Gangue abre fogo contra caminhões que transportavam combustível nuclear

Um comboio de caminhões que transportavam combustível nuclear sofreu um ataque armado em uma rodovia no Estado do Rio de Janeiro, na terça-feira, enquanto passava por uma comunidade controlada por uma gangue de drogas. Membros de gangues armados com rifles abriram fogo contra o comboio, segundo o jornal O Globo.

Policiais armados escoltando o comboio trocaram fogo com membros de gangues armadas enquanto os caminhões que transportavam urânio continuavam a uma usina nuclear próxima.

O ataque é o último de vários incidentes violentos na área onde o Brasil tem dois reatores nucleares e levantou preocupações sobre sua segurança nuclear em um estado que sofre com altos níveis de crimes violentos.

O ataque aconteceu quando o comboio passou pela comunidade do Frade por volta do meio-dia, perto da cidade turística de Angra dos Reis, na Costa Verde, a cerca de 200 km do Rio de Janeiro. Os caminhões chegaram à usina nuclear de Angra 2 menos de meia hora depois, disse a agência nuclear do Brasil.

O ataque aconteceu na mesma área e na mesma rodovia onde a turista britânica Eloise Dixon foi baleada e ferida em 2017, depois que o carro alugado de sua família entrou acidentalmente em outra comunidade de gangues, a Água Santa. No ano passado, um grupo armado explodiu dois caixas eletrônicos em um condomínio para trabalhadores nucleares a apenas um quilômetro das duas usinas, que fornecem cerca de 3% da energia do Brasil.

A agência nuclear do governo brasileiro, a Eletronuclear, afirmou em comunicado que o urânio estava em um “estado natural” e não teria prejudicado a população, já que tinha o mesmo nível de radioatividade de quando encontrado na natureza. A polícia tomou posição na beira da estrada quando foram ouvidos tiros por volta do meio-dia, enquanto o comboio passava por uma área onde ocorria um tiroteio, disse a Eletronuclear. A companhia disse que o comboio passou por uma área onde um tiroteio estava acontecendo e não foi atacado.

Normalmente, esses comboios têm cerca de cinco ou seis caminhões e são escoltados por policiais e motoqueiros regulares da Polícia Rodoviária Federal do Brasil, disse o porta-voz da Eletronuclear, Marco Antonio Alves.

No entanto, uma porta-voz da Polícia Rodoviária Federal no Rio disse em um comunicado que o comboio estava sob fogo.

“Durante uma missão de escolta perto da comunidade do Frade, indivíduos armados abriram fogo contra as equipes da Polícia Rodoviária Federal, que reagiram”, disse ela. “Ninguém foi preso ou ferido. Durante a troca de tiros, os criminosos deixam cair uma revista de pistola contendo 12 balas de 9mm, que foi confiscada pela equipe. ”

Marco Antonio Alves disse que o comboio passou por Frade quando um tiroteio estava ocorrendo.

“Houve um conflito, houve um tiroteio nesta comunidade chamado Frade, a polícia tomou posição e o comboio continuou. Alguns policiais ficaram para trás e trocaram tiros ”, disse ele. “O que aconteceu foi uma coincidência”.

Nos últimos anos, comunidades de baixa renda em torno de Angra dos Reis, como Frade, foram tomadas por gangues de traficantes armados do Rio de Janeiro, incluindo o notoriamente violento Comando Vermelho.

Fonte: The Guardian

Anúncios

Leandro | レアンドロ・フェレイラ

Webmaster, programador, desenvolvedor e editor de artigos.

Deixe uma resposta