Japão exigirá remoção imediata do bloqueio do SIM pelas operadoras

O Ministério das Comunicações do Japão mostrou na sexta-feira planos para obrigar as principais operadoras de telefonia móvel do país a remover os bloqueios do módulo de identidade de assinante, ou SIM, imediatamente após a solicitação dos clientes.

Os planos foram apresentados a uma reunião de um painel de especialistas. O ministério pretende alterar as diretrizes relevantes até o final do ano.

De acordo com seus novos planos de tarifas, a KDDI Corp. e a Softbank Corp. estão preparadas para manter os bloqueios do SIM em vigor por 100 dias após a compra dos aparelhos. Mas eles provavelmente serão forçados a rever a política.

Os bloqueios de SIM são projetados para tornar os smartphones de uma operadora incapazes de operar nas redes de outras, para impedir que os clientes mudem para rivais.

As duas operadoras anunciaram planos segundo os quais os preços dos smartphones comprados com parcelas de quatro anos serão descontados em até 50% se os aparelhos forem devolvidos dois anos após as compras.

Com a lei de negócios de telecomunicações revisada que proíbe efetivamente descontos para smartphones vendidos juntamente com serviços telefônicos, a partir de 1º de outubro, as operadoras permitirão que os clientes comprem smartphones sem assinar seus respectivos serviços de comunicação.

Atualmente, o ministério permite bloqueios de SIM de 100 dias para impedir que os usuários deixem de pagar suas parcelas mensais.

Mas os novos planos anunciados pela KDDI e pela Softbank tornarão seus telefones inutilizáveis ​​se os clientes não assinarem seus serviços de comunicação, levando os membros do painel do ministério a afirmar que o esquema permitirá que as empresas “incluam” usuários.

Na reunião, as duas empresas indicaram estar prontas para remover bloqueios do SIM se os clientes atenderem a determinadas condições.

Fonte: Jiji Press

In this article

Join the Conversation

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.