‘Muito difícil’ para a economia da China crescer 6% ou mais, diz premiê

O primeiro-ministro chinês Li Keqiang disse que é “muito difícil” que a economia da China cresça a uma taxa de 6% ou mais por causa da alta base de onde estava começando e do cenário internacional complicado.

A economia número 2 do mundo enfrentou “certa pressão descendente” devido à desaceleração do crescimento global, bem como à ascensão do protecionismo e do unilateralismo, disse Li em entrevista à mídia russa publicada no site do governo chinês, gov.cn.

O produto interno bruto (PIB) da China cresceu 6,3% na primeira metade do ano, e Li disse que a economia estava “geralmente estável” nos primeiros oito meses do ano.

“Para a China, manter um crescimento de 6% ou mais é muito difícil diante do cenário atual de uma situação internacional complicada e de uma base relativamente alta, e essa taxa está na vanguarda das principais economias do mundo”, disse Li.

Analistas dizem que o crescimento econômico da China provavelmente esfriou ainda mais neste trimestre, ante uma baixa de quase 6 anos de 6,2% em abril-junho. O Morgan Stanley diz que agora está monitorando o limite inferior da meta de meta para o ano inteiro, de cerca de 6-6,5%.

Em resposta, as autoridades aumentaram o apoio, anunciando em 6 de setembro um corte no rácio de reservas obrigatórias (RRR) pela terceira vez este ano, liberando 900 bilhões de yuans (US $ 126,35 bilhões) em liquidez para a economia.

Fonte: Reuters

In this article

Join the Conversation

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.