Venezuela garante apoio da China e Rússia

Rússia e China se juntaram a Cuba, Irã, Coréia do Norte e vários outros países nas Nações Unidas nesta quinta-feira para mostrar apoio ao presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, em seu confronto com os Estados Unidos.

O ministro venezuelano das Relações Exteriores, Jorge Arreaza, disse a repórteres que o grupo de apoio recém formado entrará em ação nos próximos dias “para aumentar a conscientização sobre os perigos que o nosso povo enfrenta atualmente”.

“Todos nós temos o direito de viver sem a ameaça do uso da força e sem a aplicação de medidas unilaterais coercitivas ilegais”, disse Arreaza a jornalistas, acompanhados pelos embaixadores de vários países.

Entre os que estavam ao lado de Arreaza estavam enviados da Rússia, China, Irã, Cuba, Nicarágua, Bolívia, Coréia do Norte, Síria, juntamente com o representante palestino e diplomatas de países caribenhos.

Diplomatas disseram que cerca de 50 países se juntaram ao grupo em apoio ao governo de Maduro.

As 193 nações das Nações Unidas foram divididas entre os países que apóiam Juan Guaido, que se declarou presidente interino em 23 de janeiro, e aqueles que apoiam Maduro.

Os Estados Unidos estão liderando um esforço para reconhecer Guaido, apoiado por cerca de 50 países, incluindo Grã-Bretanha, França, Alemanha e vários países da América Latina, como o Brasil, Argentina e Colômbia.

Arreaza não forneceu detalhes da ação planejada, mas convocou todas as nações da ONU a “unirem-se a nós na defesa da lei internacional como única garantia para a coexistência pacífica da humanidade”.

O embaixador russo, Vassily Nebenzia, disse a repórteres que a Venezuela está planejando uma conferência internacional para mostrar “apoio [ao] governo legal da Venezuela”.

Fonte: AFP

Leandro | レアンドロ・フェレイラ

Webmaster, programador, desenvolvedor e editor de artigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *