Jatos F-35A voltarão ao uso após treinamento de pilotos

O Ministério da Defesa vai retomar os vôos de caças furtivos F-35A que foram suspensos desde o acidente em abril na prefeitura de Aomori, com os pilotos sendo submetidos a treinamento para desorientação espacial para evitar acidentes semelhantes.

O ministro da Defesa, Takeshi Iwaya, explica os resultados de uma investigação sobre a primeira queda de um F-35A no prédio do Ministério da Defesa em Tóquio em 10 de junho. (Ryuichi Yamashita)

“Vamos fornecer uma explicação cuidadosa aos governos locais relacionados”, disse o ministro da Defesa, Takeshi Iwaya, em 10 de junho, quando o ministério divulgou os resultados de sua investigação sobre o acidente.

Os investigadores concluíram que o piloto provavelmente sofria de desorientação espacial.

No mesmo dia, funcionários do Ministério visitaram o escritório da prefeitura de Aomori e Misawa, uma cidade que hospeda a base aérea da Força Aérea de Autodefesa onde o jato de combate caiu, para explicar os resultados da investigação e os planos para medidas preventivas.

Eles pediram às autoridades locais para entenderem a retomada das operações de vôo.

O F-35A caiu a cerca de 135 quilômetros da costa da província de Aomori depois de decolar da base de Misawa para um exercício de combate envolvendo três outros F-35A na noite de 9 de abril.

O major Akinori Hosomi, de 41 anos, líder do voo, morreu no acidente.

Segundo os investigadores, o F-35A estava voando horizontalmente a uma altitude de cerca de 9.600 metros quando o controlador de solo ordenou que Hosomi descesse para impedi-lo de se aproximar de um avião militar dos EUA.

Hosomi respondeu em seu rádio: “Sim, roger”. O F-35A então começou a descer quase verticalmente em um ângulo íngreme e despencou cerca de 4.900 metros em apenas 20 segundos.

Hosomi foi então ordenado pelo controlador para virar à esquerda.”Sim”, ele respondeu em afirmação e disse: “Pare com isso (aborte o exercício)”.

Ele parecia calmo, de acordo com o ministério. Mas o jato de combate continuou sua queda vertical anormal.

Dentro de pouco mais de 10 segundos após a troca, o F-35A colidiu com o Oceano Pacífico a uma velocidade estimada superior a 1.100 km / h.

Havia pouca evidência de que o piloto tentou ejetar ou tomar medidas para sair do mergulho, de acordo com o ministério.

Com base nessas circunstâncias, o ministério concluiu que o piloto estava em um estado de desorientação espacial e perdeu um senso de equilíbrio. Ele não sabia que seu jato estava mergulhando em direção ao oceano.

Para evitar acidentes semelhantes, o ministério irá realizar treinamento em simulador de vôo para os pilotos experimentarem desorientação espacial.

Foi a primeira queda de um F-35A, levando o ministério a investigar outras 12 aeronaves.

Fonte: Asahi

Anúncios

Deixe um comentário:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.