Cientistas ligam taxa de certas bactérias no intestino a boa memória

Os pesquisadores descobriram uma forte ligação entre a quantidade de bactérias específicas no intestino e o desenvolvimento de demência.

Como os hábitos alimentares e os estilos de vida dos pacientes afetam as bactérias no corpo, a descoberta pode levar ao desenvolvimento de medidas para reduzir o risco da doença, disseram.

As descobertas de Naoki Saji, vice-diretor do Centro de Atenção Integral e Pesquisa sobre Distúrbios da Memória do Centro Nacional de Geriatria e Gerontologia, e seus colegas, foram publicadas na revista científica britânica Scientific Reports.

Enquanto existem mais de 1.000 tipos de bactérias, pesando 1 quilograma no total no intestino humano, sua composição muda dependendo da idade dos indivíduos.

Os pesquisadores, estudando aqueles que visitaram o centro de distúrbios de memória durante um período de um ano a partir de março de 2016, pesquisaram as taxas de bactérias nos intestinos e se os pacientes desenvolveram demência verificando fezes, ressonância magnética e testes psicológicos.

A análise de dados válidos de 128 indivíduos entre 60 e 80 anos mostrou que quando uma bactéria nativa chamada Bacteroides equivale a 30% da população presente no intestino do paciente, este tem um risco 10% de desenvolver demência comparado com aqueles com taxas mais altas de outros tipos de bactérias.

Bacteroides é conhecido por existir em grande número em pessoas magras.

Com relação a como as bactérias nos intestinos fazem com que os pacientes desenvolvam demência, substâncias produzidas pelas bactérias intestinais podem causar inflamação cerebral, resultando em comprometimento cognitivo, de acordo com os cientistas.

“Vamos acompanhar os pacientes pesquisados ​​para examinar a associação (entre bactérias e demência)”, disse Saji. “Também quero averiguar as relações entre bactérias e hábitos alimentares, de modo que medidas preventivas baseadas na dieta (contra a demência) possam ser desenvolvidas”.

Fonte: Asahi

Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *