Alternando as carreiras de lutador e palestrante, Ken Shamrock assina um autógrafo no Rushmore Mall, em Rapid City, Dakota do Sul, USA. ( Cortesia : Adam Fondren / Jornal Staff / Rapid City Journal media group ).

Segundo noticiou Richard Anderson, jornalista esportivo do Rapid City Journal ( um jornal diário de Rapid City, Dakota do Sul, EUA ), os locais Mike Kelly e sua esposa Annie, estão trazendo uma série de atletas para a reserva indígena Pine Ridge, para palestras motivacionais.
Alguns dos nomes mais recentes incluem o membro do ‘Hall da Fama’ da Associação Nacional de Basquete, Rick Barry e o ex-campeão do Ultimate Fighting Championship ( UFC ) Jens Pulver.

Quem falará nessa quarta-feira ( 10/04 ) para as crianças e adolescentes na Pine Ridge High School, na Red Cloud High School e na Wolf Creek Elementary School é o All-American no futebol americano, campeão mundial em profissional wrestling e MMA e também ‘Hall da Fama’ do UFC, Ken Shamrock. Ele é o nono atleta profissional que Kelly trouxe para a Reserva Indígena.

Nascido Kenneth Kilpatrick, ele não é estranho às mesmas lutas que costuma ver nos olhos de alguns dos jovens para os quais ministra as suas palestras motivacionais.
Quando criança, ele nem sempre tinha uma casa e morava em um carro. A violência era desenfreada; ele foi esfaqueado quando jovem. Até se ver diante de um tribunal.
Foi então que ele finalmente teve a chance de mudar sua vida graças à Bob Shamrock, dono do Shamrock Boys Home – a última casa onde Ken morou – até alcançar o sucesso atlético.

No ensino médio, Shamrock era um atleta excelente em wrestling colegial, invicto no último ano ( até se classificou para o torneio estadual ), quando sofreu uma séria lesão no pescoço. Foi então que ele foi informado que nunca mais faria esportes de contato.

Por um curto período de tempo, como a maioria esperaria naquela situação, ele sentiu que sua vida havia acabado. A depressão o atingiu aos 17 anos de idade.

Mais uma vez, foram os conselhos de Bob Shamrock ( agora seu pai adotivo ), que mudou a vida ao seu redor.
-“Você vai se lamentar e simplesmente deitar lá, ou vai se levantar e fazer algo sobre isso.”-disse Bob, naquela ocasião.

Um ano e meio depois, já recuperado, Ken estava no campo de futebol americano jogando como ‘linebacker’ no Shasta College e então ele se tornou um ‘Junior College All-American’.
Na sequência Shamrock também brilhou como um lutador.

Após se familiarizar com os shows do profissional wrestling, ele fez a sua estreia no MMA no Pancrase ( em 21 de setembro de 1993 ), para em seguida participar da edição inaugural do UFC ( em 12 de novembro daquele mesmo ano ).

Mas ao longo de sua vitoriosa carreira esportiva, Ken adquiriu outras lesões : um ACL rasgado, um par de mãos quebradas, um pé quebrado e uma nova lesão no pescoço ( as duas últimas sofridas no Pro Wrestling ) cobraram o seu “pedágio” por alguns anos, mas ele voltou no ano 2000 para o Pride Fighting Championships, antes de retornar ao UFC em 2002, onde fez três lutas famosas com Tito Ortiz, embora Ortiz tenha vencido as três.

Em 2003, ele e Royce Gracie foram os dois primeiros lutadores do ‘Hall da Fama’ do UFC.

Um pioneiro no esporte MMA, Shamrock disse que é difícil colocar tudo em perspectiva. Ele disse que às vezes se sente honrado, e às vezes se sente menosprezado, não só por si mesmo, mas por outros lutadores pioneiros, e como o esporte mudou ao longo dos anos.

-“Você olha para isso ( MMA ) e diz: ‘Cara, que oportunidade. Que bom que estávamos lá quando tudo começou’. Foi tão cru, mas aqueles tempos eram especiais. Nós ajudamos à trazer o esporte para onde está hoje.”-falou ele.

“Por outro lado, você também fica um pouco irritado porque os promotores e os proprietários ( do eventos ) estão pegando dinheiro que deveria ser distribuído para os lutadores. Queríamos que essa coisa fosse grande, mas a maneira como estão fazendo agora vai acabar estragando tudo, porque não estão pagando ninguém satisfatoriamente.”-complementou.

Sobre o seu trabalho como palestrante, Shamrock fez uma análise importante :
-“para ser capaz de ajudar as crianças, você tem que ser capaz de descobrir como elas funcionam; Por que eles estão fazendo a maioria das coisas que estão fazendo?”-comentou o lutador.

-“Seja qual for a mensagem que eles ouvem, isso os leva a fazer algo a respeito, isso os leva a entender que eles têm a capacidade de mudar as coisas. Espero poder deixar isso com essas crianças, que não importa o quão ruim as coisas sejam, elas podem mudar. Apenas se trata de quão realmente eles querem mudar. Em algum lugar ao longo da sua vida, você terá que confiar em alguém. Isso é arriscado. Você pode se machucar e pode se decepcionar. Mas isso é a vida. Você se levanta e faz isso de novo até descobrir qual será a pessoa verdadeira, que irá ajudá-lo. Mas se você parar, quais serão as suas alternativas?”-continuou, empolgado.

Ken Shamrock aprendeu a nunca parar e agora “O Homem mais perigoso do mundo” quer falar sobre sua vida e sobre o que ele passou para os jovens e motivá-los.

Mesmo com a idade de 55 anos, Shamrock disse que ele não está oficialmente aposentado. Ele se vê mais como um ‘semi-aposentado’.
Sua última luta de MMA foi em 2016 e ele tem participado de alguns circuitos de profissional wrestling independentes, na Austrália. Mais especificamente no Battle Championship Wrestling.

*Fonte / Créditos : colaborador Oriosvaldo Costa. | Postado em 10/04/2019

Anúncios

Oriosvaldo Costa

Oriosvaldo Costa “Mr. Kung Fu”. O primeiro muçulmano lutador de MMA do Brasil. 7 lutas : 3 vitórias, 3 derrotas, 1 No Contest.

Deixe um comentário:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.