A Coréia do Norte informou nesta quarta-feira que está combatendo ativamente a disseminação da contagiosa febre suína africana, semanas depois que relatou um surto próximo à fronteira com a China.

O jornal oficial Rodong Sinmun, do Norte, disse que os trabalhadores em todo o país estão realizando quarentena para impedir a propagação da doença e garantir a segurança na produção animal.

A peste suína africana dizimou rebanhos de porcos na China e em outros países asiáticos.

Há preocupação na Coréia do Sul de que o surto no norte possa se espalhar pela fronteira. Lee Sang-min, um porta-voz do Ministério da Unificação de Seul, que lida com assuntos intercoreanos, disse que o Norte ainda não respondeu aos pedidos de esforços conjuntos de quarentena.

O jornal norte-coreano afirmou que os esforços de quarentena estavam voltados para a desinfecção de fazendas e veículos de transporte, restrição de visitantes e proibição da distribuição de produtos alimentícios contendo carne suína.

“Em áreas em todo o país, os esforços de quarentena de emergência estão sendo agressivamente impulsionados para evitar a disseminação da peste suína africana, que é uma doença viral altamente contagiosa”, disse o jornal.

Autoridades sul-coreanas disseram que a Coréia do Norte não informou mais um caso desde que a doença ocorreu em uma fazenda na província de Jagang para a Organização Mundial de Saúde Animal no final de maio. O norte disse que 77 dos 99 porcos da fazenda morreram da doença e os restantes 22 foram abatidos.

Fonte: The Associated Press

Anúncios

Deixe um comentário:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.