Promotoria de Shiga exige 25 anos de prisão a ex-policial que matou chefe com tiro na cabeça

A Promotoria Pública de Shiga exigiu nesta segunda-feira (4) que um jovem ex-policial que matou o chefe seja condenado a 25 anos de prisão, informou o jornal Sankei.

O ex-policial, agora com 20 anos, disparou várias vezes contra o chefe Akira Imoto, que morreu após ser atingido na cabeça em um posto policial em Hikone (Shiga), em abril do ano passado.

O nome do ex-policial não foi divulgado porque ele tinha 19 anos no momento do crime, e a maioridade no Japão ocorre aos 20 anos.

Durante julgamento no Tribunal Regional de Otsu (capital de Shiga), o advogado de defesa alegou que o réu estava estressado e perturbado mentalmente quando atirou, por isso não pode ser responsabilizado pelos seus atos.

Após atirar no chefe, o ex-policial fugiu em uma viatura, que foi localizada mais tarde, abandonada em um terreno para plantação de arroz em Aisho, a cerca de seis quilômetros do posto policial.

O ex-policial foi encontrado horas depois parado sobre os trilhos de uma linha de trem. A polícia apreendeu a arma utilizada no crime que foi localizada nas proximidades.

Ao ser preso, o ex-policial disse que sofria abuso e ofensas do oficial chefe, que tinha 41 anos quando foi morto. Depois de ter recebido ordens para corrigir o mesmo documento várias vezes, o réu acabou atirando contra ele.

O Tribunal de Otsu vai anunciar a sentença na próxima sexta-feira (8).

Fonte: Alternativa

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments