Tribunal nega direito a diferentes sobrenomes para casais

O Tribunal do Distrito de Tóquio em 25 de março rejeitou uma ação judicial que permite que casais casados ​​escolham sobrenomes diferentes, determinando que as disposições legais que exigem um nome comum são constitucionais.

Quatro demandantes, incluindo Yoshihisa Aono, 47 anos, presidente da Cybozu Inc., entraram com uma ação em 9 de janeiro de 2018, buscando um total de 2,2 milhões de ienes (US $ 20.000) em danos do governo central.

Eles argumentaram que a Lei de Registros Familiares viola a garantia constitucional de igualdade porque permite que casais japoneses-estrangeiros escolham sobrenomes diferentes, mas casais japoneses só podem escolher um nome comum.

No entanto, o tribunal distrital disse que a Lei de Registro Familiar, que se enquadra no Direito Civil, é constitucional.

O governo central argumentou que uma decisão da Suprema Corte em 2015 dizia que as disposições da Lei Civil que exigiam que marido e mulher compartilhassem um nome comum eram “constitucionais”.

“Sob o sistema de registro familiar, as relações familiares são registradas seguindo a Lei Civil”, disse o governo central. “É impossível revisar a Lei de Registro de Família sem revisar o Direito Civil.”

Os quatro demandantes são todos da área de Tóquio. Aono e outro queixoso escolheram o sobrenome de suas esposas no casamento. Os outros dois demandantes estão em um casamento de direito comum.

Aono disse que as disposições legais o forçaram a usar tanto seu sobrenome pré-matrimonial quanto o sobrenome registrado para fins comerciais ou situações particulares, “causando não apenas sofrimento mental, mas também uma enorme quantidade de perdas econômicas”.

Fonte: Asahi

Anúncios

Deixe uma resposta