42 palestinos feridos pelo fogo israelense em confrontos na fronteira

Pelo menos 42 palestinos foram feridos por disparos de atiradores israelenses em protestos renovados ao longo da fronteira entre Gaza e Israel nesta sexta-feira, informou o Ministério da Saúde do enclave.

Um comunicado do porta-voz do ministério disse que 42 pessoas “foram baleadas pelas forças de ocupação israelenses” durante a 50ª semana de manifestações violentas.

Quatro médicos estavam entre os feridos, disse o ministério.

Um porta-voz do Exército israelense disse que “aproximadamente 8.400 manifestantes e desordeiros estão atualmente reunidos em vários locais ao longo da cerca de segurança da Faixa de Gaza”.

“Eles lançaram dispositivos explosivos e pedras na cerca de segurança e nos soldados, e também acenderam pneus”, disse o porta-voz.

As tropas responderam de acordo com “procedimentos operacionais padrão”, acrescentou.

Protestos e confrontos começaram ao longo da fronteira de Gaza em 30 de março do ano passado.

Manifestantes pedem que os refugiados palestinos possam retornar às suas antigas casas agora dentro de Israel, o que, segundo autoridades israelenses, é o mesmo que pedir a destruição de seu país.

Israel acusa os governantes islâmicos de Gaza, Hamas, de usar os protestos como cobertura para infiltrações e ataques, enquanto grupos de direitos humanos e palestinos dizem que manifestantes que representam pouca ameaça foram baleados por atiradores israelenses.

Pelo menos 252 palestinos foram mortos por incêndios israelenses desde março de 2018, a maioria é baleada durante protestos semanais nas fronteiras e outros atingidos por tiros ou ataques aéreos em resposta à violência de Gaza.

Dois soldados israelenses foram mortos no mesmo período.

Israel e o Hamas, que controlam o bloqueio da Faixa de Gaza há mais de uma década, vêm travando três guerras desde 2008.

Fonte: AFP

Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *