Governo quer usar o nome da família primeiro em documentos com alfabeto romano

Na sexta-feira, o governo decidiu seguir a ordem “sobrenome primeiro” ao usar o alfabeto romano para escrever nomes japoneses em documentos oficiais, em um rompimento da longa tradição de revertê-lo de acordo com outros idiomas, como o inglês.

“Em um mundo globalizado, tornou-se cada vez mais importante conhecer a diversidade de idiomas que os humanos possuem. É melhor seguir a tradição japonesa ao escrever nomes japoneses no alfabeto romano”, disse o ministro da Educação Masahiko Shibayama em entrevista coletiva.

Shibayama propôs a idéia e obteve a aprovação de seus colegas ministros em uma reunião na sexta-feira.

O secretário-chefe do gabinete, Yoshihide Suga, disse que os detalhes ainda precisam ser elaborados, mas o governo intensificará os preparativos para a mudança.

O Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia decidirá se o setor privado deve seguir a decisão do governo, segundo Suga.

Os críticos duvidam que a mudança seja necessária. Se o público apoiará também permanece uma questão em aberto.

Os japoneses estão acostumados a escrever seu nome próprio primeiro quando usam uma língua estrangeira como o inglês, uma prática que começou nos séculos 19 a 20, em meio à crescente influência da cultura ocidental.

Quando perguntado se ele usará a ordem japonesa “Suga Yoshihide”, o principal porta-voz do governo disse em uma entrevista coletiva: “Acho que vou usar”.

Shibayama não é o único membro do gabinete do primeiro-ministro Shinzo Abe a pedir o fim da reversão da ordem de nomes.

O ministro das Relações Exteriores, Taro Kono, educado nos Estados Unidos, também levantou a questão, dizendo que líderes asiáticos como o presidente chinês Xi Jinping e o presidente sul-coreano Moon Jae In mantêm sua ordem de nome original em inglês.

Em 2000, um painel consultivo sobre a política do idioma japonês recomendou que os nomes de família japoneses fossem escritos antes dos nomes no alfabeto romano para respeitar a diversidade de idiomas.

A agência de assuntos culturais pediu às entidades governamentais, universidades e organizações de mídia que adotassem a mudança, mas ela não se enraizou.

No site oficial em inglês do ministério da educação, o nome de Shibayama, junto com o de seus suplentes, está escrito na mesma ordem de nome que em japonês.

No entanto, muitas outras autoridades japonesas de alto escalão, incluindo Kono, continuaram sendo listadas na ordem atualmente convencional. Na sexta-feira, o Ministério das Relações Exteriores usa “Taro Kono” em seu site.

Fonte: Kyodo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.