Japão diz que não condenará a Coréia do Norte na ONU

O Japão decidiu pela primeira vez em anos não submeter às Nações Unidas uma resolução conjunta condenando os abusos dos direitos humanos da Coréia do Norte, dados os esforços dos EUA para acabar com o programa de armas da Coréia do Norte e outros fatores.

O Japão e a União Européia apresentaram uma moção condenando a Coréia do Norte á ONU todos os anos desde 2008. A Coréia do Norte rejeitou repetidas vezes as acusações de abusos de direitos.

“A decisão foi tomada levando-se em consideração vários fatores de forma abrangente, como os resultados da reunião de cúpula entre os Estados Unidos e a Coréia do Norte e a situação do seqüestro no Japão”, disse o secretário-chefe do gabinete, Yoshihide Suga, em entrevista coletiva.

O presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder norte-coreano Kim Jong Un realizaram sua segunda cúpula no mês passado sobre as exigências dos EUA de que a Coréia do Norte desmantele seu programa nuclear em troca de garantias de segurança e suspensão de sanções.

Mas as negociações no Vietnã foram interrompidas sem acordo.

O Japão está de olho no diálogo entre os Estados Unidos e a Coréia do Norte, em meio a preocupações de que um acordo entre os antigos inimigos poderia levar a uma redução dos compromissos dos EUA no leste da Ásia.

O Japão também teme que sua questão crucial do destino de seus cidadãos sequestrados por agentes norte-coreanos fique em segundo plano em relação a questões nucleares e de mísseis nas conversações norte-coreana.

O primeiro-ministro Shinzo Abe disse que Trump levantou a questão dos cidadãos japoneses seqüestrados em sua cúpula com Kim.

Abe disse que o Japão está comprometido em normalizar as relações diplomáticas com a Coréia do Norte, mas várias questões, incluindo o seqüestro de cidadãos da Coréia do Norte, devem ser resolvidas primeiro.

Fonte: Reuters

Anúncios

Leandro | レアンドロ・フェレイラ

Webmaster, programador, desenvolvedor e editor de artigos.

Deixe uma resposta