As editoras alegaram que perderam bilhões em vendas potenciais por causa do site Manga Mura. Foto: AFP

Dono de site de mangá é preso nas Filipinas

Um homem que administrava uma biblioteca ilegal de mangá online lida por cerca de 100 milhões de pessoas a cada mês foi preso em Manila, disseram autoridades filipinas na terça-feira.

Romi Hoshino, 28 anos, controlava o “Manga Mura”, que foi desativado em abril do ano passado, quando o Japão lançou uma ação contra o fundador do site por violação maciça de direitos autorais.

Cerca de 100 milhões de pessoas por mês usavam o popular site pirata, que disponibilizava gratuitamente ao público 60 mil mangás – graphic novels ou quadrinhos japoneses – imediatamente após a publicação.

As editoras de mangá perderam cerca de 320 bilhões de ienes (US $ 2,94 bilhões) em receita potencial ao longo de um período de seis meses, até fevereiro de 2018, informou a Japan Content Overseas Distribution Association.

“É uma quantia enorme e o Manga Mura foi uma questão muito importante para os editores de mangá”, disse um funcionário do grupo antipirataria à AFP.

“O governo japonês criou uma força-tarefa apenas para tomar medidas contra o Manga Mura”, acrescentou o funcionário da associação.

Hoshino, que detém um passaporte japonês, foi preso no domingo no aeroporto de Manila depois que a embaixada do Japão em Manila procurou ajuda para localizá-lo, disse o comissário de imigração Jaime Morente em um comunicado, descrevendo-o como gerente do Manga Mura.

“Sua presença no país é um risco para a segurança pública” e provavelmente será deportada para o Japão, disse Morente.

Fonte: AFP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *