Twitter permitirá que os usuários escondam comentários “tóxicos”

Jack Dorsey, CEO da Twitter, admitiu que, apesar das intenções da empresa, o Twitter não era o melhor para incentivar conversas produtivas ou significativas entre os usuários.

Mais frequentemente, a plataforma vem servindo para abusos, assédio e disseminação de desinformação, enquanto mergulhava os usuários mais profundamente nas câmaras de eco (grupos com o mesmo tipo de ideologias). A solução, Dorsey disse, era deixar de proibir os infratores mais notórios – uma tarefa que muitos argumentariam que o Twitter não tinha se destacado – e promover a “saúde conversacional”.

Um ano depois, pouco mudou. O Twitter ainda é um lugar altamente tóxico cheio de extremistas, exércitos de fantoches e contas falsas; e o alto escalão da empresa ainda fala em saúde conversacional. Sua mais recente tentativa de melhorar o discurso na plataforma foi confirmada na semana passada: um recurso que permitiria aos usuários ocultar seletivamente respostas a seus tweets da exibição pública, para que outros usuários não pudessem ver a resposta ofensiva ao interagir com o tweet inicial.

Descoberto pela primeira vez por Jane Manchun Wong, uma engenheira de software conhecida por descobrir recursos ainda a ser anunciados sendo testados por empresas de mídia social como Twitter e Facebook, o novo recurso permite que outras pessoas vejam respostas ocultas através de uma opção de menu.

“Acreditamos que a transparência das respostas ocultas permitiria que a comunidade percebesse e evitasse situações em que as pessoas usem o recurso para ocultar o conteúdo com o qual não estão de acordo”, disse a gerente sênior de produtos do Twitter, Michelle Yasmeen Haq.

Em uma conversa no Twitter respondendo à descoberta de Wong, Haq confirmou que o recurso seria testado publicamente nos próximos meses. “Achamos que isso pode equilibrar a experiência do produto entre o Tweeter original e o público”. O Twitter não respondeu a um pedido de comentário adicional.

Wong concorda que o novo recurso pode ser útil. No Twitter, ela disse que o recurso pode beneficiar aqueles que procuram tranquilidade na plataforma. Em resposta aos comentários sugerindo que isso apenas reforçará as câmaras de eco ideológico, ela disse que isso poderia ser usado como uma forma eficaz de checar as pessoas que o usam para silenciar pessoas com visões diferentes. “Dado que o Twitter é a melhor plataforma de debate para os políticos caírem de sua graça, tenho certeza de que as pessoas vão verificar os tweets ocultos e criticá-los”, ela twittou.

No momento, os usuários do Twitter têm três ferramentas para lidar com respostas tóxicas ou improdutivas: elas podem bloquear o usuário, silenciá-lo ou denunciar a conta. Bloquear ou desativar um usuário específico afeta apenas a experiência do usuário que está sendo bloqueado, e as ferramentas de relatório do Twitter são úteis apenas se o comentário em questão violar as políticas da plataforma que regem o comportamento do usuário.

Isso significa que, se um usuário estiver sendo assediado de forma que não seja explicitamente contra as diretrizes do Twitter, como quando as profissionais do sexo foram alvo dos chamados “ThotAuditors”, como em novembro passado, há pouco que eles possam fazer para impedir que o abuso apareça publicamente.

O recurso de respostas ocultas tem como objetivo mudar isso, dando aos usuários outra ferramenta em sua caixa de ferramentas digital para conter os comentários indesejados, disse Haq. No entanto, apesar do que o texto no código do aplicativo do Twitter pode indicar, ele claramente não substitui a moderação adequada.

Fonte: Wired

Leandro | レアンドロ・フェレイラ

Webmaster, programador, desenvolvedor e editor de artigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *