Novidades da segunda temporada da Professional Fighters League ( PFL )

Como forma de provar que os pessimistas estavam errados, a Professional Fighters League ( PFL ) confirmou que a sua segunda temporada começa oficialmente no dia 9 de maio no Nassau Coliseum, em Long Island, NY, USA.

A Professional Fighters League apresenta o MMA pela primeira vez em um formato de temporada esportiva, onde lutadores individuais competem em uma temporada regular com semi-finais e final de campeonato.

Ray Sefo, presidente e diretor de Relações de Talento da PFL, disse em recente entrevista que novos lutadores se juntarão à liga por uma chance de ganhar um milhão de dólares, assim como em sua primeira temporada, quando os seis novos campeões de seus respectivos torneios se tornaram milionários.

Sefo também foi lutador profissional de boxe e kickboxing durante sua carreira, entre 1994 e 2012. Além disso, o neozelandês ( atualmente com 48 anos ), realizou quatro combates de MMA, com duas vitórias, sobre Min Soo Kim ( no K-1 Hero’s 2 ) e Kevin Jordan ( no Strikeforce-Challengers ), e duas derrotas, para Valentijn Overeem – irmão de Alistair Overeem, ( no Strikeforce-Fedor vs Silva ) e para Dave Huckaba ( no WSOF 4 – organização já presidida por ele na ocasião do confronto ).
Então ele não é nenhum aventureiro no meio, já vivenciou a dura realidade e o dia-à-dia dos lutadores e está apostando as suas fichas na nova promoção.

A PFL – que é uma continuidade ao World Series of Fighting ( WSOF ) – também irá substituir a divisão dos pesos médios por uma divisão feminina na categoria leve, encabeçada pela atleta duas vezes medalhista olímpica de Judô Kayla Harrison.

A maior novidade de todas, entretanto, é que a Professional Fighters League encontrou uma nova casa.
A promoção de MMA assinou um contrato de dois anos com a ESPN para transmitir as próximas temporadas de 2019 e 2020, conforme anunciou Peter Murray, CEO da PFL, em um episódio do “Ariel Helwani’s MMA Show” no mês de fevereiro.

O acordo de transmissão tem início já no primeiro evento de 9 de maio, com as preliminares sendo transmitidos pela ESPN+, enquanto a ESPN2 transmitirá o ‘card’ principal. Os “playoffs” começarão em 11 de outubro e a temporada culminará em 31 de dezembro, com as finais sendo transmitidas “ao vivo” pela ESPN2.

Não custa lembrar que a ESPN, o líder indiscutível em esportes, também transmite os principais shows do UFC para os países em língua inglesa e hispânica.

Digna de nota é a parceria entre a ESPN e a ‘The Walt Disney Company’ ( dona de 80% do grupo ) e que lançou uma nova plataforma ‘online’ e exclusiva para ‘streaming’ “ao vivo” pela ESPN+, para a transmissão das lutas do UFC.
A ironia é que a ‘Walt Disney’ participou do movimento de censura ao MMA nos Estados Unidos durante os anos 90, boicotando as transmissões dos eventos do UFC e similares pelo sistema de pay-per-view. Como as coisas mudam.

Quanto à Professional Fighters League, esta poderá se tornar líder em tecnologia e revolucionar a forma como os fãs de MMA assistem as lutas “ao vivo”, proporcionando novas experiências.
De acordo com Peter Murray, os fãs poderão ver as lutas da PFL pela plataforma SmartCage e sistema Cagenomics, que irão exibir os dados da mesma ‘em tempo real’ e levar o público “para dentro” do ‘cage’.

*Texto do colaborador Oriosvaldo Costa. | Escrito em 22/03/2019

In this article

Join the Conversation

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.