Falências corporativas crescem 14,2% em julho

O número de falências corporativas em julho aumentou 14,2% em relação ao ano anterior, para 802, subindo pelo segundo mês consecutivo, informou a Tokyo Shoko Research Ltd. nesta quinta-feira. É a primeira vez desde maio de 2017 que as falências mensais aumentam 10% ou mais. É também a primeira vez desde então que o número de falências ultrapassou 800.

As vendas fracas e a escassez de mão-de-obra estiveram por trás do aumento, que a empresa de pesquisa de crédito disse que mudou o estado dos fracassos corporativos de ter “baixo para cima” para estar “em ascensão”.

As falências aumentaram em nove dos dez setores industriais cobertos na pesquisa. O aumento foi mais evidente nos setores de serviços, varejo e transporte, os quais sofreram muito com escassez de mão-de-obra.

Enquanto isso, o total de passivos deixados por empresas falidas caiu 17,1 por cento, para 93,4 bilhões de ienes, recuando pelo segundo mês consecutivo, já que falências de pequena escala, com dívidas de menos de 100 milhões de ienes, responderam por grande parte do total.

Citando motivos de preocupação, como o planejado aumento do imposto de consumo de outubro e o iene forte, a Tokyo Shoko Research disse que “o potencial está aumentando para um aumento [de falências], especialmente entre pequenas empresas que não conseguiram melhorar os negócios”.

Fonte: Jiji Press

Anúncios

Deixe um comentário:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.