

O tufão atingiu terras na região de Kanto na noite de 12 de outubro e mudou-se para o nordeste em direção à região de Tohoku nas primeiras horas de 13 de outubro.

Dirigir à noite se tornou ainda mais perigoso por causa da pouca visibilidade causada pelo tufão.

Além das 21 mortes de motoristas e passageiros, 27 pessoas foram encontradas mortas dentro de suas casas e 22 corpos foram encontrados ao ar livre. Os locais para as vítimas restantes eram desconhecidos.

Muitos dos que morreram em ambientes fechados estavam no primeiro andar.

Na prefeitura de Fukushima, onde avisos de evacuação foram emitidos para uma ampla área na noite de 12 de outubro, 14 pessoas morreram dentro de casas inundadas.

Seis deles moravam em casas térreas e quatro residiam nos primeiros andares de prédios de apartamentos ou habitações públicas.

Algumas das vítimas eram idosas e tinham dificuldade para caminhar, segundo autoridades locais.

Muitas das mortes ao ar livre diziam respeito a pessoas que estavam em movimento ou no trabalho.

Fonte: Asahi