Dinamarca elege seu mais jovem líder e cria governo de esquerda

A Dinamarca tornou-se o terceiro país nórdico este ano a formar um governo esquerdista depois que a líder do partido social-democrata, Mette Frederiksen, finalizou os termos de um governo minoritário de partido único. Aos 41 anos, ela se torna a mais jovem ministra do país.

“É com grande prazer que posso anunciar que, após três semanas de negociações, temos uma maioria para formar um novo governo”, disse Frederiksen na terça-feira.

Um grupo de cinco partidos de oposição de esquerda, liderados pelo partido social-democrata de Frederiksen, obteve a maioria na eleição de 5 de junho, levando o líder de centro-direita Lars Lokke Rasmussen a renunciar ao cargo de primeiro-ministro.

Enquanto o bloco de oposição esquerdista obteve uma maioria convincente, o apoio ao Partido Social Democrata caiu ligeiramente em comparação com o voto de 2015, mas continuou sendo o maior partido.

Apesar das diferenças entre partidos de esquerda em questões como bem-estar e imigração, Frederiksen conseguiu seu apoio para formar um governo minoritário de partido único, um acordo comum na Dinamarca.

Os resultados das eleições sinalizaram que os eleitores dinamarqueses se rebelaram contra as medidas de austeridade, enquanto desferiram um golpe aos nacionalistas de direita, que perderam mais da metade de seus votos em comparação com 2015.

Na Finlândia e na Suécia, os partidos social-democratas formaram governos no início deste ano.

Fonte: Guardian

Foto: Mads Claus Rasmussen / EPA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.