O “poster” de divulgação do Remulos Fight Night do último sábado ( 30/03 ), em Manaus-AM. ( Cortesia : Divulgação Remulos Fight Night ).

“Luto no Esporte” – 1ª morte registrada após uma competição de MMA no Brasil

O esporte que mais cresce no mundo está de luto. Pela primeira vez no Brasil, desde que foi criado em nosso país por volta de 1930 ( quando a modalidade ainda era conhecida como Vale Tudo ), um atleta faleceu após uma competição da modalidade que hoje conhecemos como MMA.
[ N.E. Ver nota ao término da matéria ].

A fatalidade aconteceu no sábado ( 30/03 ), após a sexta edição do Remulos Fight Night ( RFN ), evento que acontece todos os finais de semana na boate Remulos Beer, localizada na Rua Lobo D’Almada, nº 363, bairro Centro, zona sul de Manaus, no estado do Amazonas.

Promovido pelo empresário Rômulo Fernandes, o Remulos Fight Night é chancelado pela Comissão Atlética de MMA do Amazonas ( CAMMA-AM ) e é apresentado pelo melhor ‘announcer’ do Brasil, Bilmar Pereira, eleito em 2018 pelo Prêmio Osvaldo Paquetá, “o Oscar do MMA nacional”.

É importante frisar que o atleta que veio à óbito não faleceu durante a luta em si, mas sim no hospital em que foi atendido, após o evento.

Seu nome era Mateus Fernando e o mesmo praticava Jiu-Jutsu e Boxe no Projeto Social Formando Campeões com o professor Valmir Dieb, onde o mesmo ministra aulas sempre às terças e quintas, para ajudar os jovens e crianças através da inclusão social com a prática do esporte.

A revolta dos atletas amazonenses está acirrando os debates nas redes sociais com acusações para os promotores do evento que – segundo os manauaras – não teriam disponibilizado uma ambulância para eventuais emergências, e até mesmo para os técnicos de alguns lutadores que, na ânsia de mostrar os resultados do seu trabalho, estão colocando atletas para lutar sem que estes estejam devidamente preparados.
Uma internauta chegou à informar que, em Manuas, existem professores que escalam atletas para lutar com apenas uma semana de treino.

Devido à esta fatalidade agora há até mesmo atletas que estão exigindo um seguro ( e com razão ), para o caso de algum acidente ou morte, como já é posto em prática em algumas competições profissionais de Kickboxing, aqui mesmo no Brasil.

Enfim, ainda existem muitas especulações e estamos aguardando mais informações. Inclusive, estamos tentando contato com o promotor da competição e com a federação que comandava o evento, pois a mesma também ainda não se posicionou.

Atleta profissional de MMA, inclusive com lutas em outros países pelo mundo, Adriano Balby está revoltado com o esporte amazonense e está liderando uma campanha para moralizar o MMA no seu estado. Segundo o mesmo, os eventos no Amazonas não estão exigindo exames médicos que atestem a saúde do lutador e não contam com a supervisão de nenhuma federação para averiguar tais exames e se os atletas estão mesmo capacitados à entrar numa arena de lutas.

Lutador que mais trouxe vitórias para o MMA do seu estado, Adriano Balby revela ainda que não admitirá mais tanto descaso com os seres humanos, como se a vida humana não valesse nada.
Como atleta, ele entende que esse tipo de fatalidade acontece em todos os esportes, mas na maioria das vezes isso é evitado com uma simples ambulância que fica de prontidão por R$ 700,00 ( a mais simples ) ou uma outra por R$ 3000,00 ( com UTI Móvel ), e promete lutar por essas e outras melhorais.

Inclusive, Balby já se comunicou com o secretário de esportes da sua cidade para que as providências sejam tomadas, pois os atletas estão lutando por bolsa em ingressos e não contam com nenhuma garantia.

Este lamentável fato mostra que os organizadores deste tipo de evento devem se certificar que os lutadores participantes são aptos para entrar no ‘cage’ e enquanto isso não acontece, recomendamos aos próprios atletas que invistam em si mesmos, fazendo os exames necessários para a prática do esporte periodicamente, pois o seu corpo é o seu instrumento de trabalho e a sua vida é o seu maior patrimônio.

Para finalizar, gostaríamos de enviar as nossas condolências para a família do lutador Mateus Fernando e seu professor Valmir Dieb.

[ NOTA : Alguns historiadores divergem quanto às datas e afirmam que a primeira luta da modalidade que era então conhecida como Vale Tudo foi realizada no Brasil em 1909 ].

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 31/03/2019

Anúncios

Oriosvaldo Costa | オリオスバルドコスタ

Oriosvaldo Costa “Mr. Kung Fu”. O primeiro muçulmano lutador de MMA do Brasil. 7 lutas : 3 vitórias, 3 derrotas, 1 No Contest.

Deixe uma resposta