Camilla Mannes, da Noruega, recebeu sua medalha de prata no IMMAF World Championships de 2016 das mãos do lendário Antônio Rodrigo Nogueira, o “minotauro”. ( Cortesia : divulgação ).

MMA e boxe profissional são legalizados novamente na Noruega

Camilla Mannes, da Noruega, recebeu sua medalha de prata no IMMAF World Championships de 2016 das mãos do lendário Antônio Rodrigo Nogueira, o “minotauro”. ( Cortesia : divulgação ).

A Norwegian MMA Federation ( NMMAF ), ou Federação Norueguesa de MMA – em bom português – confirmou mais uma conquista para o esporte que mais cresce no mundo.
O MMA foi reconhecido como esporte pela Norges Idrettsforbund – NIF, ou seja, Federação Norueguesa de Esportes.

Inclusive, o corpo governante mundial do MMA, formado pela International Mixed Martial Arts Federation ( IMMAF ) juntamente com a World Mixed Martial Arts Association ( WMMAA ), foi notificado de que a Federação Norueguesa de Esportes concordou em aceitar os pedidos da Norges Kampsportforbund – NKF, ou Federação Norueguesa de Combate – na tradução – para reconhecer o MMA e o Muay Thai, como modalidades esportivas naquele país.

O NKF serve como um ‘guarda-chuva’ na Noruega para os esportes de combate já reconhecidos por lá, como Karate, Jiu-Jitsu, Wushu ( Kung Fu ) e Krav Magá. Ambas as modalidades, MMA e Muay Thai são agora membros oficiais da NKF.

Anteriormente, o MMA havia sido banido da Noruega, e as únicas competições permitidas eram aquelas no formato “Merkekamper”, com os lutadores competindo em um ambiente ‘inter-clube’ sob regras que mais se assemelhavam à um sessão de ‘sparring’ acordadas pela NMMAF com o governo norueguês.

Também recentemente, a Noruega acabou com uma proibição de 33 anos das competições de boxe profissional graças à suspensão da velha “lei do nocaute”, que proibia qualquer esporte em que a vitória ou os pontos pudessem ser marcados por nocaute.

Quando ainda estavam sob a proibição da lei – que fora aprovada em 1º de janeiro de 1982 – os boxeadores profissionais poderiam ser punidos com três meses de prisão, conforme informou o site de notícias esportivas de combate Sherdog.com.

Contudo, desde 2016 – quando a lei foi revogada graças à uma votação no Parlamento em Oslo ( 54-48 ) – os boxeadores profissionais puderam finalmente voltar aos ringues na Noruega, acabando com uma proibição que já perdurava por três décadas no esporte.

Atualmente, lutas como a que envolveu o astro norueguês do boxe, Kai Robin Havnaa, que já lutou no SØR Amfi em Arendal ( sua cidade natal ) contra o duro croata Marino Goles, são realizadas regularmente naquele país.

O NMMAF como órgão nacional que rege o MMA na Noruega deverá iniciar uma discussão com o governo com vistas a implementar uma competição formal sancionada, pois a modalidade já foi reconhecida pelo NKF.

-“Essa é uma ótima notícia para o esporte do MMA, tanto como esporte recreativo quanto para os atletas profissionais. O esporte ganhou reconhecimento oficial na Noruega. Isso tornará muito mais eficiente gerenciar e desenvolver o esporte de maneira sólida e segura ”.- comentou Henning Svendsen, presidente da NMMAF.

O desenvolvimento positivo segue as manchetes recentes na França, onde a Ministra do Esporte, Roxana Mărăcineanu, declarou seus planos de regular as competições de MMA também naquele país. Atualmente, mais de 30 países membros da IMMAF – WMMAA alcançaram o reconhecimento do governo ou do Comitê Olímpico Nacional.

Hoje em dia as competições de MMA também já são promovidas nos cinco continentes e sempre atraem o interesse do público. A IMMAF – WMMAA ainda está otimista com a inclusão da modalidade como um esporte de  demonstração nos jogos Olímpicos de 2028.

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 07/04/2019

Anúncios

Oriosvaldo Costa | オリオスバルドコスタ

Oriosvaldo Costa “Mr. Kung Fu”. O primeiro muçulmano lutador de MMA do Brasil. 7 lutas : 3 vitórias, 3 derrotas, 1 No Contest.

Deixe uma resposta