Europa precisa de candidato para substituir Lagarde no FMI

O ministro francês das Finanças, Bruno Le Maire, deixa uma reunião ministerial no Palácio do Eliseu, em Paris, em 17 de abril. Foto: REUTERS/Philippe Wojazer/File Photo

“Os ministros europeus das Finanças precisam encontrar um candidato para substituir Christine Lagarde como chefe do Fundo Monetário Internacional”, disseo ministro francês da Economia, Bruno Le Maire.

Os líderes europeus nomearam Lagarde na semana passada para suceder Mario Draghi como presidente do Banco Central Europeu, levantando a questão de quem, por sua vez, a substituiria no FMI.

Falando nos bastidores de uma conferência sobre economia e negócios no sul da França, Le Maire disse que os ministros das Finanças europeus discutirão a questão em uma reunião em Bruxelas na terça-feira.

“Precisamos encontrar um compromisso a nível europeu … Espero encontrar um consenso sobre o melhor candidato europeu ao FMI”, disse ele a jornalistas.

“Se tivermos um bom candidato europeu, poderemos ter um bom candidato para o FMI”, acrescentou ele, em resposta a uma pergunta sobre se o governador do Banco da Inglaterra, Mark Carney, poderia ser considerado candidato da Europa.

Embora nascido e criado no Canadá, Carney, que também é ex-governador do Banco do Canadá, possui passaportes britânico e irlandês, além de sua cidadania canadense.

Uma autoridade francesa disse que Le Maire deve discutir a questão com o presidente francês Emmanuel Macron no fim de semana e que ele provavelmente falaria com Carney antes.

A França estava ciente de que o apoio estava sendo construído para Carney, acrescentou o funcionário, dizendo que se Paris decidisse apoiá-lo, seria escolhido “de qualquer forma”.

No entanto, há uma preocupação com o apoio precedente que Carney estabeleceria, já que ele é “basicamente um canadense”, apesar de ser altamente considerado, disse a autoridade.

Tradicionalmente, o FMI, com sede em Washington, é liderado por um europeu, enquanto sua instituição irmã, o Banco Mundial, é dirigida por um norte-americano. Às vezes, os maiores países emergentes tentam romper o duopólio com seus próprios candidatos.

Dado que a presidência do Banco Mundial foi recentemente para o norte-americano David Malpass, a autoridade francesa disse que não havia razão para que o FMI não voltasse a ser um europeu.

Outros europeus “bem considerados” em Paris para o cargo do FMI incluem a comissária de Concorrência da UE, Margrethe Vestager, e o ex-ministro das Finanças holandês, Jeroen Dijsselbloem, disse a autoridade.

Le Maire decidiu se candidatar ao emprego do FMI na sexta-feira, dizendo à BFM TV em uma entrevista que pretendia ficar no Ministério da Fazenda da França pelos cinco anos do mandato de Macron.

Fonte: Reuters

Anúncios

Deixe um comentário:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.