Escolas de Osaka querem deixar estudantes trazerem celulares

As escolas de Osaka permitirão que estudantes do ensino fundamental e médio tragam celulares para escolas, mas os usem somente em caso de emergências, como o forte terremoto que atingiu a prefeitura em junho passado.

O movimento está levando o ministério da educação a considerar fazer uma revisão semelhante em suas diretrizes para as escolas de ensino fundamental e médio em todo o país.

O governo da província de Osaka, no dia 18 de fevereiro, anunciou uma versão preliminar das diretrizes que permitiriam aos estudantes do ensino fundamental e médio trazer celulares para as escolas e usá-los durante emergências e situações de desastre.

O ministro da Educação, Masahiko Shibayama, disse a repórteres em uma coletiva de imprensa em 19 de fevereiro, quando perguntado sobre o plano para as escolas de Osaka, que o ministério irá agora revisar suas diretrizes sobre telefones celulares nas escolas. Atualmente, eles proíbem estudantes do ensino fundamental e médio de ter telefones celulares na escola, e proíbem estudantes do ensino médio de usá-los no campus.

Shibayama disse que o ministério planeja fazer novas diretrizes no ano fiscal de 2019 depois de solicitar as opiniões de professores e pais.

O ministério emitiu diretrizes estritas sobre celulares nas escolas em 2009.

“Olhando cuidadosamente para a mudança do governo da província de Osaka, queremos considerar uma revisão baseada no ambiente social em torno das escolas e mudanças nas circunstâncias em que os estudantes foram colocados”, disse Shibayama.

Mesmo que a revisão seja feita pelo ministério, a decisão final caberá a cada conselho municipal de educação e às escolas sobre a possibilidade de permitir que os alunos levem esses dispositivos para a escola.

De acordo com uma pesquisa feita em 2008 pelo ministério, em princípio, mais de 90% das escolas públicas de ensino fundamental e médio proibiram estudantes de levar telefones celulares. Quanto às escolas secundárias, enquanto cerca de 20% proíbem seus alunos de levá-las ao campus, a maioria das escolas de ensino médio proíbe que eles usem os dispositivos nas escolas e durante as aulas.

Politicas desatualizadas

No entanto, um funcionário do ministério disse que as diretrizes de 2009 “não se encaixam mais nos tempos modernos”, já que a taxa de alunos que possuem celulares vem aumentando e as preocupações com a resposta a desastres surgiram.

Quando um forte terremoto sacudiu a área ao redor do norte da província de Osaka em junho de 2018, que ocorreu na mesma época em que os estudantes freqüentavam a escola, os pais expressaram suas preocupações dizendo: “Ficamos preocupados por não conseguir contatar nossos filhos”.

Como resultado, o governo da província começou a inclinar-se para permitir que estudantes do ensino fundamental e médio trouxessem seus celulares para a escola, o que é proibido, em princípio, como meio de comunicação durante situações de emergência.

Em 18 de fevereiro, o governo da prefeitura de Osaka divulgou um esboço de diretrizes propostas para os 43 conselhos municipais de educação da prefeitura. O rascunho declara que os estudantes não teriam permissão para usar os dispositivos enquanto iam e voltavam para casa da escola, exceto para fins de segurança ou prevenção de desastres.

Cada conselho municipal de educação fará agora sua própria avaliação sobre permitir que os alunos levem seus celulares para a escola. Mesmo se permitido, os conselhos de educação decidirão se seguem as diretrizes preliminares feitas pelo governo da província ou revisam-nas, e também o cronograma para a implementação da nova política.

Nas escolas, os alunos devem manter seus dispositivos em suas mochilas, não mantidos pelos professores. Em princípio, o uso de celulares nas escolas continuará sendo banido.

Fonte: Asahi

Leandro | レアンドロ・フェレイラ

Webmaster, programador, desenvolvedor e editor de artigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *