PIB sobe 1,4% com gastos mais altos

O produto interno bruto real do Japão subiu a uma taxa anual de 1,4 por cento em outubro-dezembro de 2018, após a queda do trimestre anterior em meio a desastres naturais no país, segundo dados do governo divulgados nesta quinta-feira.

Com os efeitos adversos dos desastres diminuindo, o consumo privado e as despesas de capital corporativo lideraram a recuperação trimestral, enquanto as exportações mostraram uma recuperação relativamente fraca em um cenário de desaceleração econômica na China.

“A economia está se recuperando moderadamente”, disse o ministro de Política Econômica e Fiscal, Toshimitsu Motegi, em uma entrevista coletiva.

“Precisamos prestar atenção às incertezas sobre as economias estrangeiras, incluindo a economia chinesa”, acrescentou.

No terceiro trimestre do ano fiscal de 2018, o crescimento do PIB em termos reais ajustados aos preços chegou a 0,3% em uma base não-anualizada, disse o Gabinete em um relatório preliminar.

O consumo privado, responsável por mais da metade do PIB do país, aumentou 0,6% graças ao forte turismo e aos gastos com restaurantes e à rápida venda de novos automóveis.

Os investimentos corporativos cresceram 2,4%, liderados pelo setor de máquinas de produção.

As exportações cresceram 0,9 por cento, depois de cair 1,4 por cento no trimestre anterior. A recuperação lenta refletiu os fracos embarques de produtos relacionados a smartphones para outras partes da Ásia.

A demanda doméstica fez uma contribuição positiva de 0,6 ponto percentual para o crescimento global do PIB, enquanto a demanda externa fez uma contribuição negativa de 0,3 ponto.

Em termos nominais, o PIB de outubro-dezembro subiu 0,3%, ou uma taxa anual de 1,1%.

Em 2018, o PIB real do Japão cresceu 0,7% em relação ao ano anterior, pelo sétimo ano consecutivo. O PIB nominal subiu 0,6 por cento, para um recorde de ¥ 548,5 trilhões.

O crescimento real de 1,4% em outubro-dezembro correspondeu à mediana prevista entre 20 institutos de pesquisa econômica em uma recente pesquisa da Jiji Press.

“O crescimento do PIB tornou-se positivo, mas o impulso foi fraco”, disse Toru Suehiro, economista sênior de mercado da Mizuho Securities Co. “O ponto mais fraco foram as exportações, que foram prejudicadas pela desaceleração econômica no exterior, incluindo na China.”

“A economia doméstica já deve ter atingido o pico, e não seria uma surpresa se vermos uma contração em janeiro-março”, disse Suehiro.

Fonte: Jiji Press

Anúncios

Leandro | レアンドロ・フェレイラ

Webmaster, programador, desenvolvedor e editor de artigos.

Deixe uma resposta