Vice primeiro ministro do Japão culpa mulheres pela queda da população do país

O vice primeiro-ministro do Japão, já envolvido em polemicas anteriormente, Taro Aso, foi forçado a retirar comentários culpava mulheres que não tinham filhos por problemas associados à baixa taxa de natalidade do país e a o envelhecimento da população.

“Há muitas pessoas que dizem que os idosos são culpados, mas isso é incorreto”, disse ele, segundo a mídia japonesa. “Em vez disso, aqueles que estão dando à luz filhos são o problema”.

“O envelhecimento da população, combinado com a diminuição do número de crianças, é um grave problema a médio e longo prazo”.

Mais tarde, houveram comentários depois que os deputados da oposição o acusaram de insensibilidade em relação aos casais que não querem ter filhos e outros que não conseguem.

Aso fez esse comentário depois que dados mostraram que a população do Japão caiu em um recorde de 448.000 pessoas em 2018, com o número de nascimentos diminuindo para 921.000, o menor desde que os registros começaram há mais de um século. A tendência gerou alertas de que os crescentes custos de saúde e bem-estar das pessoas idosas, juntamente com a redução da força de trabalho, aumentaram a pressão sobre a terceira maior economia do mundo.

Especialistas culpam a baixa taxa de natalidade por vários fatores, incluindo o alto custo financeiro de criar filhos, a falta de comissão de cuidado infantil e notoriamente longas jornadas de trabalho.

Entretanto, um dos vários políticos conservadores que culparam casais, e em particular mulheres, pela tendencia.

Em junho de 2018, Toshihiro Nikai, secretário-geral do Partido Liberal Democrata (LDP), descreveu os casais que não tem filhos como “egoístas”, e citou o “baby boom” pós-guerra como evidência de que as dificuldades não precisam ser um obstáculo para ter famílias maiores.

Dois meses antes, Kanji Kato, parlamentar do PLD, disse que as mulheres deveriam ter “pelo menos três filhos” e advertiu aqueles que preferiram permanecer solteiros que se tornariam um peso para o estado.

Em 2007, o então ministro da Saúde, Hakuo Yanagisawa, descreveu as mulheres como “máquinas para o parto” e disse que era seu dever público aumentar a taxa de natalidade.

O elogio de Aso, no mesmo discurso recente, pela impressionante expectativa de vida do Japão – que aumentou cerca de 30 anos desde que nasceu na década de 1940 – contrastou com os comentários que fez em 2013, quando disse que as pessoas mais velhas deveriam se apressar e o “aliviar a pressão sobre o estado”.

Fonte: The Guardian

Anúncios

Leandro Ferreira | Connection Japan ®

Webmaster, programador, desenvolvedor e editor de artigos.

Deixe um comentário:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.