Shiori Ito. Foto: KYODO

Jornalista diz que estava “desesperada para se proteger” de estupro

A jornalista japonesa Shiori Ito, que acusou um escritor político de estupro, disse em uma ação de danos na segunda-feira que tentou detê-lo e estava “desesperada para se proteger”.

Ito, 30, busca indenização de 11 milhões de ienes (101.500 dólares) de Noriyuki Yamaguchi, ex-chefe da sucursal de Washington da Tokyo Broadcasting System Television, conhecida como TBS, que depois publicou um best-seller sobre o primeiro-ministro Shinzo Abe. Yamaguchi negou qualquer ato ilegal.

“Senti-me tonta quando jantavamos juntos, e quando acordei em um hotel estava sendo estuprada”, disse Ito em uma audiência no Tribunal Distrital de Tóquio. “Eu estava desesperada para proteger meu corpo, dizendo a ele para ‘parar'”.

Ito alega que ela foi estuprada em um hotel em 2015 após um jantar em Tóquio com Yamaguchi, que prometeu ajuda para conseguir um emprego para ela.

“Mesmo agora eu tenho flashbacks”, disse ela à audiência, acrescentando que o estresse levou a algumas doenças físicas.

Após o incidente, ela apresentou uma queixa à polícia, mas os promotores desistiram do caso em julho de 2016, alegando evidências insuficientes.

Ito posteriormente entrou com uma queixa no Comitê para o Inquérito, mas também julgou em setembro de 2017 que a decisão dos promotores era “apropriada”, dizendo que não havia razão para derrubá-la.

Yamaguchi disse que seu ato foi consensual.

“Ito, que ficou bêbado, vomitou no hotel e eu mostrei descontentamento quando meus pertences se sujaram”, disse Yamaguchi, que está na casa dos 50 anos e deixou o TBS em 2016 para se tornar um jornalista freelancer. “Talvez ela estivesse tentando aliviar a atmosfera desajeitada. Foi ela quem iniciou as coisas puxando-me pela mão”.

O julgamento também inclui uma ação judicial contra Yamaguchi, que está buscando 130 milhões de ienes em indenização de Ito, alegando que sua reputação social foi prejudicada por seus comentários.

Fonte: Kyodo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *