Eleição dos EUA em 2020 é “vulnerável” a hackers

A eleição presidencial dos Estados Unidos em 2020 é “enormemente vulnerável” à influência estrangeira e de hackers, disse na terça-feira o deputado Adam Schiff, presidente do Comitê de Inteligência da Casa dos EUA.

Schiff, respondendo a uma pergunta de um repórter no café da manhã do Christian Science Monitor, advertiu que “o potencial para o mal agora é extremo” e disse estar preocupado com os esforços para minar a democracia dos EUA.

O comitê de Schiff tem investigado ativamente a campanha presidencial de 2016 e as alegações de que o governo russo tentou se intrometer na eleição para ajudar a eleger o presidente dos EUA, Donald Trump. Tanto Trump quanto o Kremlin negaram qualquer intromissão ou conivência.

Schiff disse que durante as eleições parlamentares de meio de ano em 2018, houve apenas um punhado de incidentes da chamada “caça submarina”, uma forma de hacking que envolve a tentativa de levar alguém a entregar suas senhas sem saber.

Mas ele agora acha que os esforços poderiam ser mais agressivos.

Ele também disse que acha que a Rússia e outros países são capazes de usar tecnologia “falsa e profunda”.

Ele disse que os atores externos poderiam usar a tecnologia “para forjar fitas de áudio, para forjar fitas de vídeo, para causar um impacto muito mais disruptivo”.

Por outro lado, ele disse que também está preocupado que a possível proliferação de vídeo ou áudio falso possa tornar o público pouco disposto a acreditar em imagens ou sons reais.

Fonte: Reuters

Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *