Kabuki: Uma arte histórica do Japão

Explicar a arte tradicional japonesa do kabuki é muito desafiadora. Mesmo que você procure em um dicionário, você não vai aprender exatamente o que é, já que o kabuki é descrito simplesmente como um tipo de teatro particular para o Japão que se originou no início do período moderno e foi desenvolvido através da cultura do período Edo. (1603-1867).

As pessoas provavelmente têm uma imagem do kabuki como algo realizado apenas por homens, uma arte na qual os atores usam maquiagem elaborada, poses estáticas distintas, e movimentos dinamicos. Isso é verdade sobre o kabuki de hoje, mas não foi o caso no passado.

Diz-se que Kabuki data de “kabuki odori” (dança de kabuki) iniciada pela artista feminina Izumo no Okuni, às margens do rio Kamogawa, em Kyoto.
Em 1629, tornou-se proibido a prática do Kabuki feminino, justamente por associar teatro à prostituição. A partir daí, surge o Kabuki de homens, wakashū kabuki, encenado por rapazes de até 15 anos e, sob a mesma alegação, este foi proibido no ano de 1652. No mesmo ano a restrição foi levantada, mas apenas a homens adultos (yarō kabuki).

O nome do kabuki deriva da palavra japonesa “kabuku”, que significa atuar e se vestir fora do comum. Em outras palavras, isso poderia significar “a moda mais avançada”.

Assim, nasce o kabuki interpretado por homens em papéis variados e, mais uma vez, rompendo tabus, atores derrubam estereótipos e interpretam mulheres, esbanjando talento e cumprindo o papel de artista provocador, em pleno século XVII. Vale ressaltar um nome expressivo desta época conhecido como onnagata (ator que interpreta papéis femininos), o ator Ayame Yoshizawa I (1673-1729).

Características da arte

O Kabuki é exagerado, realista e promovendo ruptura de padrões. É o teatro que se opõe a aristocracia, um teatro feito por pessoas comuns e como dito anteriormente, muitas foram acusadas de prostituição, prática muito estigmatizada ainda nos tempos atuais.

Sem máscaras, os atores surgem com as faces maquiadas em um palco retangular que é uma verdadeira ode ao exagero, cores berrantes, repletos de adereços e nele atores apresentam os 5 estilos de atuação no Kabuki:

  • pantomima (mímica) e ocorre na escuridão total;
  • aragoto, maquiagens vigorosas, vestes extravagantes;
  • wagoto, mais suave e sensual;
  • maruhon, com bonecos;
  • shosagoto que é um estilo de dança.

O kanji atual para o kabuki se enraizou na era Meiji (1868-1912), incluindo o caractere chinês para “ka” que significa música e que para “bu” significa dança. O kanji para “ki” – uma combinação de ninben, um kanji radical significando uma pessoa e um caractere chinês que significa apoio ou mover-se com uma postura inclinada. Com todos esses caracteres kanji combinados, a palavra significa “movimento de um ator que canta e dança”.

Tradição de gerações

Dentro de cada estilo do Kabuki, grandes atores destacaram-se e um deles deixou um verdadeiro legado, uma dinastia teatral, uma família inteira dedicada ao teatro, o Ichikawa Danjūrō. Infelizmente, nem todos os principais atores deixaram retratos ou pinturas suas, mas a imaginação solta já me fez criar inúmeros rostos.

Foto da Família Ichikawa. Foto: Wikipedia.

As pessoas tendem a descrever o kabuki como uma arte performática que é difícil de entender, com atores usando palavras de muito tempo atrás. Isso é verdade, mas não é um problema específico, mesmo que você não entenda. Por exemplo, a matinê de maio no teatro é “Kanjincho”, uma peça popular de kabuki em que os três personagens principais entregam principalmente frases com termos antigos e difíceis usados ​​no período Edo. Mesmo um nativo japonês não consigue acompanhar mais da metade do que eles dizem.

Os fãs de kabuki vêm ao teatro para ver como Eibizo interpreta o papel de forma diferente de suas performances passadas, ou quais são as semelhanças e diferenças entre ele e seus predecessores.

Os atores kabuki têm um forte senso de orgulho em continuar uma arte tradicional com uma história de 400 anos. O kabuki não é apenas entretenimento para as pessoas de hoje, ele também respeita seus precursores e tradição. Eu acredito que esse equilíbrio manteve o kabuki o que é.

Fonte: Wikipedia| Diversos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *