O ministro do Comércio, Zhong Shan, comenta sobre reiterações do passado por oficiais Chineses. Foto: Simon Song

Pequim diz que vai facilitar para as empresas estrangeiras investir na China

A China reduzirá as restrições ao investimento estrangeiro e reduzira as dificuldades enfrentadas pelas empresas estrangeiras que investem no país, disse o ministro do Comércio, de acordo com uma transcrição de uma entrevista que ele deu à mídia estatal.

O ministro do Comércio, Zhong Shan, disse que a China permitirá a propriedade estrangeira total de empresas em mais áreas da economia e reduzirá o número de indústrias nas quais o investimento estrangeiro foi restringido ou barrado, segundo a transcrição publicada no site do Ministério do Comércio no domingo.

Os comentários pareciam ser em grande parte reiterações de compromissos do passado por funcionários chineses para a abertura do mercado.

O investimento estrangeiro direto (IED) na China aumentou 3% em relação ao ano anterior, para US $ 135 bilhões em 2018, disse Zhong na entrevista de sexta-feira, segundo a Xinhua.

O ministro do Comércio, Zhong Shan, comenta sobre reiterações do passado por oficiais Chineses. Foto: Simon Song

Isso indicaria uma desaceleração das taxas de crescimento de 7,9% em 2017 e 4,1% em 2016.

Mas Zhong disse que a China manteve o crescimento estável do IED “contra um clima global sombrio”, observando que o IDE total em todo o mundo caiu 41% no primeiro semestre do ano passado.

Espera-se que o consumo de bens da China aumente 9,1% em relação ao ano passado em 2018, para 38 trilhões de yuans (US $ 5,62 trilhões), disse Zhong.

“O mercado chinês tem um potencial enorme e perspectivas sólidas”, disse Zhong. “A China está marchando em direção ao maior país de consumo de bens”.

A China tem se esforçado para ampliar as oportunidades para empresas privadas e investidores estrangeiros estimularem uma economia que está diminuindo devido ao enfraquecimento da demanda doméstica e a uma guerra comercial com os Estados Unidos.

Os dois lados mantiveram três dias de negociações comerciais em nível vice-ministerial em Pequim na semana passada.

Ele disse que outras prioridades do ministério do comércio este ano incluíram a realização da segunda exposição de importação e o avanço das zonas-piloto de livre comércio e do porto de livre comércio de Hainan.

Zhong disse que o Ministério do Comércio vai pressionar pela introdução de uma lei de investimentos estrangeiros o mais rápido possível, melhorar o tratamento de reclamações de empresas estrangeiras e encorajar investimentos estrangeiros em manufatura e alta tecnologia.

Fonte: South China Morning Post

Anúncios

Leandro | レアンドロ・フェレイラ

Webmaster, programador, desenvolvedor e editor de artigos.

Deixe uma resposta