Cientistas encontram maneira de cultivar órgãos humanos em porcos

Pesquisadores japoneses desenvolveram um porco especial cujo corpo poderia ser usado para cultivar órgãos internos humanos para futuros transplantes.

Eiji Kobayashi, professor de medicina regenerativa especialmente designado na Universidade de Keio, e outros cientistas removeram órgãos que produzem células do sistema imunológico do corpo do porco, para que ele não rejeitasse os órgãos humanos como substâncias estranhas.

O avanço foi publicado na revista científica britânica Nature Communications em 21 de maio.

Como os órgãos de suínos são tão grandes quanto os humanos, os cientistas têm tentado enxertar órgãos humanos em corpos de suínos usando células de haste pluripotente induzida (iPS).

Um grande problema nos esforços anteriores era que as células do sistema imunológico dos porcos atacavam os órgãos humanos como substâncias estranhas.

No entanto, interromper todas as funções do sistema imunológico do porco através da manipulação genética, tornou-o vulnerável à infecção por vírus e outros patógenos. O desafio era como proteger esses porcos de doenças infecciosas para prolongar sua curta vida.

Kobayashi e seus colegas removeram cirurgicamente o timo de porco e o baço, que produzem células T e células B que atacam os órgãos humanos. Drogas também foram usadas para inibir a atividade de outras células imunes remanescentes em seu corpo.

Os pesquisadores transplantaram vasos sanguíneos artificiais derivados de células humanas no porco. Os enxertos não foram rejeitados e o tecido vascular foi regenerado.

O porco, que foi mantido sob condições contendo germes, viveu por mais de cinco meses, segundo os cientistas.

“Conseguimos criar um porco que não é facilmente afetado por patógenos, mas não rejeita as células derivadas de humanos por não suprimir todas as funções de seu sistema imunológico”, disse Kobayashi.

Fonte: Asahi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *