Novidades anunciadas pela empresa controladora do UFC

A Endeavor LLC. está trabalhando para tornar o UFC uma empresa pública até o final de 2019. ( Cortesia : Divulgação ).

Formada em 1898, a William Morris Agency é a agência de talentos mais antiga dos EUA. Em 2009, a WMA se uniu à Endeavor para se tornar uma das principais empresas de entretenimento e mídia com uma lista inigualável de artistas e criadores de conteúdo. Em 2014, a WME adquiriu a IMG, líder global em esportes, eventos, mídia e moda, formando a Endeavor.

Já em 2016, a então Endeavor WME-IMG comprou o Ultimate Fighting Championship ( UFC) dos irmãos Fertitta por US$ 4 bilhões.

Atualmente Endeavor LLC. a empresa é a controladora do UFC e também está por trás da maior agência de talentos de Hollywood.
A novidade é que a Endeavor tem ou está prestes a arquivar documentos confidenciais para abrir uma Oferta Pública Inicial ( ou, IPO, na sigla em inglês ), até o final deste ano.

Segundo o conceituado The Wall Street Journal, fazem alguns dias que a Endeavor tem tomado algumas destas medidas, o que indica que haverá mesmo uma oferta pública inicial ( um lançamento no mercado de ações no qual as ações de uma empresa são vendidas, caracteristicamente para investidores institucionais e individuais ), até o final de 2019.

Até porque, a Endeavor também devolveu um investimento de US $ 400 milhões da Arábia Saudita, devido à suposta participação do país no assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, no ano passado.

Portanto, não é de se estranhar que a empresa deva – à partir de agora – tentar levantar fundos para uma expansão através de um IPO, ao menos, aparentemente.
Segundo pessoas a par do assunto, isso realmente colocaria o conglomerado de Hollywood no caminho certo para atingir os mercados públicos até o final do ano.

O UFC sempre foi uma companhia de capital fechado e não revela suas finanças; mas isso mudará se a Endeavour, de fato, torna-lo uma empresa pública.

Quem não está muito empolgado com essa possibilidade é Dana White.

-“Eu nunca fui fã do UFC se tornar uma empresa pública. Você pode me imaginar dirigindo uma empresa pública ? Não, eu também não posso. Vamos fazer algumas apostas sobre quanto tempo durarei em uma empresa pública”.-disse Dana, o ( ainda ) presidente do UFC.

Anteriormente – logo após ter comprado o Ultimate dos irmãos Fertitta – a empresa deu à alguns de seus clientes a oportunidade de adquirir uma pequena participação acionária no UFC.

Entre estas celebridades que viraram acionistas da maior organização de MMA do mundo estavam nomes como os de Tom Brady ( marido da modelo brasileira Gisele Bundchen e astro do futebol americano ), as irmãs Serena e Venus Williams, o músico Adam Levine e atores do porte de Ben Affleck e Sylvester Stallone, entre outros.

Naquela ocasião, Ari Emanuel, CEO da Endeavor, contou que quando decidiu procurar por novos acionistas, buscou estas celebridades que ele já sabia serem fãs do UFC.
Ele ressaltou que ao abrir essa possibilidade aos famosos estava consolidando o MMA como um esporte mundial e não mais como um ‘produto de nicho’.

Atualmente a Endeavor produz mais de 52 mil horas de conteúdo esportivo e distribui outras 32 mil horas de conteúdo para mais de 200 clientes incluindo grandes ligas esportivas como as NFL, Premier League, MLS, Euroleague, PBR e até mesmo a WWE.

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 03/04/2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.