Donald Trump declara emergência nacional sobre ameaças de telecomunicações

Na quarta-feira, Donald Trump assinou um decreto declarando uma emergência nacional e impedindo que empresas norte-americanas utilizem equipamentos de telecomunicações feitos por empresas que representam risco à segurança nacional, abrindo caminho para a proibição de fazer negócios com a Huawei Technologies, da China.

A ordem executiva invoca a Lei dos Poderes Econômicos de Emergência Internacionais, que dá ao presidente a autoridade para regular o comércio em resposta a uma emergência nacional que ameaça os Estados Unidos. A ordem orienta o departamento de comércio, trabalhando com outras agências do governo, a elaborar um plano para execução dentro de 150 dias.

O pedido, que está sendo revisado há mais de um ano, visa proteger a cadeia de suprimento de “adversários estrangeiros para a cadeia de fornecimento de serviços e tecnologia de informação e comunicações”, disse o secretário de Comércio, Wilbur Ross.

“Sob a liderança do presidente Trump, os americanos poderão confiar que nossos dados e infraestrutura estão seguros”, disse ele.

A Reuters informou na terça-feira que Trump deve agir sobre a tão esperada proposta esta semana. O pedido não menciona especificamente nenhum país ou empresa, mas autoridades dos EUA já rotularam a Huawei como “ameaça” e pressionaram ativamente os aliados a não usar equipamentos de rede da Huawei em redes 5G de próxima geração.

A ordem executiva ocorre em um momento delicado nas relações entre a China e os EUA, enquanto as duas maiores economias do mundo aumentam as tarifas em uma batalha sobre o que as autoridades dos EUA chamam de práticas comerciais desleais da China.

Washington acredita que o equipamento fabricado pela Huawei pode ser usado pelo estado chinês para espionar. A Huawei, que repetidamente negou as acusações, não comentou imediatamente.

A secretária de imprensa da Casa Branca, Sarah Sanders, disse que a ordem tinha o objetivo de impedir transações que representassem “um risco inaceitável para a segurança nacional dos Estados Unidos”.

Os Estados Unidos têm pressionado ativamente outros países a não usarem equipamentos da Huawei em redes 5G de próxima geração que eles chamam de “indignos de confiança”. Em agosto, Trump assinou um projeto de lei que proibia o próprio governo dos EUA de usar equipamentos da Huawei e de outro provedor chinês, a ZTE Corp.

O presidente da Comissão Federal de Comunicações, Ajit Pai, que classificou a Huawei como uma ameaça à segurança dos EUA, disse na quarta-feira que “dadas as ameaças apresentadas por equipamentos e serviços de certas empresas estrangeiras, este é um passo significativo para garantir as redes americanas”.

Fonte: The Guardian

Anúncios

Deixe uma resposta