Arábia Saudita para abrirá refinaria no Paquistão

A Arábia Saudita planeja instalar uma refinaria de petróleo de US$ 10 bilhões no porto de Gwadar, no Paquistão, disse o ministro da Energia da Arábia Saudita neste sábado, falando no porto do Oceano Índico que está sendo desenvolvido com a ajuda da China.

O Paquistão quer atrair investimento e outro apoio financeiro para enfrentar um déficit crescente em conta corrente causado em parte pelo aumento dos preços do petróleo. No ano passado, a Arábia Saudita ofereceu ao Paquistão um pacote de US $ 6 bilhões que incluiu ajuda para financiar as importações de petróleo bruto.

“A Arábia Saudita quer tornar o desenvolvimento econômico do Paquistão estável através do estabelecimento de uma refinaria de petróleo e parceria com o Paquistão no Corredor Econômico do Paquistão da China”, disse Khalid al-Falih, da Arábia Saudita, a repórteres em Gwadar.

Ele disse que o príncipe herdeiro Mohammad bin Salman visitará o Paquistão em fevereiro para assinar o acordo. O ministro acrescentou que a Arábia Saudita também investirá em outros setores.

Pequim prometeu US$ 60 bilhões como parte do Corredor Econômico China-Paquistão (CPEC), que envolve a construção de usinas, grandes rodovias, ferrovias novas e melhoradas e portos de maior capacidade, para ajudar a tornar o Paquistão uma importante rota terrestre que liga o oeste da China ao mundo.

“Com a instalação de uma refinaria de petróleo em Gwadar, a Arábia Saudita se tornará um parceiro importante no CPEC”, disse o ministro do Petróleo do Paquistão, Ghulam Sarwar Khan.

A agência de notícias saudita SPA informou anteriormente que Falih se encontrou com o ministro do Petróleo do Paquistão e com o ministro dos Assuntos Marítimos, Ali Zaidi, em Gwadar, para discutir a cooperação em refino, petroquímica, mineração e energia renovável.

Segundo ele, a Falih finalizaria os acordos antes de assinar memorandos de entendimento.

Desde que o governo do primeiro-ministro Imran Khan chegou ao poder em agosto, o Paquistão garantiu pacotes de assistência econômica da Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e China.

Em novembro, o Paquistão ampliou as conversas com o Fundo Monetário Internacional (FMI), ao buscar o 13º resgate, desde o final dos anos 80, para lidar com a iminente crise da balança de pagamentos.

O gabinete do primeiro-ministro paquistanês disse na quinta-feira que Islamabad deve assinar acordos de investimento com a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos nas próximas semanas.

Fonte: Reuters

Anúncios

Leandro | レアンドロ・フェレイラ

Webmaster, programador, desenvolvedor e editor de artigos.

Deixe uma resposta