Pais são contra trazer smartphones para as escolas

Sessenta por cento dos responsáveis ​​pelos pais dos alunos do ensino fundamental são contra crianças que trazem smartphones para a escola, mostra uma pesquisa online conduzida pela Meiko Network Japan Co., uma operadora de escolas de Tóquio.

Enquanto a Secretaria da Secretaria de Educação da Prefeitura de Osaka começou este mês permitindo que alunos do ensino fundamental e médio levassem seus smartphones para a escola, o resultado mostra que há fortes preocupações entre os responsáveis ​​pelos pais.

A pesquisa foi realizada no início de março com 760 responsáveis ​​pelos pais que têm filhos entre quarta e sexta séries no ensino fundamental, ou cursando o ensino médio.

Entre aqueles que têm crianças do ensino fundamental, 60,5 por cento dos entrevistados responderam “contra” ou “um pouco contra” as crianças indo à escola com smartphones. O número caiu para 47,9 por cento para aqueles que têm alunos do ensino médio.

Nas perguntas que permitem respostas múltiplas, quando perguntados por que se opunham a levar smartphones para a escola, 79,1% dos entrevistados responderam: “Isso se tornaria uma causa de problemas”. A segunda resposta mais comum era “Isso atrapalharia os estudos na escola”. em 57,8 por cento.

Por outro lado, para os entrevistados que apóiam a ideia de as crianças irem à escola com smartphones, 83,3% disseram que “os smartphones podem ser um meio de comunicação em situações de emergência”, seguidos por 50,4% que disseram “útil como crime”. ferramenta de prevenção ”e 20,1 por cento que disseram,“ dispositivo útil para estudo”.

As porcentagens de guardiões dos pais que permitiram que seus filhos carregassem seu próprio smartphone foram 40,8% para aqueles cujos filhos estão no ensino fundamental e 72,4% para o ensino médio.

O Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia em 2009 notificou as organizações educacionais relacionadas de sua política para, em princípio, proibir as crianças de trazer smartphones para a escola.

No entanto, o ministério está reexaminando a política em resposta à decisão do órgão de educação de Osaka.

Kazuo Takeuchi, professor associado da University of Hyogo e especialista em questões da Internet, destaca: “Muitos responsáveis ​​pelos pais estão preocupados com problemas como roubo e intimidação, bem como influência negativa nos estudos das crianças. Devemos ter uma discussão cuidadosa sobre o assunto. ”Discurso

Fonte: Yomiuri Shimbun

Anúncios

Deixe uma resposta