Pessoas idosas que bebem vinho apresentam habilidades cognitivas mais altas

Pessoas idosas que bebem vinho provavelmente têm habilidades cognitivas mais altas do que aquelas que não bebem, mas o mesmo não pode ser dito sobre outras bebidas alcoólicas, de acordo com um estudo.

O estudo, conduzido por um grupo de pesquisadores liderado por Mai Kabayama, professor assistente de enfermagem de saúde comunitária da Universidade de Osaka, foi realizado em 2016 e 2017 em 1.217 residentes com idade entre 76 e 86 anos em Tóquio e na província de Hyogo.

Os pesquisadores estudaram os hábitos de consumo dos moradores e outras características e avaliaram suas funções cognitivas por meio de testes de memória e atenção.

Os 67 indivíduos que eram bebedores de vinho tinham habilidades cognitivas significativamente maiores do que os 1.150 restantes que não bebiam vinho, de acordo com o estudo.

Não houve, contudo, diferença significativa nas habilidades cognitivas entre bebedores e não bebedores de seis outras variedades de bebidas alcoólicas, incluindo cerveja e saquê.

Um relatório científico anterior dizia que beber vinho efetivamente previne um declínio nas funções cognitivas, citando os efeitos antioxidantes de certos ingredientes, incluindo polifenóis, que estão contidos no vinho tinto.

“É concebível que os amantes do vinho tenham um interesse maior em saúde e bem-estar, o que pode ter afetado nossos resultados”, disse Yuya Akaki, um dos co-pesquisadores de Kabayama, que freqüenta a escola de pós-graduação da Universidade de Osaka. “Mais estudos são necessários porque ainda temos que estabelecer que o vinho pode efetivamente prevenir a demência. Beber em excesso tem efeitos negativos nas habilidades cognitivas, por isso a moderação é recomendada. ”

Cientistas de todo o mundo vêm estudando a correlação entre beber e funções cognitivas, mas poucos estudaram possíveis ligações com diferentes variedades de bebidas alcoólicas ou idosos, disseram os pesquisadores.

Quando todas as variedades de bebidas alcoólicas foram tomadas em conjunto, um estudo de correlação mostrou que aqueles que bebiam menos de um dia por semana e aqueles que bebiam entre um e seis dias por semana, ambos tinham habilidades cognitivas significativamente maiores do que aqueles que não bebiam nada. .

Os resultados da pesquisa foram apresentados em uma reunião acadêmica da Sociedade Geriátrica do Japão, aberta em 6 de junho em Sendai.

Fonte: Asahi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.